Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

12:. Fidalga 727

2,545 views

Published on

Projeto Arquitetônico F - Donaria e Stéfanie

  • If you are looking for trusted essay writing service I highly recommend ⇒⇒⇒WRITE-MY-PAPER.net ⇐⇐⇐ The service I received was great. I got an A on my final paper which really helped my grade. Knowing that I can count on them in the future has really helped relieve the stress, anxiety and workload. I recommend everyone to give them a try. You'll be glad you did.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

12:. Fidalga 727

  1. 1. Donária Gomes Mendes de Oliveira - RGM: 257852 StéfanieMayumi Maia Yokogawa - RGM: 257161 Edifício Fidalga 727 Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes 2013
  2. 2. Donária Gomes Mendes de Oliveira - RGM: 257852 StéfanieMayumi Maia Yokogawa - RGM: 257161 Edifício Fidalga 727 Trabalho de Pesquisa apresentado à disciplina de Projeto Arquitetônico “F” Orientadora: Professora Fabíola Rodrigues. Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes 2013
  3. 3. Triptyque O escritório Triptyque é sediado em São Paulo e formado pela brasileiraCarolina Bueno e pelos franceses Greg Bousquet, GuillaumeSibaud e OlivierRaffaelli. Os quatro se conheceram na Escola de Arquitetura Paris-la-Seine, quandocriaram um grupo acadêmico. Depois de algum tempo de trabalho na França, porinfluência de Carolina, vieram para o Brasil. Atualmente o quarteto se divide entreRio e São Paulo. http://www.arquitetonico.ufsc.br/triptyque-architecture O nome do grupo, trata-se da moldura que une três imagens distintas em umaúnica composição, encontrado na arquitetura cristã. Pode nos parecer estranho daresse nome ao um grupo de arquitetos contemporâneos, todavia, o nome apenasenfatiza o diferencial dos arquitetos que se dizem explorador de emoções no projetarda arquitetura em detrimento do formalismo teatral contemporâneo.Harmonia 57 No bairro de Vila Madalena, foi construído o edifício Harmonia 57, consideradoum ecossistema construído, objetivando a eficiência energética e um novo olharsobre a tão comentada “Arquitetura verde” e, que recebeu esse nome devido à ruaem que foi implantado.
  4. 4. http://www.arquitetonico.ufsc.br/triptyque-architecture Com um briefing que deveria atender as necessidades de um ateliê deartistas, o Harmonia consiste de dois grandes blocos „vegetais‟ conectados atravésde uma passarela metálica. De modo a arejar o edifício, os volumes possuemgrandes recortes, constituindo terraços que se abrem para o entorno. http://www.arquitetonico.ufsc.br/triptyque-architecture Passarela de Ligação entre os dois blocos e fachada Como um organismo vivo, os volumes edificados possuem uma “pele” vegetal,construída com um tipo específico de concreto orgânico, capaz de absorver água ecom pequenos nichos para receber as espécies vegetais. Irrigada por um sistema denebulização, a fachada não exerce apenas função estética, mas contribui para osistema hídrico da edificação e contribui para o isolamento acústico e térmico doedifício.
  5. 5. http://www.arquitetonico.ufsc.br/triptyque-architecture Sistema Hídrico do Harmonia 57. Paredes e telhados verdes à parte, o que efetivamente chama atenção noprojeto é o sistema hídrico, que atendeu ao desafio de integrar tanques e tubulaçõesà concepção arquitetônica. Assim, corrimãos, por exemplo, abrigam tubos dedrenagem de água cinza, descarregando a água para reuso em tanques no solocomo mostrado na imagem acima. Pela eficiência energética e inovação no “projetararquitetura verde” o Harmonia 57 foi vencedor do prêmio ZumtobelGroupAwards nacategoria ”BuiltEnvironment”.Apartamento HousseinJarouche Com 300 metros quadrados, a residência localizada em São Paulo capital éformada por ambientes amplos, cuidadosamente projetados para interagirem umcom o outro. O grande destaque é a Treme-treme, uma estante monumental quepercorre praticamente todos os ambientes da casa. http://www.wikiarq.com/projetos/1198/apartamento-houssein-jarouche/
