Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Upcoming SlideShare
As melhores fotografias do mundo
Next

19

Share

Folclore de Mato Grosso do Sul

Trabalho apresentado na UEMS - CG.

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Folclore de Mato Grosso do Sul

  1. 1. Maísa Fernandes FOLCLORE DE MATO GROSSO DO SUL: LENDAS, MITOS, JOGOS POPULARES E TRADIÇÕES
  2. 2. Para adentrar nesses assuntos, primeiro temos que entender sobre a Cultura Regional, e para isso é preciso definir “cultura”, o que não é uma tarefa fácil, pois a resposta se entrelaça com vários outros aspectos. Desse modo, adotaremos a definição de SODRÉ (1986). INTRODUÇÃO
  3. 3. Conjunto dos valores materiais e espirituais criados pela humanidade, no curso de sua história. A cultura é um fenômeno social que representa o nível alcançado pela sociedade em determinada etapa histórica: progresso, técnica, experiência de produção e de trabalho, instrução, educação, ciência, literatura, arte e instituições que lhes correspondem. Em um sentido mais restrito, compreende-se, sob o termo de cultura, o conjunto de formas da vida espiritual da sociedade, que nascem e se desenvolvem a base do modo de produção dos bens materiais historicamente determinado. (SODRÉ, 1986 p. 3).
  4. 4. Como cita SODRÉ (1986), para uma região definir sua cultura são necessárias várias etapas e consequentemente, um bom tempo para que os costumes se tornem característicos daquele lugar. Um fator que contribui muito para a definição cultural é a influência folclórica.
  5. 5. Mato Grosso do Sul limitou-se ao Norte, ao Sul e a Leste com os Estados brasileiros de Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e, portanto, recebeu influencia direta das migrações deles provenientes. A Oeste e ao Sul limita-se com a Bolívia e o Paraguai, tendo, por isso, recebido forte influência, principalmente, deste último na alimentação, na medicina caseira, na linguagem e na música. Portanto, fazendo fronteira com outros países, o Estado apresenta peculiaridades histórico-culturais que o distingue dos demais Estados brasileiros. (SIGRIST, 2000 p. 36).
  6. 6. Para Sigrist (2000) o território sul-mato- grossense herdou do Paraguai hábitos alimentares e musicais que fizeram da cultura regional destaque para os demais Estados.
  7. 7. Sopa Paraguaia
  8. 8. Chipa
  9. 9. Um outro costume de origem paraguaia, que hoje é sinônimo dos sul-mato-grossenses, é o “Tereré”.
  10. 10. O tereré é servido em grupo, com o mesmo ritual do mate. Deve ser servido na guampa (vasilha feita com chifre de boi) ou, na falta desta, em um copo, acompanhado da bomba. Nos galpões das fazendas, depois de um dia de lida, os peões se reúnem para uma prova regada com tereré . Da mesma forma toda as tardes na cidade encontram-se grupo de jovens conversando, contando piadas numa roda de tereré. Ao devolver a cuia, só agradeça se estiver satisfeito e não desejar mais a bebida. (BOSÍSIO, 2003 p. 117).
  11. 11. MÚSICA A música de Mato Grosso do Sul é influenciada pelos ritmos latinos ternários, oriundos da Bolívia e principalmente do Paraguai, como polca paraguaia, guarânia, rasqueado e chamamé. Os gaúchos trouxeram o xote e o vanerão, muito comuns nos bailes.
  12. 12. Samba nos carnavais de Corumbá e Campo Grande
  13. 13. O rock, o Pop e MPB
  14. 14. Destaque para a violeira Helena Meirelles, figura ímpar no universo da música e para o músico e compositor Almir Sater, provavelmente o campo-grandense mais conhecido no Brasil.
  15. 15. INSTRUMENTOS VIOLA-DE-COCHO: instrumento construído artesanalmente pelos próprios violeiros, que usam materiais da região, como a madeira do sarã ou timbaúba (ou chimbuva), cola de poca, cordas de tripa de bugio ou de ema.
  16. 16. VIOLA CAIPIRA: a viola caipira tem características muito semelhantes ao violão. Tanto no formato quanto na disposição das cordas e acústica, porém é um pouco menor.
