Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Boletim o pae julho 2019 (1)

Boletim informativo

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Boletim o pae julho 2019 (1)

  1. 1. 1 Era uma manhã agradável de 27 de fevereiro de 1977, aragem so- prava leve por entre a folhagem da laranjeira que tínhamos no quintal. Era um sábado carregado de espe- ranças. Eu, Carlos Augusto, Jorge Hessen, Wilson Reis e Aldeci Carvalho, relativa- mente jovens, tínhamos a sensação de termos trazido de esfera próxima algo de inexplicável, da dimensão dos sonhos. Fabiano Augusto, com seus 6 anos, a tudo assistia como se estivesse adivinhando sua participa- ção nos trabalhos futuros. Já praticávamos algumas ativi- dades doutrinárias, mas queríamos fazer mais em nosso idealismo. Assalariados, quase não tínhamos recursos. No entanto, fomos em fren- te. Outros companheiros aderiram ao projeto inicial de mais servir. João Alves, Wilaldo Petrocoski, Rosângela Rodrigues, Amaro Raimundo, Edmundo Montalvão, Glória Cavalcanti, João Batista Cavalcanti e outros, juntaram-se ao grupo, tra- zendo energias e recursos novos. Adquirimos o terreno à prestação na TERRACAP e começamos a erguer o primeiro prédio com as próprias mãos. As reuniões do grupo eram feitas no chão batido. Sentíamo-nos como os primeiros cristãos, ambiente de total simplicidade e pureza doutrinária. As incertezas eram muitas, mas seguíamos trabalhando. Construímos o segundo e o terceiro prédios para palestras públicas, gru- pos de estudo e evange- lização de crianças. Terminávamos as do- mingueiras com lanches e muita alegria. Cestas básicas, sem- pre que possível, eram distribuídas. Não foram poucos os domingos em que ficávamos quase todos no PAE, animados e confiantes, pela tar- de adentro. Hoje (15/6/2019), data em que se comemora a sua reinauguração, em seus 42 anos de vida, lamentan- do não poder estar presente, sinto- me profundamente feliz por ter sido um dos pioneiros dessa instituição tão produtiva, operando sempre em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a Ele, o Mestre Divino, a quem devemos todas as bênçãos recebi- das, que endereçamos nossas pre- ces nesses momentos históricos. Informativo Mensal do Posto de Assistência Espírita - Ano V, Número 46 - Julho/2019. Editorial / Carlos Augusto Carta aos amigos do PAE
  2. 2. 2 Mensagem dos amigos espirituais do PAE As múltiplas experiências do cotidiano são configuradas com diferentes tonalidades que repercutem consoante o estágio moral e a ótica de quem já adquiriu a aptidão de aprender com a vida. Do momento em que penetramos os exercícios da vigília nos é facultada a compe- tência de deliberar entre o que precisamos e podemos fazer e o que podemos, mas não precisamos fazer a cada ocasião da vigília conscienciosa da vida fisiológica. É importante avaliar o tempo para o devido mister dos correspondentes talentos, tendo como desígnio o bem do próximo. A cada dia basta seu próprio mal, proferia Jesus, e sa- bemos que o mal, em si mesmo, é circunstancial e efêmero, porque o mal é a ausência do bem tanto quanto a noite é ausência do Sol. Frequentemente desfalecemos quando as provocações da prova são encaradas como intransponíveis, que, a rigor, refletem tão-somente a má vontade que ronda a vida dos incautos. Não lhes podemos oferecer abrigo para que a ansiedade não inunde o campo psicológico. Procuremos nos ânimos espontâneos ou involuntários evitar a imponderação que pode projetar-nos aos precipícios do abatimento e do comodismo. É na preguiça que consentimos que nossa mente navegue pelos desvãos do desgosto, que a rigor, nada mais é do que espelho da não aceitação da dor consequente às transgressões das leis divinas que governam a consciência de todos. Cada amanhecer, ao regressarmos do mundo letargo do sono, despertemos sob o pálio da compaixão do Criador, alimentando o entusiasmo perante a forçosa e imprescindí- vel prova existencial, que nos impele para dianteira na rota infindável da marcha rumo ao Criador. Carreguemos nossas mentes com os eflúvios serenos da oração, a fim de regar a lavoura dos nossos empenhos e sonhos, e isso propiciará a florescência da hegemonia do bem sobre o mal, no exercício que precisa estrear em nossa intimidade. Não nos permitamos abater diante dos crisóis das provas que necessitamos enfrentar e avigoremos o autoamor em nosso dia a dia. Saboreemos percorrer amorosamente dentro do nosso mundo interno e descobriremos que merecemos e somos capazes de delinear a vida no bem ininterrupta e persistentemente sem espaços para o temor e/ou desfalecimento. Todos ainda estamos como aprendizes da vida e quais