  6. 6. Os arquitetos explicam que a estrutura da Tremetreme abraça o núcleotécnico do prédio, englobando elevadores, escada de serviço. Como está presenteem todos os espaços, ela define todo o projeto. É a partir dela se faz a entrada doelevador para dentro do apartamento, como quem entra em uma caverna, daescuridão até a luz, definem. A estante também comporta as coleções de Houssein,objetos que coleciona resultantes de suas viagens, toysarts, livros, obras de arte elembranças. http://www.wikiarq.com/projetos/1198/apartamento-houssein-jarouche/ Não há divisões nos espaços do apartamento, ele funciona como uma grandegaleria pontuada por elementos integrados essenciais como: armários, banheira,cama, cozinha, etc., todos tratados de uma forma minimalista. Os ambientes sãoalinhados, mas sem uma função estabelecida. Entre os materiais utilizados pelosarquitetos estão o concreto bruto, assoalho em madeira de demolição e inox. Asparedes brancas valorizam o mobiliário e as peças de arte.Loja MiCasa Um espaço onde as informações visuais fluíssem de dentro para fora. Osjovens arquitetos aproveitaram a estrutura antiga da casa localizada na regiãopaulistana dos Jardins e reinventaram o conceito de vitrine. Uma grande fachada devidro já causa logo o impacto.
  7. 7. http://www.wikiarq.com/projetos/1167/loja-micasa/ Nessa fachada transparente foi colocada uma película ácida, especialmentedesenvolvida para o projeto, em grau de opacidade e propriedades químicas. Elarecobre quase toda a superfície retangular do fechamento frontal. Durante o dia,pouco se vê dos interiores, apenas sombreamentos esparsos. Mas no canto superiordireito da fachada, onde o vidro transparente não foi recoberto pela película há umaabertura elíptica, semelhante a um olho. Essa abertura revela um painel horizontal,também transparente, que funciona como apoio para exposição de produtos. O afastamento entre a fachada e a estrutura da edificação cria uma zonaintermediária, que ambienta os três pavimentos internos, onde estão expostos osmóveis e acessórios residenciais comercializados pela empresa. A luminosidadedesse trecho é diferenciada, originada de uma série de reflexões da luz, natural,durante o dia, e artificial, à noite, entre a fachada e os panos horizontais de vidro quea conectam aos pavimentos internos. Para isso, a elevação envidraçada não poderiater montantes, deveria ser livre de caixilhos. Para resolver essa questão, osarquitetos optaram por um sistema especial de união e estruturação: desenharam aspeças metálicas entre vidros e conceberam ainda o princípio de sustentação dafachada a partir do seu atirantamento a cabos de aço, tensionados entre a coberturae o piso do pavimento térreo.
  8. 8. Loducca – Colombia 325 Localizada na Rua Colombia, 325, no bairro do Jardins, em São Paulo, a sededa agência Loducca apresentou desafios como barulho, tráfego pesado e o sol. Oprojeto do Triptyque ofereceu a solução de uma fachada ondulada e orgânica emmadeira que atua como um filtro para esses problemas, funcionando como um brise-soleil. Devido seu formato diferenciado, a estrutura forma uma barreira de proteção,minimizando tanto os ruídos dos carros como os raios solares e também regula atransparência, garantindo certa privacidade ao prédio envidraçado. http://www.wikiarq.com/projetos/1193/loducca-colombia-325/ Um volume de concreto embutido na fachada forma uma espécie de portalentre os espaços internos e externos. Enquanto a frente voltada para a rua possui aproteção dos brises, na parte de trás do prédio, os painéis translúcidos criam umjogo visual intrigante.
