Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Coesão

1,087 views

Published on

Coesão Textual

Published in: Education
  • Login to see the comments

Coesão

  1. 1. COESÃO José Antonio Ferreira da Silva - ISEP Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  2. 2. Coesão Textual ● interligação dos elementos linguísticos na superfície do texto. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  3. 3. Coesão Textual ● Palavras como preposições, conjunções e pronomes possuem a função de criar um sistema de relações, referências e retomadas no interior de um texto; garantindo unidade entre as diversas partes que o compõe. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  4. 4. Coesão Referencial  Em um texto bem amarrado, isto é, coeso, há termos (pronomes e advérbios) que retomam palavras já citadas (Anáfora) e termos que introduzem novas palavras (Catáfora): A voz, o sorriso cínico, a leviandade das opiniões, tudo me irritava. Tudo me irritava: a voz, o sorriso cínico, a leviandade das opiniões. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  5. 5. Coesão Referencial  Outro recurso de coesão referencial é a substituição. Os termos já citados são substituidos por outros similares para evitar a repetição.  As principais formas coesão referencial por substituição são: nominalização, nome genérico, sinônimo e hiperônimo. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  6. 6. Coesão Referencial  Nominalização: consiste em transformar em substantivos palavras de outras classes gramaticais: (Amar – amor / Esperto – esperteza / Necessitar – necessidade etc.) Eu o amei desde que nos vimos pela primeira vez. Pensei que você também compartilhasse desse amor, enganei-me. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  7. 7. Coesão Referencial  Nome genérico: consiste em empregar nomes genéricos, abstratos, vagos, imprecisos para retomar um termo já citado: (coisa, negócio, problema, situação, pessoa, fato, fenômeno, algo etc.) O exagero de tempo dedicado aos videogames sempre nos preocupa. A coisa não deve passar dos limites. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  8. 8. Coesão Referencial  Sinônimo: emprego de expessões sinônimas, equivalentes: (Fé – convicção, crença, confiança. Ajudar – auxiliar, socorrer, assistir, amparar) Às crianças cabe levar a sério a brincadeira. Não será eficiente se os infantes desrespeitarem as regras dos videogames. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  9. 9. Coesão Referencial  Hiperônimo: palavra de significado genérico que abrange outras de sentido específico, podendo substitui-las em qualquer situação: (Calçado – sandália, chinelo, sapato, bota, tênis etc.) A lição que me deram com o famoso videogame Mario Brothers foi ainda melhor. Não tendo a paciencia de meus filhos eu vivia cortando caminho pelos vários atalhos existentes no jogo. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  10. 10. Coesão Sequencial  Consiste em utilizar conjunções, advérbios e expressões de ligação (operadores argumentativos) para amarrar o sentido de um texto, fazendo com que o tema progrida ao estabelecer relações lógicas entre as partes.  As conjunções são os principais operadores argumentativos: Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  11. 11. Coesão Sequencial  Pode-se dividir as conjunções em dois grandes grupos: as coordenativas (introduzem orações coordenadas) e as subordinativas (introduzem orações subordinadas).  As coordenativas são de 5 tipos. As subordinativas que introduzem orações adverbiais são de 9 tipos. As subordinativas que introduzem orações substantivas são de 2 tipos. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  12. 12. Tipo Ideia que encerra Principais Conjunções ou Locuções conjuntivas 1 - Aditiva Soma, adição, acréscimo, fatos sucessivos ou simultâneos. e, nem, mas também, mas ainda, não só, como também. 2 - Adversativa Oposição mútua entre dois fatos, contraste, restrição, adversidade, retificação. mas, porém, contudo, entretanto, todavia, no entanto, não obstante. 3 - Alternativa Fatos que se alternam ou se excluem mutuamente. ou, ou...ou, ora...ora, quer...quer, já...já, umas vezes...outras vezes, seja...seja, talvez...talvez. 4 - Conclusiva Conclusão lógica sobre um raciocínio expresso anteriormente. logo, portanto, por isso, por conseguinte, pois (depois do verbo), assim, então, em vista disso. 5 - Explicativa Justificativa de uma opinião, explicação, motivo, razão. que, porque, porquanto, pois (antes do verbo) senão (quando equivale a porque).Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  13. 