colegiais urge cedamos can- chas para a disciplina das lições diárias que precisamos aprender ao nos observar na intimi- dade. Desta forma, identificaremos nossas disposições positivas ou indesejáveis e desco- briremos que somos virtualmente fortes para descerrar a cortina que oculta nossos valores morais, em face da sombra do nosso “eu” despovoado. A humanidade na Terra é a soma de cada persona e cada “eu”, no conjunto dos empe- nhos de cada um, o mundo material há de se transformar sob a batuta do grande Regente da vida. Não permitam, pois, que as cores densas da indolência moral do cotidiano ensombrem os brilhos do amor que cada qual traz, com a capacidade de propor e manter a tonalidade da leveza e do encanto. Não permitam, pois, que seus olhos funestos antolhem os olhos imortais do espírito que jamais morrerá. Amem-se e imprimam a cada manhã a cor do amor inundando a natureza de harmonia. Se permanecerem galgando a montanha e no processo natural do aperfeiçoamento, que o façam com prudência, coragem e entusiasmo, a fim de chegarem ao ponto máximo para o qual decidiram rumar. Psicografado no grupo de desobsessão do sábado - 25/5/2019.
  3. 3. 3 ............ Espaço da Codificação ............ O Céu e o Inferno Primeira parte, capítulo 3, item 12. A felicidade dos Espíritos bem-aventurados não consiste na ociosidade contemplativa, que seria, como temos dito muitas ve- zes, uma eterna e fastidiosa inutilidade. A vida espiritual em todos os seus graus é, ao contrário, uma constante atividade, mas ativi- dade isenta de fadigas. A suprema felicidade consiste no gozo de todos os esplendores da Criação, que nenhuma linguagem humana jamais poderia descrever, que a imaginação mais fecunda não poderia conceber. Consiste também na penetração de todas as coisas, na ausência de sofrimentos físicos e morais, numa satisfação in- tima, numa serenidade d’alma imperturbável, no amor que envolve todos os seres, por causa da ausência de atrito pelo contato dos maus, e, aci- ma de tudo, na contemplação de Deus e na com- preensão dos seus mistérios revelados aos mais dignos. A felicidade também existe nas tarefas cujo encargo nos faz felizes. Os puros Espíritos são os Messias ou mensageiros de Deus pela transmissão e execu- ção das suas vontades. Preenchem as grandes missões, presidem a formação dos mundos e a harmonia geral do Universo, tarefa glo- riosa a que se não chega senão pela perfeição. Os da ordem mais elevada são os únicos a possuírem os segredos de Deus, inspiran- do-se no seu pensamento, de que são diretos representantes. Cap. 26 - OS ESCLARECIMENTOS DO ESPIRITISMO Livro “Emmanuel”, autor Emmanuel Foi assim que a religião da verdade surgiu na Terra, no momento oportuno. As Igrejas estagnadas encontravam-se no obsoletismo, inca- pazes de sancionar as ideias novas, vivendo quase que exclusivamente das suas características de materialidade e do seu simbolismo, termina- do o tempo de sua necessária influência no mundo. As conquistas cien- tíficas não se coadunavam com o espírito dogmático, e o Espiritismo, com as suas lições magníficas, alargou infinitamente a perspectiva da vida universal. Explicando e provando que a existência não se observa somente na face da Terra opaca e cheia de dores.
  4. 4. 4 Conselho Diretor - Presidente: Jorge Hessen / Vice-Presidente: João Batista Secretário: Josias da Silva/2.º Secretário: Walter A. Costa/Tesoureira: Diomarsi Souza Conselho Fiscal - Wilson Barbosa, Jurandir Correia e Ismael de Jesus Editor - Jorge Hessen / Diagramador: Fabiano Augusto Site - Departamento de Formação Doutrinária - http://opaespirita.wixsite.com/opae Blog - http://paespirita.blogspot.com.br/ DFD http://opaespirita.wixsite.com/opae/blank-phzg1 QNM 40 AE N.° 2, Taguatinga Norte/DF. Expediente Reuniões Públicas - Escala do Mês de Julho SÁBADOS / 18 HORAS Dia Palestrante 06 - Jorge Hessen (PAE) 13 - José Passini 20 - Edmilson (Cantinho da Fé) 27 - Caio Lucídio (CEPT) QUARTAS-FEIRAS / 20 HORAS Dia Palestrante 03 - Carlos Alberto (CEFE) 10 - Edmar Jorge (C. FRAT.) 17 - Jorge Hessen (PAE) 24 - José Luiz (CEAL) 31 - Sérgio Rossi (CEPT) Matricule seu filho na evangelização do PAE. Turmas dos 3 aos 21 anos. Sábados das 18h às 19h. Equipe DIJ Livro: Agora é o tempo Médium: Chico Xavier Trecho do capítulo “Agora é o tempo” Editora: Ideal O trabalho capaz de livrar-nos de controvérsias é aquele que realizamos por nós mesmos. O trabalho esquecido é uma força que se voltará contra nós. O trabalho adiado costuma impelir-nos a muitas surpresas desagradáveis. O trabalho que mais nos aflige é aquele que precisamos fazer e não fazemos. Refletindo com Emmanuel

×