  9. 9. http://www.wikiarq.com/projetos/1193/loducca-colombia-325/ O edifício possui três pavimentos que são estruturados por uma escada deconcreto, um forte elemento visual, e termina em um deck panorâmico com vistapara a copa das árvores. Um dos pontos fortes do Colombia 325 é a integraçãoentre os ambientes internos e externos. “O prédio olha para a cidade, sutilmenterevelando seu interior através de camadas sobrepostas”, afirmam os arquitetos. Oprojeto foi apresentado na Bienal de Arquitetura de Veneza em 2008, trazendosoluções inovadoras para problemas urbanos comuns em cidades do porte de SãoPauloDados TécnicosArquitetos: TriptyqueAno: 2007-2009Área construída: 2000 m²Tipo de projeto: ResidencialEstrutura: ConcretoLocalização: Vila Madalena - São Paulo, Brasil
  10. 10. Implantação no terreno: IsoladoEquipe: Arquitetos: Greg Bousquet, Carolina Bueno, GuillaumeSibaud e OlivierRaffaelliChefe de Projeto: Bruno SimõesCliente: IdeaZarvosOrçamento: 1.500.000 euros.Desenhos Técnicos
  11. 11. http://www.archdaily.com.br/13719/fidalga-727-triptyque/1294838464-elevation/http://www.archdaily.com.br/13719/fidalga-727-triptyque/1294838471-section/
  12. 12. Descrição Geral da Obra Aobra foi construída no bairro de Vila Madalena em São Paulo. O local passapor um processo de verticalização e valorização. Embora ainda predominem ali asmodestas residências construídas no inicio do século passado. http://www.archdaily.com.br/13719/fidalga-727-triptyque/1294838307-fidalga-727-fran-parente-12/ O local foi escolhido como sendo o ideal para receber o Edifício Fidalgo, porser uma obra diferenciada, fora dos padrões convencionais do mercado imobiliário.Os arquitetos do escritório Triptyque buscaram harmonizar soluções e elaboraramuma proposta conceitual para um edifício-casa vertical que divide os elementosconstrutivos que estabelece dialogo com o bairro. O prédio é dividido em dois blocos com fachadas de concreto, tijolos e vidro,interligados por um terceiro volume que concentra a circulação vertical. Osapartamentos ocupam a área total da laje, o que resulta em 11 unidadesassimétricas, com sete diferentes modulações, simples ou duplex, do loft à unidadecom duas suítes. As metragens variam entre 80 e 240m², dimensão quecorresponde à cobertura duplex com terraço. São posicionados de acordo com umavariação não linear e não-modular de tipologias e janelas, dando ao edifício a suaaparência, marcado pela utilização de materiais simples e urbanos
  13. 13. (predominantemente asfalto negro). O design dos apartamentos seguem osseguintes princípios:- Acesso individual pelo portão externo.- Um apartamento por andar, o que garante visão panorâmica da cidade e ventilaçãode 300º.- Um elemento arquitetônico fora da normalidade: terraço, cobertura duplex comjardim.- Janelas diferentes em cada unidade.- Planta livre, permitindo diferentes divisões internas.- Modulação hidráulica e distribuição elétrica aparentes.- A torre de circulação vertical serviu como abrigo para um jardim, com sistema deirrigação. http://www.archdaily.com.br/13719/fidalga-727-triptyque/fidalga_727_fran_parente_53/ Os pilares foram pensados em forma de “X”, feitos de concreto armado, ondeapoia-se o primeiro bloco. Esses pilares em “X” abriram lugar onde abriga um jardimque começa ainda no espaço publico, passa pelo Térreo e continua na torre decirculação vertical. O segundo volume se apoia diretamente no solo, com umapartamento térreo. Para separar as unidades, a proposta arquitetônica estabeleceuposicionamentos diferentes para as varandas e criou um jogo de aberturas livres demodulações repetitivas, recurso que tornou a fachada mais atraente.
