Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Português

997 views

Published on

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Português

  1. 1. LÍNGUA PORTUGUESAO estudo da língua portuguesa pode ser dividido em três partes: Fonologia, Morfologia e Sintaxe.FONOLOGIA – classificação e o estudo de fonemas, acentuação, grafia e pronúncia adequada das palavras. Fonemas – sons produzidos pela voz. Letra – sinal gráfico para representar o sistema sonoro. O número de fonemas nem sempre coincide com o número de letras. ENCONTRO CONSONANTAL – quando se juntam duas consoantes pronunciadas, em uma mesma sílaba ounão. DÍGRAFO – quando duas letras representam apenas um som. HIATO – quando duas vogais se encontram, mas na separação silábica pertencem a sílabas diferentes. DITONGO - quando existe uma vogal e uma semivogal na mesma sílaba. Ditongo crescente – semivogal + vogal; Ditongo decrescente – vogal + semivogal; Ditongo oral – o som sai apenas pela boca; Ditongo nasal – há obstrução no nariz. Tritongo – junção de semivogal, vogal, semivogal.Ortografia– trata da grafia correta das palavras. Usa-se “G” e não “J” – nas terminações ágio, égio, ígio, ógio, úgio e nas terminações agem, igem, ugem, egee oge. Usa-se “Z” e não “S”- nos substantivos abstratos derivados de adjetivos e nos sufixos izar e ização.Acentuação Oxítonos – a, e, o, em, ens. Paroxítonos – r, i, n, l, x, ditongos oral, ã, ão, um uns,us, on, ons e ps. Proparaxítonas– TodasMORFOLOGIA As palavras na língua portuguesa são formadas por um radical mais desinências ou prefixos e sufixos.Existem dois processos de formação de palavras: Composição – união de dois ou mais radicaiso Justaposição – une-se palavras sem qualquer alteração fonéticao Aglutinação – une-se palavras com alteração fonéticao Hibridismo – une-se palavras cujos radicais provém de línguas diferentes. Derivação – Processo de formação de palavras através da união de um radical mais prefixos e/ou sufixos.o Prefixal – apenas com auxilio de prefixo.o Sufixal – apenas com auxilio de sufixo.o Parassíntese – emprego simultâneo de prefixos e sufixos.o Regressiva – redução da palavra gera outrao Imprópria – consiste na mudança da classe gramatical da palavrao Prefixal e Sufixal – é feita com acréscimo de prefixo e sufixo podendo ser feita alternadamente, semprejuízo ao significado da palavra. Outros processos de formação de palavras:o Onomatopeia – é a palavra que procura reproduzir aproximadamente sons e ruídos.
  2. 2. o Abreviação – consiste no emprego de uma parte da palavra pelo todo.o Sigla – letra inicial de uma palavra ou conjunto de letras iniciais de diversas palavras. Classes de palavras:o Variáveis – substantivo, artigo, pronome, numeral, adjetivo e verbo.o Invariáveis – adverbio, preposição, conjunção e interjeição. Substantivo – designa os seres em geral.Concreto – designa seres de existência real ou não.Abstrato – designa ações, noções, estados e qualidades.Primitivo – quando não provém de outra palavra.Derivado – provém de outra palavra.Composto – possui dois ou mais radicais.Próprio – designa especificamente um determinado ser.Comum – designa genericamente qualquer elemento da espécie.Coletivo – conjunto de seres de uma mesma espécie.o Flexão de substantivo: Flexão de gênero – masculino ou feminino.Flexão biforme – possui uma forma para masculino e outrapara feminino.Flexão uniforme – mesma forma para masculino e feminino.o Epicenos -deve-se usar macho ou fêmea.o Comum de dois gêneros – o gênero é determinadopelo artigo o outro determinante qualquer.o Sobrecomuns – um só gênero fixo. Flexão de número – No substantivo simples forma-se o plural emfunção do final da palavra.Plural dos substantivos compostos – é definido de acordocom as palavras variáveis e invariáveis que compõem osubstantivo. Flexão de grau – Apresentar o substantivo em grau aumentativo oudiminutivo.Forma analítica – acrescenta-se um adjetivo que indicaaumente ou diminuição.Forma sintética – acrescenta-se sufixo que detone aumentoou diminuição. Adjetivo – caracteriza o substantivo.Flexão de adjetivo:o Flexão de número – regra geral acrescenta-se s*o Flexão de gênero – regra geral acrescenta-se a ou o*o Flexão de grau – Comparativo: superioridade, igualdade e inferioridade. Superlativo: absoluto sintético, absoluto analítico, relativo desuperioridade e relativo de inferioridade.Pronome – acompanha ou substitui o substantivo. São eles: Pessoais, demonstrativos, relativos, indefinidos,interrogativos, possessivos e de tratamento. Pronomes Pessoais – designam as três pessoas do discurso.Caso reto -funciona como sujeito na oração.o Eu, tu, ele, ela, nós, vós, eles, elas
  3. 3. Caso oblíquo – funciona como complemento ou adjunto. Atenção, os pronomesoblíquos são classificados como tónicos por serem precedidos de preposição nasfrases; os pronomes oblíquos átonos não podem ser precedidos de preposição.o Oblíquos átonos – me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes.o Oblíquos tónicos – mim, comigo, ti, contigo, si, ele, ela, consigo, nós,conosco, vós, convosco, si, eles, elas. Pronomes Demonstrativos – indicam a posição dos seres com relação às três pessoas dodiscurso, situando-as no tempo ou no espaço.o Este, esta, isto – Espaço: próximo de quem fala; Tempo: presente; Discurso:refere-se ao que vai ser dito, numa enumeração, refere-se ao que foi ditopor último.o Esse, essa, isso – Espaço: próximo de com quem se fala; Tempo: passado oufuturo próximos; Discurso: refere-se ao que já foi dito.o Aquele, aquela, aquilo – Espaço: Afastado das duas pessoas; Tempo:passado vago; Discurso: Numa enumeração, refere-se ao que foi ditoprimeiro. Pronomes Relativos – referem-se a um substantivo ou a um pronome substantivomencionado anteriormente.o Que, o qual – substitui pessoas, coisas.o Quem – substitui exclusivamente pessoas.o Quanto – substitui pronomes indefinidos.o Cujo – substitui função adjetiva (posse) por isso vem entre dois substantivos.o Onde – substitui lugar. Pronomes Indefinidos – determinam a 3ª pessoa gramatical de modo vago e impreciso.Ex:tudo, algum, nenhum... Pronomes Possessivos – indica na frase o possuidor: meu, minha, teu, tua, seu, sua, nosso,nossa, vosso, vossa, seus, suas. Pronomes Interrogativos – que, quem, qual e quanto. Pronomes de Tratamento – pertencem a forma de reverência normativa que consiste nosreferirmos às pessoas pelas suas qualificações ou cargos.o Vossa Excelência – Presidente da República, políticos em geral, militares(oficiais, generais e coronéis) e embaixadores.o Vossa Magnificência – Reitoro Vossa Senhoria – Diretores de autarquias federais, estaduais e municipais.o Vossa Excelência – Desembargador, curador, promotor.o Meritíssimo – Juiz.o Vossa Senhoria – outras patentes militares. Colocação dos pronomes oblíquos átonos:o Indicativo de próclise: Palavra negativa; Adverbio; Pronomes indefinidos e relativos; Conjunções subordinativas; Gerúndio com preposição em; Orações interrogativas, exclamativas ou optativas. Infinitivo preposicionado.o Indicativo de ênclise: Inicio de frase; Imperativo afirmativo;
