Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Filosofia do Design / Filosofia no Design

Módulo da Disciplina Metodologia Científica e de Design I, do Mestrado Profissional de Design do CESAR.EDU. Manaus, 2016

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Filosofia do Design / Filosofia no Design

  1. 1. Filosofia do Design / Filosofia no Design MPD 2016 Manaus, 07/11/2016 h.d.mabuse mabuse@cesar.org.br
  2. 2. design artemúsica
  3. 3. design artedesign música
  4. 4. design arteartemúsicadesign
  5. 5. “como todas as coisas tem um fim, 
 convém que tenham um princípio”
  6. 6. a)algumas das várias definições do design
  7. 7. “A ave sai do ovo. O ovo é o mundo. Quem quiser nascer precisa destruir um mundo.” Hermann Hesse
  8. 8. 1“Somos
 todos
 designers”
  9. 9. Donald Norman 25.12.1935 “Somos todos designers”
  10. 10. 2o impulso inicial de modificar o ambiente ao 
 nosso redor.
  11. 11. Ernest Becker A Negação da Morte
  12. 12. Victor Papanek “Design is basic to all human activities - the placing and patterning of any act towards a desired goal constitutes a design process.”
  13. 13. Rádio Transistor
 de Papanek
  14. 14. 3 um tipo de papel social no sistema econômico, que se desenvolve primeiramente na inglaterra do 
 século XVIII
  15. 15. Josiah Wedgwood 12.07.1730 — 3.01.1795
  16. 16. Wedgwood & Sons XVIII Century England
  17. 17. Josiah Wedgwood
  18. 18. 4 “Se a tarefa é projetar uma cadeira, é impossível escapar da morfologia: encosto, assento, pernas. Se a tarefa é projetar uma situação de sentar, o leque se amplia para incluir pufes, banquetas, bancos, sofás, espreguiçadeiras, almofadas, futons e até mesas, sem nem entrar nos híbridos possíveis. Trata-se de uma nova dimensão do pensamento projetivo, maleável, muito mais adequada para o mundo complexo em que vivemos.” – Rafael Cardoso
  19. 19. 5 “(…) design significa aproximadamente aquele lugar em que arte e técnica 
 (e, conseqüentemente, pensamentos, valorativo científico) caminham juntas, com pesos equivalente, tornando possível uma nova forma de cultura” – Vilém Flusser
  20. 20. 6 “Design must be an innovative, highly creative, cross-disciplinary tool responsive to the needs of men. It must be more research-oriented, and we must stop defiling the earth itself with poorly-designed objects and structures.” 
 – Victor Papanek
  21. 21. ?????????????????? ?????????????????? ?????????????????? ?????????????????? ?????????????????? ??????????????????
  22. 22. b)perspectivas do design
  23. 23. design para comunicação
  24. 24. Rogério Duarte (1964)
  25. 25. Rogério Duarte (1964) Ziraldo
  26. 26. Henry Beck, 1933
  27. 27. comunicação pelo olfato
  28. 28. artes aplicadas:
 mais de 5000 anos de escrita, mais de 500 anos de história do tipo móvel, mais de 100 anos de animações, mente aberta para abraçar novas possibilidades técnicas. ferramentas
  29. 29. design para 
 solução de problemas design para comunicação
  30. 30. ISO 9241-210: 
 Human-centred design for interactive systems
  31. 31. PIC
  32. 32. ciências sociais:
 Antropologia (métodos de pesquisa qualitativa, escrita etnográfica, antropologia visual), Psicologia (psicologia cognitiva), Linguistica (filosofia da linguagem, análise do discurso), Sociologia (métodos de pesquisa quantitativa) ferramentas
  33. 33. design para 
 solução de problemas design para 
 reflexão design para comunicação
  34. 34. futuro
  35. 35. Presente Futuro
  36. 36. provávelPresente Futuro
  37. 37. provável plausível Presente Futuro
  38. 38. provável plausível possível Presente Futuro
  39. 39. provável plausível possível Presente preferível Futuro
  40. 40. provável plausível possível Presente preferível Futuro
  41. 41. futuro design especulativo
  42. 42. através de uma mudança de paradigma: no lugar do projeto feito para o mundo hoje, um projeto para como o mundo poderia ser.
  43. 43. objetivo do projeto:
 materializar o futuro para levantar reflexões hoje dos problemas e novas possibilidades que poderemos ter amanhã.
  44. 44. Campo da Imaginação:
 Design Conceitual (como na industria automobilistica), Ficção Científica (e se?…), Arte Contemporânea (na liberdade do questionamento, da construção das pesquisa artística)… ferramentas
  45. 45. Patricia Piccinini
  46. 46. design para comunicação design para solução de problemas design para reflexão
  47. 47. design para comunicação design para solução de problemas design para reflexão
  48. 48. exercício .1 vamos para a rua, fotografar artefatos de design e analisá-los em sala.
  49. 49. c)ontologia orientada a objeto
  50. 50. Edmund Husserl April 8, 1859 – April 27, 1938 Fenomenologia
  51. 51. O que é o fenômeno? explicado pelos Muppets.
  52. 52. Martin Heiddegger 26 September 1889 – 26 May 1976 coisas e objetos
  53. 53. Graham Harman 25.12.1935 Realismo Especulativo
  54. 54. o objeto quádruplo
  55. 55. objeto sensual o objeto quádruplo
  56. 56. objeto sensual características do objeto sensual o objeto quádruplo
  57. 57. objeto sensual características do objeto sensual objeto real o objeto quádruplo
  58. 58. objeto sensual características do objeto sensual objeto real características do objeto real o objeto quádruplo
  59. 59. objeto sensual características do objeto sensual objeto real características do objeto real algumas tensõestempo
  60. 60. objeto sensual características do objeto sensual objeto real características do objeto real essência algumas tensõestempo
  61. 61. objeto sensual características do objeto sensual objeto real características do objeto real as 10 ligações possíveis
  62. 62. exercício .2 baseado no conceito do objeto quádruplo, analise um objeto de sua escolha.
  63. 63. h.d.mabuse mabuse@cesar.org.br mabuse.art.br @hdmabuse www.slideshare.net/h.d.mabuse Biertu, M., Helfand, J., & Heller, S. (2010). Textos Clássicos do Design Gráfico. WMF Martins Fontes. Cardoso, R. (2012). Memória - Design para um mundo Complexo. In Design para um mundo complexo (pp. 72–97). Forty, A. (2010). Objetos de Desejo. Cosac Naify. Retrieved from http:// editora.cosacnaify.com.br/ObraDadosTecnicos/10086/Objetos-de-desejo--- design-e-sociedade-desde-1750.aspx Kimbell, L. (2013). The Object Strikes Back: An Interview with Graham Harman. Design and Culture, 5(1), 103–117. doi:10.2752/175470813X13491105785703 Pierides, D., & Woodman, D. (2012). Object-oriented sociology and organizing in the face of emergency: Bruno Latour, Graham Harman and the material turn. British Journal of Sociology, 63(4), 662–679. doi:10.1111/j. 1468-4446.2012.01431.x Lemos, A. (2010). A comunicação das coisas. Internet das Coisas e Teoria Ator- Rede Etiquetas de radiofrequência em uniformes escolares na Bahia. The Quadruple Object, Graham Harman www.cesar.org.br Obrigado.

×