Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Pneumonia

8,517 views

Published on

Published in: Health & Medicine, Sports
  • Login to see the comments

Pneumonia

  1. 1. PNEUMONIAS AGUDAS
  2. 2. PNEUMONIAS AGUDAS Dados estatísticos importantes : OMS: 14 milhões/ano - mortes em menores de 5 anos, países subdesenvolvidos; 4 milhões de responsabilidade das pneumonias; 30-35 % das mortes infantis são por IRA . Brasil: 3ª causa de mortalidade infantil (2ª em alguns Estados); 1ª ou 2ª causa de morte no primeiro ano de vida; 50% dos atendimentos ambulatoriais são por IRA; 10-30% das hospitalizações.
  3. 3. PNEUMONIAS AGUDAS CONCEITO As pneumonias são processos inflamatórios do parênquima pulmonar, com comprometimento dos brônquios, bronquíolos e alvéolos; por vezes, do interstício e/ou da pleura .
  4. 4. PNEUMONIAS AGUDAS AGENTES ETIOLÓGICOS
  5. 5. PNEUMONIAS AGUDAS FATORES PREDISPONENTES <ul><li>desnutrição, desidratação </li></ul><ul><li>sarampo,outras viroses/coqueluche </li></ul><ul><li>mucoviscidose/asma brônquica </li></ul><ul><li>mal formações torácicas/pulmonares </li></ul><ul><li>cardiopatias congênitas </li></ul><ul><li>encefalopatias crônicas </li></ul><ul><li>neoplasias/imunodepressão/ HIV </li></ul><ul><li>estados convulsivos/coma </li></ul><ul><li>imobilidade/anestesia/trauma </li></ul>
  6. 6. PNEUMONIAS AGUDAS FATORES DE RISCO PARA PNEUMONIA <ul><li>Relacionados à criança : </li></ul><ul><li>os menores de 2 meses </li></ul><ul><li>baixo peso ao nascer </li></ul><ul><li>desmame precoce </li></ul><ul><li>viroses sistêmicas graves pregressas </li></ul><ul><li>Fatores ambientais : </li></ul><ul><li>tabagismo no lar </li></ul><ul><li>poluição urbana </li></ul><ul><li>Fatores socioeconômicos : </li></ul><ul><li>condições sanitárias/habitação desfavoráveis </li></ul><ul><li>dificuldades de acesso aos serviços de saúde </li></ul><ul><li>cobertura vacinal insuficiente </li></ul>
  7. 7. PNEUMONIAS AGUDAS PATOGENIA <ul><li>vias aéreas superiores </li></ul><ul><ul><li>inalação </li></ul></ul><ul><ul><li>aspiração (secreção,vômitos,regurgitações) </li></ul></ul><ul><li>via hematogênica </li></ul><ul><li>via linfática </li></ul><ul><li>via transdiafragmática </li></ul>
  8. 8. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia Lactentes, RN, prematuros , imunodeprimidos ou doença de base Forma clínica: BCP Início com IVAS , tosse (seca/produtiva), febre, taquipnéia , dispnéia, gemência, sinais de IVAS prévios, vômitos, diarréia, recusa alimentar. BAN, tiragem intercostal, subcostal, MV rude ou diminuído, presença de roncos, raros subcrepitantes/crepitantes.
  9. 9. DICA: Em lactentes pequenos, o diagnóstico é mais difícil – febre, tosse e dispnéia, poucas alterações à ausculta pulmonar. Em caso de dúvida, RX é obrigatório! PNEUMONIAS AGUDAS
  10. 10. Crianças maiores Forma clínica: Pneumonia febre, calafrios, cefaléia, dor torácica (ventilatório dependente), posição antálgica, dor abdominal, tosse (seca/produtiva), náuseas, meningismo. MV diminuído/ausente – sinais clássicos a partir do 3 ° dia: submacicez/macicez, FTV aumentado, broncofonia, sopro tubário, pectoriloquia, estertores crepitantes. Na resolução: estertores subcrepitantes. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia
  11. 11. PNEUMONIAS AGUDAS Clínica e Semiologia ATENÇÃO: Lactentes também podem fazer quadros de pneumonia lobar, com quadro clínico e semiológico semelhante ao da BCP, com diagnóstico definitivo mediante estudo radiológico do tórax, nem sempre necessário!
  12. 12. PNEUMONIAS AGUDAS <ul><li>DICAS: </li></ul><ul><li>a idade é a variável isolada que melhor se correlaciona com o diagnóstico etiológico; </li></ul><ul><li>a taquipnéia é o melhor indicador clínico de pneumonia; </li></ul><ul><li>o sopro tubário é a correlação clínica do broncograma aéreo, visível ao RX. </li></ul>
  13. 13. PNEUMONIAS AGUDAS Sinais de gravidade em lactentes <ul><li>tiragem subcostal </li></ul><ul><li>batimento de asa de nariz </li></ul><ul><li>gemido expiratório </li></ul><ul><li>cianose central </li></ul><ul><li>impossibilidade de beber ou mamar </li></ul><ul><li>vômitos </li></ul><ul><li>convulsões </li></ul><ul><li>insuficiência ventilatória </li></ul>
