Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

1 powerpoint-qr-code-alunos

qr code - 2ª aula assistida

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

1 powerpoint-qr-code-alunos

  1. 1. 23 DE NOVEMBRO, 2ª FEIRA, 8:20, 1ª AULA  50 minutos (8:20 / 9:10)  1º - Aula expositiva / dialógica; (o professor fala sobre a matéria)  -----------------------------------------------------------------------------------------------  50 minutos (9:10 / 10:00)  2º - Os alunos vão pesquisar com a ajuda do telemóvel pessoal, quadros da fase neoplasticista do pintor Piet Mondrian ou procuram , quadros, na pasta partilhada com os alunos.  3º - Escolhem um quadro do pintor e concretizam uma reprodução da obra escolhida, mas com palete de cores diferente do original, podendo utilizar cores secundárias, verde, laranja, roxo ou violeta, também neutros: branco, preto, cinzento e as usuais cores primárias;  4º - Numa folha A3 de papel cavalinho, desenham com a ajuda de lapiseira e régua, a composição escolhida, apresentando somente as linhas verticais e horizontais. Podem também utilizar papel vegetal. As linhas devem ter 1 cm de espessura e algumas 1,5 cm. Podem desenhar uma ou duas estruturas e escolherem a que mais agradar.  5º - Pintam a espessura das linhas, com a ajuda de uma caneta ponta fina preta e de caneta de feltro preta.
  2. 2. 9 DE DEZEMBRO, 4ªFEIRA,15:40, 2ª AULA  100 minutos (15:40 / 17:25)  Operacionalização da atividade:  6º - Numa tela desenham, novamente, a estrutura escolhida de linhas verticais e horizontais e já concretizada na folha de papel cavalinho ou papel vegetal;  7º - Colocam fita adesiva nos limites dos quadrados e retângulos desenhados na tela;  8º - Depois pintam com a ajuda de pincéis espatulados e tinta acrílica os quadrados e retângulos. Deixam secar;  9º - De seguida, colocam fitas adesivas nos limites das linhas verticais e horizontais e pintam as linhas de preto;  10º - As bordas da tela são também pintadas no prolongamento das cores da superfície da tela.
  3. 3. MATERIAL A UTILIZAR  1 - 1 tela quadrada de 30cm x 30cm ou tela retangular 27 cm x 35 cm, no entanto pode ser outra mais pequena do que as indicadas;  2 - 3, 4 copos de plástico ou de vidro, com ou sem tampa, podem ser copos de iogurte;  3 - Tintas acrílicas: - verde, laranja, roxo ou violeta (cores secundárias) - magenta, azul, amarelo (cores primárias) - preto, branco, cinzento (neutros)  Pode ser qualquer tom mais claro ou mais escuro destas cores;  4 - Colocar sabão líquido, dentro de uma embalagem de vidro pequena, fechada, ou podem cortar um pedaço de uma barra de sabão azul;
  4. 4. MATERIAL A UTILIZAR  5 – Serão levados alguns pincéis para a turma, mas podem trabalhar com os vossos pincéis;  6 - 1 ou 2 panos, para limparem as mãos e o material de pintura molhado;  7 - 1 embalagem de fita adesiva, para pintura, (precisam de pintar linhas verticais e horizontais direitas, com 1 cm de espessura, e algumas com 1,5 cm);  8 - 1 lapiseira 0,5 ou 0,7;  9 - 1 borracha;  10 - 1 lápis B4;  11 - 1 régua de 50 cm;  12 - 1 bloco A3 de papel vegetal, mas não de papel vegetal de arquiteto; podem ser folhas de papel vegetal maiores que o A3 (a folha de papel vegetal deve ter o tamanho da tela que comprarem);  13 - 1 bloco A3 de papel cavalinho.  14 - 1 ou 2 sacos de plástico para colocar panos molhados, na mochila.  Podem aceder à classroom da turma para mais informações.
