Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

0

Share

Download to read offline

Boletim OPAE dezembro

Download to read offline

Boletim do Posto de Assistência Espirita Brasilia

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to like this

Boletim OPAE dezembro

  1. 1. 1 A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nes- sa terça-feira (29/11/2016) des- criminalizar o aborto no primeiro trimestre da gravidez. Com essa deliberação o Brasil ingressa na lista dos países que chacinam nas- cituros de até 90 dias de vida nos ventres maternos. Um nascituro é um feto. No Direito progamático é grande a controvérsia se tal feto pode ser consi- derado um ser humano quanto à sua persona- lidade jurídica (pois ter “vida” não é sinônimo de ter “vida humana”) e so- bre quais direitos tal feto possui, se é que possui. O Brasil, pretensa- mente “Pátria do Evangelho”, em- barca na contramão da história. Vejamos, sempre houve leis se- veras contra a prática do aborto na Humanidade. No século XVIII a.C., o Código de Hamurabi destacava aspectos da reparação devida a mulheres livres em casos de abor- tos provocados, exigindo o paga- mento de 10 siclos pelo feto morto. Na Grécia antiga, as leis de Licurgo e de Sólon e a legislação de Tebas e Mileto tipificavam o aborto como crime. Hipócrates, uma das figuras mais importantes da história da saú- de, frequentemente considerado “pai da medicina”, negava o direito ao aborto e exigia dos médicos jurar não dar às mulheres bebidas fatais para a criança no ventre. Na Idade Média, a Lex Romana Visigothorum editava penas severas contra o aborto. O Código Penal francês de 1791, em ple- na Revolução Francesa, determinava que todos os cúmplices de abor- to fossem flagelados e condena- dos a 20 anos de prisão. O Código Penal francês de 1810, promulga- do por Napoleão Bonaparte, pre- via a pena de morte para o aborto. Posteriormente, a pena de morte foi substituída pela prisão perpétua. Além disso, os médicos, farmacêu- ticos e cirurgiões eram condenados Informativo Mensal do Posto de Assistência Espírita - Ano II, Número 17 - Dezembro/2016. Infeliz é a nação que permite assassínios de nascituros Editorial Jorge Hessen
  2. 2. 2 ............ Espaço da Codificação ............ “O Livro dos Espíritos” - Questão 358 Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação? “Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.” a trabalhos forçados. Se os ditos tribunais humanos condenam a prática do aborto, as Leis Divinas, por seu turno, atuam inflexivelmente sobre os que alu- cinadamente o provocam. Fixam essas leis no tribunal da própria consciência culpada, tenebrosos processos de resgate que podem conduzir ao câncer e à loucura, agora ou mais tarde. Não nos enganemos, a medici- na que executa o aborto nos países que já legalizaram o assassinato do bebê no ventre materno é uma me- dicina criminosa. No Brasil, a taxa de interrupção de gravidez é as- sombrosa. Essa situação fez surgir no país grupos dispostos a legalizar o aborto, torná-lo fácil, acessível, higiênico, “juridicamente corre- to”. Contudo, ainda que isso seja legalizado, JAMAIS esqueçamos que o aborto ilegal ou legalizado SEMPRE será um CRIME perante as Leis Divinas! Não censuramos aqueles que estão sob o impacto de consciência pesada em face do aborto já consu- mado, até para que não caiam na vala profunda do desalento. Para quem já abortou convém lembrar o seguinte: errar é aprender, contu- do, ao invés de se fixar no remor- so, precisa aproveitar a experiência como uma boa oportunidade para discernimento no futuro. Libertar- se da culpa é colocar-se diante das consequências dos atos com a disposição de resolvê-las, corajosa- mente. A adoção de criança órfãs é excelente prática de soerguimen- to moral. Pode-se, também, fazer opção por uma atividade, onde se esteja em contato direto, corpo a corpo, com crianças carentes de carinho, de amparo, de colo e cui- dados pessoais em creches, esco- las, hospitais, orfanatos etc. Qual será o futuro do Brasil abortista? Que Deus tenha misericórdia dos brasileiros!