  14. 14. PNEUMONIAS AGUDAS Valores de FR sugestivos de pneumonia de acordo com idade IDADE FR (mrpm) < 2 meses > 60 2 meses a 1 a. > 50 1 ano a 5 anos incompletos > 40
  15. 15. PNEUMONIAS AGUDAS GRUPOS ESPECIAIS <ul><ul><ul><li>PNEUMONIA AFEBRIL DO LACTENTE </li></ul></ul></ul><ul><li>2 - 12 sem </li></ul><ul><li>história materna de vulvovaginite </li></ul><ul><li>condições precárias de parto </li></ul><ul><li>conjuntivite neonatal </li></ul><ul><li>tosse persistente, coqueluchóide </li></ul><ul><li>taquipnéia afebril </li></ul><ul><li>processo intersticial </li></ul><ul><li>eosinofilia sangue periférico </li></ul><ul><li>diagnóstico por imunoglobulinas específicas </li></ul>
  16. 16. PNEUMONIAS AGUDAS GRUPOS ESPECIAIS <ul><li>IDADE ESCOLAR </li></ul><ul><li>início com IVAS </li></ul><ul><li>tosse seca ou cheia persistente </li></ul><ul><li>febre baixa, irregular, prolongada </li></ul><ul><li>padrão intersticial em lobos inferiores ou pequeno derrame pleural </li></ul><ul><li>bom estado geral </li></ul>
  17. 17. PNEUMONIAS AGUDAS Por S. aureus quando suspeitar? <ul><li>crianças menores de 2 anos; </li></ul><ul><li>toxemiada, mal estado geral; </li></ul><ul><li>comprometimento bilateral ou unilateral extenso; </li></ul><ul><li>derrame pleural/empiema; </li></ul><ul><li>pneumatoceles, pneumotórax ou piopneumotórax; </li></ul><ul><li>infecção estafilocócica em outros locais (pele, osso, cordão umbilical; </li></ul><ul><li>pneumonia pós-traumatismo; </li></ul><ul><li>pneumonia intra-hospitalar. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>TBC pulmonar </li></ul><ul><li>GEA/ Acidose </li></ul><ul><li>Apendicite aguda </li></ul><ul><li>Abscesso hepático/subfrênico </li></ul><ul><li>Meningite bacteriana/viral </li></ul><ul><li>Hérnia diafragmática de Bochdalek </li></ul><ul><li>Corpo estranho </li></ul><ul><li>Cisto pulmonar congênito </li></ul><ul><li>Herpes Zoster intercostal </li></ul><ul><li>Bronquiolite/Asma brônquica </li></ul>PNEUMONIAS AGUDAS DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
  19. 19. PNEUMONIAS AGUDAS RADIOLOGIA <ul><li>Forma clínica de BCP : focos de consolidação heterogêneas </li></ul><ul><li>Forma clínica de Pneumonia : focos de consolidação homogêneas </li></ul><ul><li>Diagnóstico diferencial : </li></ul><ul><li>intersticial / miliar: vírus, tbc, micoplasma, fungos </li></ul><ul><li>derrame pleural: estafilococo, hemófilus, pneumococo, gram-negativos </li></ul><ul><li>cavitação: anaeróbios, gram-negativos, </li></ul><ul><li>estafilococos. </li></ul>
  20. 20. PNEUMONIAS AGUDAS LABORATÓRIO <ul><li>hemograma/hemocultura </li></ul><ul><li>material de derrame pleural </li></ul><ul><li>culturas oro e nasofaringe/aspirado traqueal </li></ul><ul><li>cultura punção aspirativa do pulmão </li></ul><ul><li>contraimunoeletroforese </li></ul><ul><li>aglutinação com látex </li></ul><ul><li>biópsia pleural </li></ul><ul><li>proteina C reativa </li></ul>
  21. 21. PNEUMONIAS AGUDAS INDICAÇÕES DE INTERNAÇÃO <ul><li>falha terapêutica ambulatorial </li></ul><ul><li>RN </li></ul><ul><li>< 2 meses / tiragem subcostal </li></ul><ul><li>sinais clínicos de insuf.respiratória aguda (pO2 < 92%) </li></ul><ul><li>pneumonia extensa e/ou complicações </li></ul><ul><li>septicemia / convulsões / sonolência </li></ul><ul><li>imunodeprimidos / doenças de base </li></ul><ul><li>nível sócio-econômico </li></ul>
  22. 22. PNEUMONIAS AGUDAS TRATAMENTO
  23. 23. PNEUMONIAS AGUDAS TRATAMENTO agente 1ª escolha 2ª escolha tempo S. Pneumoniae Pen-procaína ou cristalina Eritromicina 7 a 10 dias H. influenzae Amoxicilina ou ampicilina Cloranfenicol ou cefalosporinas 2 ª e 3 ª geração 7 a 10 dias S. aureus Oxacilina Cefalosporina de 1 ª geração ou amicacina 21 dias S. aureus resistente Vancomicina Teicoplanina 21 dias Gram-negativos Amicacina/tobramicina e carbenicilina Cefalosporina 3 ª geração 14 dias

×