  5. 5. PASTA PARTILHADA DE QUADROS  Link da pasta partilhada com os alunos, com alguns quadros do pintor Piet Mondrian:  https://drive.google.com/drive/folders/1WfhggpYmjE9Q3bbFvlLcfMQytUMU4r- l?usp=sharing  Os alunos da turma, foram convidados, por email, a aceder a esta pasta partilhada.  ver email institucional se não conseguir aceder ao link partilhado anterior.
  6. 6. PIET MONDRIAN - PINTOR
  7. 7. NEOPLASTICISMO  Pieter Cornelis Mondrian é conhecido por Piet Mondrian  nasceu a 7 de março, em Amersfoort, em 1872, na Holanda.  morreu em 1944, em Nova York (71 anos)  Criou o Neoplasticismo corrente artística do Abstracionismo geométrico. 1917 a 1944  Colaborou com a revista De Stijl, “o estilo”.
  8. 8. NEOPLASTICISMO  Família  O seu pai era padre holandês.  A sua família era extremamente religiosa.  Piet Mondrian foi influenciado por um tio Frits Mondriaan, pintor.  “Na base da pintura de Mondrian esteve sempre uma utopia de fundo religioso. Ele era entusiasta da Teosofia - doutrina esotérica criada pela russa Madame Blavatsky. Como fruto da filosofia humanista e espiritual sincrética extraiu a noção de que por baixo da matéria, estava uma engrenagem básica que constituiria a essência do mundo, daí a simplicidade na sua pintura, de linhas horizontais, verticais e das cores puras”.  https://www.ebiografia.com/piet_mondrian/  Vida e Obra  Piet começou por ser professor entre 1892 e 1897 na Academia de Belas Artes de Amesterdão.
  9. 9. NEOPLASTICISMO  De início foi influenciado pelo naturalismo. Windmill-in-the-GEIN 1906-07  https://www.wikiart.org/en/piet-mondrian/windmill-in-the-gein-1907
  10. 10. NEOPLASTICISMO  Foi também influenciado pelo impressionismo.  Este movimento artístico deriva do nome do quadro do pintor Claude Monet, Impressão: nascer do sol 1872
  11. 11. NEOPLASTICISMO  Pós impressionismo The Windmill in Sunlight, 1908 https://www.piet-mondrian.org/the-windmill-in-sunlight.jsp#prettyPhoto  O tema do moinho de vento, que ocupa um lugar tão importante na obra de Mondrian, levou-o em 1908 a criar uma de suas obras-primas no novo estilo luminista.  Algumas pessoas tendem a discernir a influência de Van Gogh em Mondrian no Moinho de Vento à Luz do Sol.
  12. 12. NEOPLASTICISMO  Pós impressionismo Avond (Evening): The Red Tree 1908-10 , Museu Municipal de Haia  https://www.kunstmuseum.nl/nl/bezoek/activiteiten/gratis-lezingen-op-zondag-11-juni  Neste período de tempo, começou a pintar num estilo mais abstrato. Ao longo dos anos, objetos e paisagens foram-se decompondo em traços básicos. Para Mondrian o mínimo era o máximo. “Na natureza, a superfície das coisas é bela, mas a sua imitação é sem vida”, dizia ele.
  13. 13. NEOPLASTICISMO  Piet Mondrian enquadra-se no pós- impressionismo (período que vai desde a última exposição impressionista em 1886 até1910.  Em 1911 tudo mudou na pintura de Piet Mondrian após ter visitado uma exposição em Amsterdão sobre o Cubismo (movimento criado pelo pintor Pablo Picasso e por Georges Braque).  Foi influenciado pelo cubismo de 1917 a 1944 período em que desenvolveu a obra abstrata, neoplasticista.