  3. 3. 3 Livro: Religião dos Espíritos Psicografia: Chico Xavier Editora: FEB Aborto Delituoso Comovemo-nos, habitualmente, diante das grandes tragédias que agitam a opinião. Homicídios que convulsionam a imprensa e mobilizam largas equi- pes policiais... Furtos espetaculares que inspiram vastas medidas de vigilância... Assassínios, conflitos, ludíbrios e assaltos de todo jaez criam a guer- ra de nervos, em toda parte; e, para coibir semelhantes fecundações de ignorância e delinqüência, erguem-se cárceres e fundem-se algemas, organiza-se o trabalho forçado e em algumas nações a própria lapidação de infelizes é praticada na rua, sem qualquer laivo de compaixão. Todavia, um crime existe mais doloroso, pela volúpia de crueldade com que é praticado, no silêncio do santuário doméstico ou no regaço da Natureza... Crime estarrecedor, porque a vítima não tem voz para suplicar pie- dade e nem braços robustos com que se confie aos movimentos da reação. Referimo-nos ao aborto delituoso, em que pais inconscientes determinam a morte dos pró- prios filhos, asfixiando lhes a existência, antes que possam sorrir para a bênção da luz. Homens da Terra, e sobretudo vós, cora- ções maternos chamados à exaltação do amor e da vida, abstende-vos de semelhante ação que vos desequilibra a alma e entenebrece o cami- nho! Fugi do satânico propósito de sufocar os re- bentos do próprio seio, porque os anjos tenros que rechaçais são mensageiros da Providência, assomastes no lar em vosso próprio socorro, e, se não há legislação hu- mana que vos assinale a torpitude do infanticídio, nos recintos familiares ou na sombra da noite, os olhos divinos de Nosso Pai vos contemplam do Céu, chamando-vos, em silêncio, às provas do reajuste, a fim de que se vos expurgue da consciência a falta indesculpável que perpetrastes. Refletindo com EmmanuelRefletindo com Emmanuel
  4. 4. 4 Conselho Diretor - Presidente: Wilson Barbosa / Vice-Presidente: Jorge Hessen Secretária: Diomarsi Souza / 2.º Secretário: Josias da Silva Tesoureiro: João Batista Conselho Fiscal - José Amin, Francisco Soares e Marcos Marques Editores - Jorge Hessen e Fabiano Augusto Site - http://opaespirita.wixsite.com/opae Blog - http://paespirita.blogspot.com.br/ QNM 40 AE N.° 02, Taguatinga Norte/DF - Fone: (61) 3491-2552 Expediente Sábados - 18 horas Dia 3 - Jorge Hessen (PAE) Dia 10 - José Matos (C.E. Alvorada Cristã) Dia 17 - Sidney de Paula (FEB) Dia 24 - Antônio Dias (Irmão Manoel) Dia 31 - Carlos Sá (FEB) Quartas-feiras - 20 horas Dia 7 - Francisco Soares (PAE) Dia 14 - Cirne Ferreira (FEB) Dia 21 - Maria Omilta (PAE) Dia 28 - Arildo Marques (B. Menezes) Quadro de Reuniões Públicas e Expositores do Mês de Dezembro Anotações oportunas Cap.15 do Livro “Ação e Reação” - André Luiz/Chico - Ed. FEB. “– E o aborto provocado, assistente? – inquiriu Hilário, sumamente interessa- do. – Diante da circunspecção com que a sua palavra reveste o assunto, é de se presumir seja ele falta grave... – Falta grave?! Será melhor dizer doloroso crime. Arrancar uma criança ao materno seio é infanticídio confesso. A mulher que o promove ou que venha a coonestar semelhante delito é constrangida, por leis irrevogáveis, a sofrer alte- rações deprimentes no centro genésico de sua alma, predispondo-se geralmente a dolorosas enfermidades, quais sejam a metrite, o vaginismo, a metralgia, o enfarte uterino, a tumoração cancerosa, flagelos esses com os quais, muita vez, desencarna, demandando o Além para responder, perante a Justiça Divina, pelo crime praticado. É, então, que se reconhece rediviva, mas doente e infeliz, por- que, pela incessante recapitulação mental do ato abominável, através do remor- so, reterá por tempo longo a degenerescência das forças genitais. – E como se recuperará dos lamentáveis acidentes dessa ordem? O Assistente pensou por momentos rápidos e acrescentou: – Imaginem vocês a matriz mutilada ou deformada, na mesa da cerâmica. De- certo que o oleiro não se utilizará dela para a modelagem de vaso nobre, mas apro- veitar-lhe-á o concurso em experimentos de segunda e terceira classe... A mulher que corrompeu voluntariamente o seu centro genésico receberá de futuro almas que viciaram a forma que lhes é peculiar, e será mãe de criminosos e suicidas, no campo da reencarnação, regenerando as energias sutis do perispírito, através do sacrifício nobilitante com que se devotará aos filhos torturados e infelizes de sua carne, aprendendo a orar, a servir com nobreza e a mentalizar a maternidade pura e sadia, que acabará reconquistando ao preço de sofrimento e trabalho justos...”

Boletim do Posto de Assistência Espirita Brasilia

Views

Total views

61

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

0

Actions

Downloads

2

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×