  17. 17. ACORDEÃO: o som do acordeão é criado quando o ar que está no fole passa por entre duas palhetas (localizadas no chamado castelo, dentro do fole), que vibram mais grave ou agudo de acordo com a distância entre elas (quando mais distantes, mais grave o som) e seu tamanho (quanto maior, mais grave o som produzido).
  18. 18. FOLCLORE E LENDAS Entendemos por folclore tudo aquilo que o homem do povo faz e reproduz como tradição. A sua maneira de pensar agir, preservadas pela tradição popular e pela imitação, não influenciadas diretamente pelos círculos eruditos e instituições. O folclore se transmite de pessoa a pessoa, de grupo a grupo e de uma geração a outra, segundo os padrões típicos da reprodução popular do saber, ou seja, oralmente, por imitação direta e sem organização de situações formais e eruditas de ensino aprendizagem. (SIGRIST, 2000 p. 7).
  19. 19. DANÇAS FOLCLÓRICAS O Cururu e o Siriri são duas manifestações folclóricas encontradas nas cidades de Corumbá e Ladário que foram levadas pelos mais antigos, oriundos de Cuiabá, Poconé e Cáceres (MT), que indo trabalhar em fazendas do então sul de Mato Grosso, mantiveram e difundiram suas tradições.
  20. 20. O UNIVERSO DA DANÇA
  21. 21. CATIRA • Cateretê • Ao som de moda de viola • Alegrada pelos “recortados” • Dança estritamente masculina
  22. 22. CHUPIM • Dançado ao som e ao ritmo da polca paraguaia • Três pares • Imitam as asas de ave do mesmo nome, ao cortejar a fêmea • Castanholas • Carão
  23. 23. MAZURCA • Rancheira • Sul do Brasil • Bailes do Sul
  24. 24. PALOMITA • Dança de salão • Polca paraguaia ou chamamé
  25. 25. CURURU • Violeiros • Toadas sobre o cotidiano pantaneiro • Flexões simples ou complicadas • Animação
  26. 26. SIRIRI • Dança animada • Pares colocados em fila ou roda descrevem gestos alegres e gentis, com palmas aos pares e ao som de toadas.
  27. 27. LENDAS SUL MATO-GROSSENSES A TRISTEZA DO JABURU
  28. 28. O JOÃO-DE-BARRO
  29. 29. MITOS SUL-MATOGROSSENSES “O mito é uma realidade cultural extremamente complexa, que pode ser abordada e interpretada em perspectivas múltiplas e complementares... O mito conta uma história sagrada, relata um acontecimento que teve lugar no tempo primordial, o tempo fabuloso dos começos... O mito conta graças aos feitos dos seres sobrenaturais, uma realidade que passou a existir, quer seja uma realidade total, o Cosmos, quer apenas um fragmento, uma ilha, uma espécie vegetal, um comportamento humano, é sempre portanto uma narração de uma criação, descreve-se como uma coisa foi produzida, como começou a existir...” (ELIADE,M. Aspectos do Mito, p.12)
  30. 30. PÉ-DE-GARRAFA
  31. 31. MINHOCÃ O
  32. 32. COME- LÍNGUA NEGRO D’ÁGUA MÃOZÃ O
  33. 33. FESTAS POPULARES São João de Corumbá, comemorada nesse município na noite de 23 de junho, à beira do rio Paraguai.
  34. 34. O Carnaval é festa animada em todos os municípios do Estado, recebendo destaque em Corumbá.
  • IsabelMagalhes18

    Oct. 28, 2019
  • KellydeMeloNogueiraL

    Oct. 24, 2019
  • Regianenolasco

    Aug. 20, 2018
  • pedropaulodesouzafat

    Aug. 13, 2018
  • carlamuchon

    Jun. 7, 2018
  • ednamadoka

    Oct. 24, 2017
  • biancabuenotoledo

    Aug. 15, 2017
  • jeisianeborges

    Aug. 8, 2017
  • CliaMaciel1

    Jul. 25, 2017
  • IsisArte

    Jul. 20, 2017
  • CristhianedaSilvaBen

    Jun. 26, 2017
  • Emmyfalco

    Aug. 29, 2016
  • erodimuler1

    Jul. 21, 2016
  • MarcosRodriguesdosAn

    Aug. 28, 2015
  • ZiBaio

    Jul. 30, 2015
  • 123456matos

    Apr. 7, 2015
  • AlexOC

    Feb. 17, 2015
  • elenaduarte3158

    Oct. 7, 2014
  • sinvallpaulo

    Aug. 8, 2014

Trabalho apresentado na UEMS - CG.

Views

Total views

24,593

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

11,848

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

19

×