  14. 14. NEOPLASTICISMO  CARACTERÍSTICAS DA OBRA NEOPLASTICISTA  - as estruturas dos quadros são definidas por linhas pretas ortogonais (horizontais e verticais);  - não usa diagonais porque a linha diagonal induziria à perceção da profundidade; de 1920 a 1940 as linhas curvas e diagonais desaparecem dos seus quadros  - as linhas definem espaços, quadrados e retângulos;  - os quadrados e retângulos com espessura, poderiam ser ou não preenchidos com uma cor primária: amarelo, azul ou vermelho mas também pretos e brancos (inexistentes em estado puro na natureza) e cinzento; as cores primárias são influência das escolas Bahaus e de Ulm, escolas de arte e design, Alemanha.  - a pintura era geométrica e abstrata, sem profundidade , contrariando a visão concreta do mundo.
  15. 15. NEOPLASTICISMO  Exposição interativa Piet Mondrian MoMA NY https://www.moma.org/calendar/exhibitions/470/installation_images/29661# https://www.moma.org/collection/works/4044  Composition in blue, red and yellow-1921
  16. 16. NEOPLASTICISMO  Composition-in-Black-and-White-with- Double-Lines 1934
  17. 17. NEOPLASTICISMO  Numa fase posterior neoplasticista, Piet Mondrian liberta-se de alguma regras que ele próprio impôs à sua pintura e criou obras como o quadro New York City 3 1941 The Thyssen Bornemisza Collections  Em 1940 durante a 2ª Guerra Mundial Piet Mondrian muda-se para NY
  18. 18. NEOPLASTICISMO  As composições integram ritmo, após a sua descoberta do jazz. Acentua a cor nos seus quadros Broadway Boogie-Woogie 1942 MoMA NY
  19. 19. NEOPLASTICISMO  A sua obra neoplasticista foi copiada pela arquitetura, escultura, design, moda e publicidade. Red and blue chair by the architect Gerrit Rietvelds 1918 MoMA NY  https://www.behance.net/gallery/1112205/Red-and-Blue-Chair  https://www.moma.org/collection/works/4044
  20. 20. NEOPLASTICISMO  Em 1916 Piet Mondrian contacta com o pintor Theo Van Doesburg o qual apresenta a Mondrian o seu projeto gráfico a revista (períódico mensal) De Stijl, Letterklankbeelden, cidade de Leyden, Holanda  O pintor Piet Mondrian segue este movimento artístico holandês De Stijl criado em 1917  Do movimento De Stijl faziam parte Teo Van Doesburg – artista plástico, designer gráfico, escritor, teórico e crítico de arte, poeta e arquiteto, Piet Mondrian, pintor, Antony Kok poeta, Robert Van ´t Hoff, arquiteto, Gerrit Rietveld, arquiteto e designer, G. Vantongerloo,escultor, entre outros.
  21. 21. NEOPLASTICISMO  A revista De Stijl, Letterklankbeelden https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4d/Destijl_anthologiebonset.jpg
  22. 22. NEOPLASTICISMO  Muitos dos ideais do neoplasticismo foram apresentados na revista De Stijl, que se tornou órgão fundamental de difusão do movimento neoplástico durante mais de dez anos.  Era também uma associação de artistas que, ocasionalmente, entravam ou saiam deste grupo.  Foram publicados manifestos na revista, em 1918, dois manifestos em 1920 e último manifesto em 1923. De Stijl teve o seu fim em 1928.
  23. 23. NEOPLASTICISMO  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm (Tradução)  Primeiro manifesto - De Stijl (1918)
  24. 24. NEOPLASTICISMO  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  https://www.readingdesign.org/de-stijl-manifesto  Primeiro manifesto - De Stijl (1918)  1. Há dois conhecimentos dos tempos: um antigo e um novo. O antigo se dirige para o individualismo.  O novo se dirige ao universal.  A luta do individual contra o universal se revela tanto na guerra mundial quanto na arte de nossa época.  2. A guerra destrói o mundo antigo com o seu conteúdo: a dominação individual sob todos os pontos de vista.  3. A arte nova atualiza o que está contido no novo conhecimento dos tempos: proporções iguais do universal e do individual.  4. O novo conhecimento dos tempos está prestes a se realizar em tudo, mesmo na vida exterior.