13. 1 – Não só fez a sua parte, mas também ajudou a mãe. (Orações coordenadas sindéticas aditivas) 2 – Pedro fuma, e não traga. (Oração coordenada sindética adversativa) 3 – Ou você me engana, ou não está madura. (Orações coordenadas sindéticas alternativas) 4 – Meu carro está estragado, portanto não viajarei com ele. (Oração coordenada sindética conclusiva) 5 – Vamos embora, que a chuva vai desabar. (Oração coordenada sindética explicativa ) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  14. 14. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 1 - Causal Porque, já que, visto que, como, uma vez que Indica a causa que provoca o fato expresso na oração principal. Não fui ao jogo porque choveu muito. (“chover” é a causa de “não ir ao jogo”) 2- Condicional Se, caso, contanto que, desde que, a menos que Exprime a condição necessária para a ocorrência do fato referido na oração principal. Ele virá, contanto que tu peças. (“pedir” é a condição para ela “vir”) 3- Conformativa Conforme, como, segundo, consoante Exprime a conformidade de um pensamento com outro, existente na oração principal. Ele agiu como manda o regulamento. (Ele não agiu de qualquer jeito, ele agiu conforme manda o regulamento) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  15. 15. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 4 - Concessiva Embora, se bem que, ainda que, mesmo que Exprime um fato que poderia impedir o fato da ação principal, mas não o impede. Mesmo que chova, irei ao jogo. (“chover” poderia impedi-lo de “ir ao jogo”, mas não impedirá) 5 - Comparativa Que, do que, como, mais... que, menos... que Estabelece uma comparação com o fato expresso na oração principal. O rapaz chorava como uma criança. (Ele chorava “igual” uma criança [chora]. Note que na oração subordinada o verbo está subentendido ) 6 - Consecutiva Tão que, tanto que, tamanho que, tal que Indica a conseqüência ou o resultado do fato expresso na oração principal. Choveu tanto, que não fui ao jogo. (“não ir ao jogo” é o resultado de “chover tanto”) Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  16. 16. Oração Subordinada Adverbial Principais Conjunções Circunstância expressa por esse tipo de oração Exemplo 7 - Final Para que, a fim de que, que Exprime a finalidade, o objetivo do fato expresso na oração principal. Para que você me ouça bem, gritarei. (O objetivo de “gritar” é “você ouvir bem”) 8 - Proporcional À proporção que, à medida que, quanto mais... mais Indica um fato que ocorre simultaneamente e proporcionalmente ao fato expresso na oração principal. Quanto mais fala, mais ele se confunde. (“falar e confundir-se” são fatos proporcionais e simultâneos) 9 - Temporal Quando, enquanto, logo que, desde que Expressa o tempo de ocorrência do fato da oração principal. Ele a odeia, desde que ela o traiu. (A segunda oração indica quanto tempo faz que “ele a odeia”. Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  17. 17. John Lennon chegou mais tarde em casa no dia 8 de dezembro de 1980. John Lennon tinha hábitos diferentes. John Lennon estava contrariando os hábitos costumeiros. John Lennon ocupara o trono de maior astro da música pop internacional. John Lennon havia se transformado em um pacato homem doméstico. John Lennon cuidava do filho Sean, de cinco anos. John Lennon preparava-se para lançar um álbum, “Double Fantasy”, com a esposa de John Lennon, Yoko Ono. Na noite do dia 8 de dezembro de 1980, John Lennon chegou à uma hora da manhã. John Lennon não chegou a entrar no edifício Dakota, em Nova York. John Lennon morava no edifício Dakota, em Nova York. John Lennon foi recebido por cinco tiros, disparados por um desconhecido. O desconhecido saltou do crime para a prisão. O desconhecido chamava-se Mark Chapman. COESÃO TEXTUAL Prof. José Antonio Ferreia da Silva
  18. 18. John Lennon chegou mais tarde em casa no dia 8 de dezembro de 1980. Ele tinha hábitos diferentes, portanto Ø estava contrariando os hábitos costumeiros. Depois que Ø ocupara o trono de maior astro da música pop internacional, o ex- Beatle havia se transformado em um pacato homem doméstico: Ø cuidava do filho Sean, de cinco anos, e Ø preparava-se para lançar um álbum, “Double Fantasy”, com a sua esposa, Yoko Ono. Na noite do dia 8 de dezembro de 1980, o ídolo do rock chegou à uma hora da manhã, mas Ø não chegou a entrar no edifício Dakota, em Nova York, onde Ø morava. Lennon foi recebido por cinco tiros, disparados por um desconhecido, chamado Mark Chapman, que saltou do crime para a prisão. COESÃO TEXTUAL Prof. José Antonio Ferreia da Silva

×