Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Upcoming SlideShare
What to Upload to SlideShare
Next
Download to read offline and view in fullscreen.

0

Share

Download to read offline

Boletim o pae julho 2018

Download to read offline

Boletim informativo

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to like this

Boletim o pae julho 2018

  1. 1. 1 A percepção da “culpa” tem sido objeto de investigações e in- fluências no amplo debate temá- tico da Doutrina dos Espíritos e das ciências psíquicas. Sabe-se que são intermináveis e graves as consequências da conservação da “culpa” em nossa vida, podendo alcançar indescritíveis destroços emocionais, psicológicos, compor- tamentais e morais. A famosa “culpa” se consubs- tancia numa sensação de angústia adquirida após reavalia- ção de um ato tido como reprovável por nós mes- mos, ou seja, quando transgredimos as nor- mas da nossa consciên- cia moral. Sob o ponto de vis- ta religioso, a “culpa” advém da transgres- são de algo “proibido” ou de uma norma de fé. A sanção religiosa tange para a reprimenda e condenações punitivas. A sinis- tra “culpa” religiosa significa um estado psicológico, existencial e subjetivo, que indica a busca de expiação de faltas ante o “sagrado” como parte da própria autoilumi- nação como experiência sectária. Frequentemente a religião trata a “culpa” como um sentimento im- prescindível à contrição e à melho- ria pessoal do infrator, pois o mes- mo alcança a mudança apenas se reconhecer como “pecaminoso”o ato cometido. Essa interpretação religiosa não se compatibiliza com as pro- postas espíritas, até porque a “culpa” é uma das percepções psíqui- cas que não se deve nutrir, por ser uma espé- cie de mal-estar estéril, uma inútil insatisfação íntima. Em verdade, quando nos culpamos tolhemos todo o poten- cial de nos manifestar com segurança perante a vida. A “culpa” tem perigosas matri- zesnasexigênciasdeautoperfeição que nos constrange a curvar-nos diante de alguns atos equivocados. Informativo Mensal do Posto de Assistência Espírita - Ano IV, Número 35 - Julho/2018. Como enfrentar as “culpas” sem desculpas?- Editorial / Jorge Hessen -
  2. 2. 2 Tal estado psicoemocional provoca em nossa consciência alguns senti- mentos prejudiciais tais como o au- tojulgamento, a autocondenação e a autopunição. Importa libertar-nos das lamentações, dos processos psicológicos de transferência da “culpa”, da autocomiseração, das condutas autopunitivas e assumir- mos com calma a responsabilidade pelos nossos próprios atos. É verdade! O comportamen- to autopunitivo causa gravíssimas doenças emocionais, notadamente a depressão. Atualmente a depres- são é um colossal drama humano. “Eu não mereço ser feliz”, “eu não nasci para ser amado”, “ninguém gosta de mim” etc. Aqui se manifes- ta um comportamento autopunitivo de complicado tratamento psicoló- gico e espiritual. Neste caso a “cul- pa” está punindo e aprisionando. O culpado está acomodado na quei- xa e na lamentação (pela “culpa”). Mais amadurecido psicologicamen- te poderia avançar pelo caminho do autoperdão e capacitaria abrir mais o coração para a vida. Nas patologias depressivas, muitas vezes há muito ódio guar- dado no coração. Muitas vezes oscilamos entre atos que geram a artimanha do “desculpismo” e ações que determinam a “culpa”. Dependendo de como lidamos com tais desafios, a “culpa” permanece mais forte, produzindo situações que embaraçam o estado psíqui- co e emocional, razão pela qual não nos podemos exigir perfeição, inobstante, devemos fazer esfor- ços contínuos de autoaperfeiçoa- mento, afastando do “desculpismo” que nada mais é do que uma porta de escape para a fuga das próprias obrigações. Sim! É preciso que nos per- doemos. O autoperdão ilumina a consciência, predispondo-nos à re- paração necessária a fim de reali- zarmos o bem àqueles a quem fize- mos o mal; praticarmos a bondade em compensação ao mal praticado, isto é, tornando-nos humildes se temos sido orgulhosos, amáveis se temos sido austeros, caridosos se temos sido egoístas, benignos