  25. 25. NEOPLASTICISMO  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  Primeiro manifesto - De Stijl 1918 (cont.)  5. As tradições, os dogmas e as prerrogativas do individualismo (o natural) opõem-se a esta realização.  6. O objetivo da revista de arte De Stijl é apelar para todos aqueles que acreditam na reforma da arte e da cultura para aniquilar tudo o que impede o desenvolvimento, do mesmo modo que fizeram no campo da arte nova suprindo a forma natural que contraria a própria expressão da arte, a consequência mais alta de cada conhecimento artístico.
  26. 26. NEOPLASTICISMO  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  Primeiro manifesto - De Stijl 1918 (cont.)  7. Os artistas de hoje tomaram parte na guerra mundial no domínio espiritual, impelidos pelo mesmo conhecimento contra as prerrogativas do individualismo: o capricho com todos aqueles que combatem espiritualmente ou materialmente para a formação de uma unidade internacional na Vida, na Arte e na Cultura.  8. O órgão De Stijl, fundado com esse fim, despende todos os seus esforços para tornar clara a nova ideia da vida. A colaboração de todos é possível pelo: envio do nome, endereço, profissão à nossa redação, como prova de assentimento; contribuições (críticas, filosóficas, arquiteturais, científicas, literárias, musicais, etc., assim como reproduções fotográficas) para o periódico mensal De Stijl; tradução em todas as línguas e publicação das ideias publicadas em De Stijl.  Assinatura dos colaboradores:  Theo van Doesburg, pintor/ Robt van´t Hoff, arquiteto/ Vilmos Huszar, pintor/ Antony Kok, poeta/ Piet Mondrian, pintor/ G. Vantongerloo, escultor/ Jan Wils, arquiteto.
  27. 27.  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  Quinto manifesto - De Stijl 1923  Para uma construção coletiva  I. Trabalhando coletivamente, examinamos a arquitetura como unidade criada de todas as artes, indústria técnica, etc., e descobrimos que a conseqüência disso será um novo estilo.  II. Examinamos as leis do espaço e suas variações infinitas (isto é, os contrastes de espaço, as dissonâncias de espaço, os complementos de espaço, etc.) ... e descobrimos que todas essas variações do espaço devem ser governadas como uma unidade de equilíbrio.
  28. 28. NEOPLASTICISMO  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  Quinto manifesto - De Stijl 1923 (cont.)  III. Examinamos as leis da cor no espaço e na duração e descobrimos que as relações equilibradas desses elementos dão enfim uma unidade nova e positiva.  IV. Examinamos a relação entre o espaço e o tempo, e descobrimos que o aparecimento desses dois elementos através da cor produz uma nova dimensão.  V. Examinamos as relações recíprocas da medida, da proposição, do espaço, do tempo e dos materiais, e descobrimos o método definitivo de construí-los como uma unidade.  VI. Pelo rompimento da caixa fechada (os muros, etc.) acabamos com a dualidade do interior e do exterior.
  29. 29.  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  Quinto manifesto - De Stijl 1923 (cont.)  VII. Damos à cor seu verdadeiro lugar na arquitetura e declaramos que a pintura separada da construção arquitetural (isto é, o quadro) não tem nenhuma razão de ser.  VIII. A época da destruição está totalmente superada. Uma nova época começa, a da construção.  Paris 1923 Van Eesteren / Theo van Doesburg / G. Rietveld  Neste último Manifesto Piet Mondrian já não estava presente!
  30. 30. NEOPLASTICISMO  Ver restantes manifestos em:  http://www.uel.br/projetos/artetextos/textos/neoplastico.htm  https://drive.google.com/drive/folders/1WfhggpYmjE9Q3bbFvlLcfMQytUMU4r-l?usp=sharing  Rhythmus eines russischen Tanzes (Ritmo de uma dança russa) Theo van Doesburg Professor António Candeias 2020-2021

×