  14. 14. http://www.wikiarq.com/projetos/1199/fidalga-727/ Todos os apartamentos possuem aberturas generosas que garantemiluminação e ventilação natural e uma vista privilegiada da cidade, devido àsaberturas em todas as faces. As passarelas de circulação que interligam os dois blocos, são voltados paraa rua e respondem pelo acesso aos apartamentos. “As moradias serão entreguescomo contêineres, o que permitirá diversas possibilidades de layout para atender àsnecessidades específicas de cada comprador.”, explica GuillaumeSinbaud, um dosautores. O Edifício Fidalga é uma incorporação do Movimento Um, empresa quelançou prédios residenciais de médio porte com desenhos diferenciados,desenvolvidos por arquitetos raramente procurados pelo mercado imobiliário.
  15. 15. Descrição do ProgramaOs apartamentos possuem três tipologias- Sala- Cozinha- Lavabo- 1 suíte (loft e duplex) ou 2 suítes- Área de serviçoAnálise CriticaDonária O prédio construído de forma diferente dos padrões que nossos olhos sehabituaram a comtemplar nas cidades,com suas aberturas assimétricas e dimensõesdiferentes, num primeiro olhar causa uma certa rejeição, causando estranheza,principalmente por sua cor negra que remete ao negro do asfalto. Seus apartamentos com iluminação natural e bem ventilados, que garantem aseus moradores conforto, além da flexibilidade das plantas, podendo cada um adotaruma configuração diferente. Apesar das vantagens já citadas, o prédio não conta com segurançaadequada, pois tem suas áreas com livre acesso, não contando com uma guarita deguardas na entrada, nem muito menos um gradil, onde se faça distinção entrepúblico e privado. O jardim também necessita de uma intervenção paisagística. Acredito que umapartamento com um valor tão exuberante, deveria oferecer mais aos seusmoradores, pois não há áreas internas de recreação e vivencia.
  16. 16. Stéfanie A primeira vista o prédio me pareceu uma grande desordem, mas isso é pelofato de não haver uma divisão dos ambientes e isso faz com que se possa ter apossibilidade de ter janelas em diferentes lugares. O bairro no qual ele foi implantado já o faz ser um empreendimento de altocusto. Olhando por esse lado econômico ele não parece ser muito atrativo, já que ocomprador vai ter que colocar desde o piso ao forro. Para algumas pessoas esse é ogrande ápice, poder ter o local do jeito que bem quer, mas por outro pesa no bolso. Entretanto, esse tipo de obra é o que mais deve ser investido. Ela é limpa enão padronizada como muitos pequenos apartamentos. Ela atende as necessidadesdo morador a primeira estancia, já que mesmo alguns tendo mais de um dormitórionão comportam tantas pessoas mesmo havendo a possibilidade de mudar osambientes posteriormente. Sem duvida essa ideia será adotada por muitos outros profissionais, por sermais pratica e porque hoje não temos muito mais espaço e pequenos prédios comoesse tem que ser usados de maneira criativa e usual para se ganhar esse mercadoque está crescendo e ficando cada dia mais concorrido.
  17. 17. BibliografiaArquitetônico UFSCDisponível em: <http://www.arquitetonico.ufsc.br/triptyque-architecture>Revista Casa e JardimDisponível em:<http://revistacasaejardim.globo.com/Revista/Common/0,,EMI238310-16930,00-UM+POR+QUATRO+E+TODOS+PELO+TRIPTYQUE.html>O EstadãoDisponível em: <http://blogs.estadao.com.br/daniel-piza/?s=triptyque>Arch DailyDisponível em: <http://www.archdaily.com.br/13719/fidalga-727-triptyque/1294838307-fidalga-727-fran-parente-12/>WikiArqDisponível em: <http://www.wikiarq.com/projetos/1193/loducca-colombia-325/>

×