  4. 4.  Adverbio virgulado; Gerúndio sem preposição; Optativas com sujeito posposto.o Indicativo de mesóclise: Verbos no futuro do presente ou futuro do pretérito; Numeral: sua função é quantificar ou enumerar o termo a que se refere.o Números árabes: 1, 2, 3...o Números romanos: I, II, III...o Números cardinais: um, dois, três...o Números ordinais: primeiro, segundo, terceiro...o Números multiplicativos: dobro, triplo, quadruplo...o Números fracionários: meio, terço, quarto...o Números coletivos: duo, trio, quarteto... Advérbio: tem como função modificar um verbo, um adjetivo ou um advérbio, atribuindo-lhe uma circunstância.o Advérbio de tempo: hoje, logo, primeiro, ontem, tarde, outrora, amanhã,cedo;o Advérbio de lugar: aqui, antes, dentro, ali, adiante, fora, acolá, atrás, além,lá;o Advérbio de modo: bem, mal, melhor, pior, assim, aliás;o Advérbio de quantidade ou intensidade: muito, pouco, mais, menos,demasiado, quanto, quão, tanto, tão, assaz;o Advérbio de afirmação: sim, certamente, realmente, decerto, efetivamente,etc...o Advérbio de negação: não, nem, nunca, jamais, etc...o Advérbio de dúvida: acaso, porventura, possivelmente, provavelmente,quiçá, talvez.o Advérbio de exclusão: apenas, exclusivamente, salvo, senão, somente,simplesmente, só, unicamente.o Advérbio de inclusão: ainda, até, mesmo, inclusivamente, também.- Locuções adverbiais: são compostas de preposição + adjetivo ou substantivoque exerça a mesma função que o advérbio.o Locução adverbial de tempo: à noite, à tarde, às vezes, de dia, de manhã, dequando em quando.o Locução adverbial de lugar: à direita, à esquerda, à distância, ao lado, aolargo, de cima, de dentro, de fora.o Locução adverbial de modo: à custo; à pressa, à toa, à vontade, às avessas,às claras, às direitas, às escuras.o Locução adverbial de quantidade ou intensidade: de muito, de pouco, detodo.o Locução adverbial de afirmação: com certeza, com efeito, de fato, naverdade, sem dúvida.o Locução adverbial de negação: de forma alguma, de maneira nenhuma.- Além das circunstâncias descritas, as locuções adverbiais podem ainda inserircircunstâncias de:
  5. 5. o Companhia: Ele saiu do escritório com o advogado.o Meio: Costumava vir ao curso de carro.o Instrumento: Preferiu escrever os convites à mão.o Finalidade: Estudava para aprovação.o Pausa: O povo na Geórgia morria de fome. Preposição: são palavras invariáveis que unem dois termos:o a, ante, após, até, com, conforme, contra, consoante, de, desde, durante,em, entre, mediante, para, perante, por, salvo, sem, segundo, sob, sobre,trás.- Ocorre uma contração de preposição quando a preposição se junta a outrapalavra havendo perda fonética. Ex: em + a = na.- Ocorre uma combinação de preposição quando a junção da preposição + outrotermo não gera perda fonética. Ex: a + o = ao.- Locução preposição: são compostos que fazem a mesma função de preposição,conectar palavras: Ex: abaixo de; acerca de; de acordo com; junto a; ao redor de,ao lado de; debaixo de; defronte de, etc... Conjunções: são elementos de coesão, portanto tem como função unir verbos de umperíodo. Ao estabelecer essa conexão, cria uma relação de coordenação ou subordinação.o Conjunções coordenativas: quando se separa a oração e ambas as partesmantém seu significado intacto. Principais conjunções coordenativas: Aditivas: e, nem, não só, mas também, etc... Adversativas: mas, porém, todavia, entretanto, contudo, etc... Explicativas: pois (entre os verbos da oração), porque, etc... Conclusivas: logo, portanto, pois (proposto aos dois verbos queune). Alternativas: ou, ora, nem.o Conjunções subordinativas: quando se separa a oração e ambas as partesperdem seu significado. Principais conjunções subordinativas: Integrantes: que, se, quando, etc... Concessivas: embora, ainda que, posto que, apesar de que, se bemque. Causais: que, porque, como (quando equivale a porque), visto que,já que, uma vez que. Comparativa: como, tanto quanto, tal qual. Condicionais: se, caso, sem que, uma vez que, desde que, contantoque. Conformativas: como, conforme, segundo, consoante, consecutivas,tanto que, que. Finais: para que, a fim de que, porque (equivalendo a para que). Proporcionais: a medida que, a proporção que, ao passo que,quanto mais, quanto menos. Temporais: quando, enquanto, assim que, logo que, mal. Verbo: são palavras variáveis que podem denotar uma ação, um fenômeno da natureza ouum estado:
  6. 6. Classificação quanto à flexãoo Regulares – seguem padrão de flexão.o Irregulares – quando algumas flexões fogem aos paradigmas verbais.o Defectivos – não admitem uma ou mais flexões previstas para o modelo.o Abundantes – apresentam variantes de flexões em geral na forma doparticípio. Ex: infinitivo aceitar – particípio regular = aceitado; particípioirregular = aceito.Tempos verbais e modos verbaiso Pelo valor semântico estabelecido pela enunciação nodal, podem se dividiros verbos em: Indicativo – certeza de enunciação. Subjuntivo – hipótese. Imperativo – ordem ou pedido.SintaxeÉ a parte da gramatica que analisa a estrutura da oração decompondo suas partes em elementos constituintes.Frase é um enunciado que transmite comunicação não necessitando de organizar-se a partir de verbos.Oração é uma unidade que se organiza em torno de um verbo independente da transmissão de significado.Período é um enunciado organizado a partir de verbo que inicia na letra maiúscula e termina no ponto final.Elementos integrantes da oração:- Sujeito é o termo sobre o qual se declara alguma coisa, ou sobre o qual o verbo (predicado) se organiza.-- Classificação do sujeito:--- Sujeito simples: aquele que possui um núcleo apenas. Fique atento pois hoje já não é mais comum usar aclassificação de sujeito oculto em concursos públicos, agora a classificação deste tipo de sujeito também ficacondensada no termo simples, por exemplo “Fugimos de propostas ruins”. O núcleo do sujeito é a forma nós.--- Sujeito composto: possui dois ou mais núcleos.--- Sujeito indeterminado: não se consegue definir o núcleo com exatidão. Há duas formas de indeterminar o sujeito.A primeira ocorre quando com o verbo se encontra na terceira pessoa do plural sem fazer referencia a um sujeitoexpresso no contexto: “Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar”. A segunda ocorre quando o verbo estána terceira pessoa do singular, seguido do [índice de indeterminação do sujeito se: “Precisa-se de digitadoras”.--- Sujeito inexistente: ocorre quando os verbos são impessoais. Geralmente são verbos que indicam fenômenos danatureza. São impessoais os verbos “ser”, “estar”, “fazer” e “haver” quando trazem noção de tempo. Com exceçãodo verbo “ser” os verbos impessoais não fazem plural.- Predicado é a declaração feita ou organizada em torno de um verbo.-- Classificação do predicado:--- Predicado verbal: aquele em que o verbo classifica-se como significativo e não há presença de predicativos. Ex: Apopulação quer paz. O verbo significativo é “quer”.
  7. 7. --- Predicado nominal: organizado a partir de verbos de ligação. Verbos de ligação são aqueles que estado oumudança de estado e, portanto, não indicam ações.--- Predicado verbo-nominal: sua estrutura precisa de um verbo significativo e predicativo do sujeito ou objeto. Ex: Odeputado elegeu a secretária assistente. “Elegeu” é o verbo significativo e “assistente” é o predicativo do objeto.

×