Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Conjunto Habitacional - Copromo

9,878 views

Published on

Apresentação desenvolvida a partir de breve análise do Conjunto Habitacional Copromo.
2º Semestre Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Puc Campinas

Conjunto Habitacional - Copromo

  1. 1. Conjunto Habitacional COPROMO Associação pró moradia de Osasco
  2. 2. AUTORES DO PROJETO: USINA - Centro de Trabalhos para o Ambiente Habitado; Arquitetura: Fernando Nociti, Gilberto Machado Rizzi, João Marcos de A. Lopes, José Corrêa do Prado, Mario Luís Braga, Vladimir Benicasa, Wagner Germano, Sérgio Roberto Mancini. Estruturas: Yopanan Rebello Colaboradores: O projeto foi desenvolvido pela Usina-Centro de Trabalhos para o Ambiente Construído em intensas discussões com os futuros moradores, uma prática adquirida pelos arquitetos. Ano do Projeto: 1992 Ano da obra: 1995-1997; Agência de financiamento: 700 unidades (CDHU); 300 unidades (autofinanciamento); CUSTO: 243/M²
  3. 3. LOCALIDADE DE IMPLANTAÇÃO: Av. Getúlio Vargas. / Av. Graciela Flores de Pitere / Av Bandeirantes; Bairro: Jardim Piratininga; Cidade: Osasco; Estado: São Paulo – Brasil.
  4. 4. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE IMPLANTAÇÃO E INSERÇÃO URBANA • Características do bairro: Jardim Piratininga. É um bairro de Osasco, dividido em conjuntos residenciais e condomínios de um lado, e do outro muitos galpões e empresas de diversos setores. O conjunto ocupa área desapropriada à Cohab pela Prefeitura local e doada à associação, após intensa mobilização dos mutirantes. A habitação fica próxima a equipamentos sociais, como hospitais, escolas e centros de saúde.
  5. 5. USO E OCUPAÇÃO DO SOLO CAPÍTULO IV DAS CATEGORIAS DE USO RESIDENCIAL. LEI Nº 1485 de 12 de Outubro de 1978 : "ESTABELECE OS OBJETIVOS E AS DIRETRIZES PARA USO E OCUPAÇÃO DO SOLO URBANO NO MUNICÍPIO DE OSASCO ". N
  6. 6. AV. Graciela Flores de Piteri AV. Graciela Flores de Piteri Av. Bandeirantes
  7. 7. ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE URBANA: Pontos de parada para transporte coletivo Ponto de Táxi COPROMO
  8. 8. PROCESSO CONSTRUTIVO O processo começa com a montagem da escadaria e estrutura dos terraços, em perfis de aço em torno da qual se elevam as paredes de alvenaria estrutural, construídas com blocos cerâmicos. Sobre as paredes apóiam-se, pavimento por pavimento, as lajes, montadas a partir de placas pré-fabricadas.
  9. 9. REALIZAÇÃO DA OBRA • A maior parte da obra foi realizada com participação dos moradores em forma de mutirão com autogestão,e somente para os serviços de maior exigência técnica foram contratadas empresas e mão-de-obra especializadas.
  10. 10. REALIZAÇÃO DA OBRA
  11. 11. REALIZAÇÃO DA OBRA
  12. 12. CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Fundação realizada estacas pré-moldadas de seção quadrada. Fachada pintada com verniz a base de solvente Alvenaria estrutural de bloco cerâmico. Escavação para construção da calçada.
  13. 13. DIMENSIONAMENTOS: ÁREA DO TERRENO: 53.540 m² PARÂMETROS ARQUITETÔNICOSURBANÍSTICOS: ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA: 67.000 m² TAXA DE OCUPAÇÃO: 25% ÁREA POR UNIDADE: 67m² TAXA DE PERMEABILIDADE: ÁREA ÚTIL POR UNIDADE: 54 m² COEFICIENTE DE APROVEITAMENTO: 18.084 m² 1,25 DENSIDADE POPULACIONAL: 74,71HAB/HA SISTEMA VIÁRIO: 14.720 m² ESTACIONAMENTO: 5.660 m² CENTRO COMUNITÁRIO: 1.296 m² DENSIDADE HABITACIONAL: 18,67HABITAÇÕES/HA DENSIDADE CONSTRUTIVA: 14,92UNID/ÁREAS CONSTR.
  14. 14. REPRESENTAÇÃO ARQUITETÔNICA IMPLANTAÇÃO CORTE 1000 UNIDADES DISTRIBUÍDAS EM 50 EDIFÍCIOS COM 5 PAVIMENTOS E CADA UM COM 4 APARTAMENTOS. PLANTA
  15. 15. AVALIAÇÃO DO PROJETO: • Qualidades: O conjunto habitacional consegue suprir a necessidades de moradia da população com um programa de fácil acesso aos apartamentos. O mutirão que se autoorganizou para construir as edificações tornaram a obra rápida quanto à execução e de custo reduzido. • Problemas: O conjunto habitacional é unicamente residencial de função multi-familiar , funciona como um condomínio fechado, restringindo o acesso somente aos moradores. A falta de edificações de uso comerciais torna complica o acesso as necessidades cotidianas, não desempenhando função urbana.
  16. 16. QUALIDADES E PROBLEMAS DA INSERÇÃO URBANA DO PROJETO •Um problema avaliado é a forma construtiva que se dá ao condomínio residencial fechado, excluindo-se do contexto urbano, porém isso se deve apenas por causa da legislação municipal de Osasco. • Uma das qualidades da inserção urbana, é sua localização, que apesar de ser uma região de carências governamentais, possui órgãos filantrópicos e ONGS que procuram atender as necessidades sociais da região.
  17. 17. Paula Aleksa Bianchi Diego Almeida Pereira Faculdade de Arquitetura e Urbanismo PUC – Campinas Urbanismo B Docentes: Débora Frazatto Ivone Salgado Laura Machado de Mello Bueno Manoel Lemes da Silva Neto IMAGENS CONCEDIDAS Raimundo Nascimento – Empreiteiro de Obras www.flickr.com/people/raimundo_nascimento

×