se se temos sido perversos, laborio- sos se temos sido ociosos, úteis se temos sido inúteis. Pensemos o seguinte: nós er- ramos porque somos humanos ou somos humanos porque erramos? Na verdade, todos acertamos e er- ramos, não há pessoas perfeitas na Terra. Se fizermos as coisas cer- tas nos regozijemos por isso, po- rém se erramos sigamos em fren- te e aprendamos com o erro, pois quando aprendemos com os erros eles se tornam o grande caminho da lição e do crescimento interior. Dessa forma, fica ilustrado que, se errar é humano, diluir os erros e ter resignação são as alavancas para impulsionar a vida, para prosseguir a marcha nas trilhas do bem, traba- lhando e servindo, para reparar os fracassos da caminhada.
  3. 3. 3 ............ Espaço da Codificação ............ O Livro dos Espíritos, questão 393 Em cada nova existência, o homem dispõe de mais inteligência e melhor pode distinguir o bem do mal. Onde o seu mérito se se lembrasse de todo o passado? Quando o Espírito volta à vida anterior (a vida espírita), diante dos olhos se lhe estende toda a sua vida pretérita. Vê as faltas que cometeu e que deram causa ao seu sofrer, assim como de que modo as teria evitado. Reconhece justa a situação em que se acha e busca então uma existência capaz de reparar a que vem de transcorrer. Escolhe provas análogas às de que não soube aproveitar, ou as lutas que considere apropriadas ao seu adiantamento e pede a Espíritos que lhe são superiores que o ajudem na nova empresa que sobre si toma, ciente de que o Espírito, que lhe for dado por guia nessa outra existência, se esforça- rá pelo levar a reparar suas faltas, dando-lhe uma espécie de intuição das em que incorreu. Tendes essa intuição no pensamento, no desejo criminoso que frequentemente vos assalta e a que instintivamente resistis, atribuindo, as mais das vezes, essa resistência aos princípios que recebestes de vossos pais, quando é a voz da consciência que vos fala. Essa voz, que é a lembrança do passado, vos adverte para não recairdes nas faltas de que já vos fizestes culpados. Em a nova existência, se sofre com coragem aquelas provas e resiste, o Espírito se eleva e ascende na hierarquia dos Espíritos, ao voltar para o meio deles. Livro: O Consolador / Chico Xavier / FEB Questão 336 O culpado arrependido pode receber da justiça divina o direito de não passar por determinadas provas? A oportunidade de resgatar a culpa já constitui em si mesma, um ato de misericórdia divina, e, daí, o considerarmos o trabalho e o esforço próprio como a luz maravilhosa da vida. Entendendo, todavia, a questão à generalidade das provas; devemos concluir ainda, com o ensinamento de Jesus, que “o amor cobre a multidão dos pecados”, traçando a linha reta da vida para as criaturas e representando a única força que anula as exigências da lei de talião, dentro do Universo infinito. Refletindo com Emmanuel
  4. 4. 4 - Mural do DIJ/PAE - Matricule seu filho na Evangelização! Turmas dos 3 aos 21 anos. Aos sábados das 18h às 19h. Não perca essa oportunidade. Conselho Diretor - Presidente: Jorge Hessen / Vice-Presidente: João Batista Secretário: Josias da Silva/2.º Secretário: Walter A. Costa/Tesoureira: Diomarsi Souza Conselho Fiscal - Wilson Barbosa, Jurandir Correia e Ismael de Jesus Editores - Jorge Hessen e Fabiano Augusto Site - Departamento de Formação Doutrinária - http://opaespirita.wixsite.com/opae Blog - http://paespirita.blogspot.com.br/ QNM 40 AE N.° 2, Taguatinga Norte/DF - Fone: (61) 3491-2552 Expediente Reuniões Públicas - Escala do Mês de Julho SÁBADOS / 18 HORAS Dia Palestrante 07 - Jorge Hessen (PAE) 14 - Walid El Koury (CECF) 21 - Mauricio Curi (Atualpa) 28 - Fabiano Augusto (CEFE) Fotos da construção do pavilhão “João Alves” QUARTAS-FEIRAS / 20 HORAS Dia Palestrante 04 - Sergio Rossi (Paulo de Tarso) 11 - Jorge Hessen (PAE) 18 - Renata Dourado (Inst. Vida) 25 - Carlos Sá (FEB)

Boletim informativo

Views

Total views

74

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

1

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×