Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Caso testo lean

Case Study apresentado no âmbito da XXIX Edição da Especialização Lean Management (www.cltservices.net)

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Caso testo lean

  1. 1. Case Study: TESCO – Modelo Logistico dos Frescos Lean Supplier Chain Management 30/06/2020 Miguel Sinval Graça Oliveira Pedro Martins
  2. 2. 1. Caracterizão da TESCO 1.1 Principais Indicadores Tipo de actividade: multinacional britânica com foco principal na área do retalho alimentar, tendo-se diversificado também nas áreas de retalho de: livros, roupas, material electrónico, brinquedos, combustíveis, software, serviços financeiros, telecomunicações e serviços de Internet. Fundada em: 1919 Sede: Welwyn Garden City, Hertfordshire, UK Número de lojas / Número de Colaboradores UK & ROI: 3787 / 340.000 Europa Central: 900 / 50.000 Asia: 2000 / 60.000 Volume de Facturação: £56.9bn (2019) Lucro Operacional: £2.6m (2019) Cota de Mercado UK: 27,4% (Grocery retail market)
  3. 3. 1. Caracterizão da TESCO 1.1 Tipos de Lojas A realização deste trabalho debruçar-se-á apenas sobre as lojas de retalho no UK SMALLSTORESBiGGERSTORES Superstore Extra Metro
  4. 4. A Tesco tem como objectivo geral possuir uma cadeia logistica (frescos) eficiente e eficaz, assegurando que cada loja recebe os frescos, no momento, quantidade e qualidade correcta. Os objectivos específicos focam o aumento dos níveis de serviço (SLAs) e redução de desperdício através de: - Diminuição de rupturas na loja (cliente compra quando quer e onde quer); - Redução de stock com tempo de validade pequena - tempos de entrega menores; - Redução de excessos de produção - colheitas excessivas; - Promoção da relação com o fornecedor, diminuíndo o tempo de resposta; - Planeamento de mudanças sazonais e promoções; - Parcerias com transportadores com transportes diretos e organizados; - Simplificação de processos; - Diminuição de defeitos, garantindo a frescura dos produtos; 2. TESCO – Modelo Logistico dos Frescos 2.1 Objetivo do case study
  5. 5. 2. TESCO – Modelo Logistico dos Frescos 2.2 Descrição da cadeia logistica
  6. 6. Estado anterior: Estado actual: - Stock elevados (produtos pericíveis) - Rupturas na loja - Prazos de validade curto - Erros de encomenda / picking - Processos morosos e ineficientes 2. TESCO – Modelo Logistico dos Frescos 2.3 Caracterização dos estados: anterior e actual - Aplicação de system Pull - Abastecimentos contínuos - Foco no fornecedor (Win-Win): - Relação de proximidade - Contractos de longa duração - Foco no cliente: - Produtos frescos disponíveis quando quer e onde querAcções desenvolvidas: - Aplicação de metolodogias Lean - Implementação de Sistema RFID - Criação de portal (TESCO LINK)
  7. 7. - Aplicação metodologias da Toyota, JIT, Jidoka em toda a cadeia de distribuição; - Eco-sistema informático que agiliza: - Feedback entre fornecedor e centro de distribuição; - Geração de pedidos, quer de loja, quer de centros; - Gestão de necessidades e stocks; - Tecnologia que facilita carga e descarga de material (RFID, sistema de armazenamento automatizado) - Centros de distribuição localizados estrategicamente nas zonas com maiores rotas de carga; - Sistema de entrega padronizada, de forma a optimizar espaço e tempo de cargas/descargas; - Padronização de embalagem e material de transporte para optimizar segurança e espaço nas cargas transportadas; - Frota interna e parcerias de logística para reduzir tempos/custos de entrega/transporte - Análise do impacto dos produtos sazonais e de promoção e resposta em concordância nos centros de distribuição e nos pedidos aos fornecedores 2. TESCO – Modelo Logistico dos Frescos 2.4 Identificação das boas prácticas
  8. 8. 2. TESCO – Modelo Logistico dos Frescos 2.5 Implementação das boas prácticas (Empresa PGM) Boas práticas identificadas do caso de estudo que podem ser implementadas na nossa empresa (PGM): - Criação de um portal informático, em que o cliente aceita as encomendas colocadas pela PGM e actualiza em tempo real o estado de cada encomenda (encomenda aceite, em curso, pronto a expedir); - Feedback continuo entre fábrica/forneçedor/cliente; - Sistema padronizado de embalagem para cargas (dimensões das caixas pré-definidas, com abastecimento directamente no armazém); - Frequência de entregas ajustadas à necessidades com vista à redução de stocks e obsolescência; - Análise e ajuste de impactos sazonais/promoções na venda de materias-primas. - Estabalecimento de parceiras com fornecedores através de contractos de 3 anos, para permitir ao fornecedor o investimento em inovação

×