Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Resíduos sólidos

976 views

Published on

Resíduos sólidos:
O que é um resíduo sólido?
Propriedades físicas, químicas e biológicas;
Tipos de resíduos quanto á sua origem;
Classificação dos resíduos segundo as suas caraterísticas;
Tratamentos de resíduos;
Meios de transporte;
Política dos 4r’s;
Tratamento de efluentes.

Published in: Science
  • Login to see the comments

Resíduos sólidos

  1. 1. Trabalho realizado por: André Rocha nº2 11ºP Maria Inês nº8 11ºP EscolaSecundáriaAbelSalazar Tq- QSA Módulo4 Ano letivo- 2012/2013 CursoProfissionalde Técnicode AnálisesLaboratoriais
  2. 2. O que é um resíduo sólido? Propriedades físicas, químicas e biológicas; Tipos de resíduos quanto á sua origem; Classificação dos resíduos segundo as suas caraterísticas; Tratamentos de resíduos; Meios de transporte; Política dos 4r’s; Tratamento de efluentes.
  3. 3. Os resíduos sólidos são partes de resíduos que são gerados após a produção, utilização ou transformação de bens de consumos. exemplos: Computadores Automóveis Televisores Telemóveis eletrodomésticos
  4. 4. São todos os restos sólidos ou semi-sólidos das atividades humanas ou não- humanas, que embora possam não apresentar utilidade para a atividade fim de onde foram gerados, podem ser utilizadas para outras atividades.
  5. 5. Podemos classificar os resíduos segundo as suas propriedades, elas são: Propriedade Física Propriedade química Propriedade Biológica Propriedades físicas, químicas e biológicas
  6. 6. As propriedades físicas cujo o conhecimento é importante para o tratamento de resíduos, incluem: •Densidade •Humidade •Tamanho das partículas •Capacidade de campo •Permeabilidade Propriedades Físicas
  7. 7. A informação sobre as propriedades químicas dos resíduos é importante para designar os métodos de recuperação e tratamento mais adequado. A eficiência de incineração depende da composição química dos resíduos. Neste caso é importante saber: Análise próxima Ponto de fusão das cinzas Balanço energético / conteúdo energético Propriedades Químicas
  8. 8. Estas propriedades referem-se à possibilidade de conversão dos resíduos pelos microrganismos. Estes são capazes de transformar a matéria orgânica desde que está seja biodegradável. Propriedades Biológicas Tipos de transformação Física •Separação de componentes •Redução mecânica de volume •Redução de tamanho Química •Oxidação química •Pirólise •Gaseificação
  9. 9. De acordo com a sua origem os resíduos sólidos podem ser:  Resíduos sólidos urbanos  Resíduos hospitalares  Resíduos agrícolas  Resíduos industriais  Resíduos de construção e demolição  Resíduos de portos, aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários  Resíduos de mineração
  10. 10. É o nome usado para denominar o conjunto de todos os tipos de resíduos gerados na cidades e coletados pelo serviço municipal. Os resíduos sólidos urbanos (RSU's), vulgarmente denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e comercial das povoações. A sua composição varia de população para população, dependendo da situação sócio-econômica e das condições e hábitos de vida de cada um. Resíduos sólidos urbanos
  11. 11. Qualquer resto proveniente de hospitais e serviços de saúde como pronto- socorro, enfermarias, laboratórios de análises clínicas, farmácias, etc.. Geralmente é constituído por seringas, agulhas, curativos e outros materiais que podem apresentar algum tipo de contaminação por agentes patogênicos. Resíduos hospitalares
  12. 12. São aqueles gerados pelas atividades agropecuárias (cultivos, criações de animais, etc.), a que se dá o nome de compostagem. A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo a que se chama composto. Resíduos agricolas
  13. 13. Vantagens da compostagem  Recicla a matéria orgânica reintroduzindo-a no solo.  Reduz a quantidade de resíduos enviados para incineração/aterro.  Reduz a contaminação da água e solo e a poluição atmosférica.  Envolvimento dos cidadãos para ajudar a mudar estilos de vida.
  14. 14. Vantagens do composto  Melhora a estrutura do solo e atua como adubo natural.  Introduz no solo organismos benéficos, como bactérias e fungos, que têm a capacidade de passar os nutrientes da parte mineral do solo para as plantas.  Aumenta a resistência das plantas.  Reduz o aparecimento de pragas e doenças.  Aumenta a fertilidade e a vida do solo.  Pode ser armazenado por longos períodos de tempo e usado em qualquer altura do ano
  15. 15. Têm origem nos processos industriais. Possuem composição bastante diversificada e uma grande quantidade desses resíduos é considerada perigosa. Podem ser constituídos por impurezas resultantes da fundição do ferro, cinzas, lodos, óleos, plásticos, papel, borrachas, etc. Resíduos inustriais
  16. 16. Resultante da construção civil e demolição. Quase 100% destes resíduos podem ser reaproveitados embora isso não ocorra na maioria das situações por falta de informação. Os entulhos são compostos por: restos de demolição (madeiras, tijolos, cimento, metais, etc.), de obras e solos de escavações diversas. Resíduos construção e demolição
  17. 17. O lixo coletado nesses locais é tratado como lixo hospitalar, pois pode conter agentes causadores de doenças provenientes de outros países. Os resíduos que não apresentam esse risco de contaminação, podem ser tratados como lixo domiciliar. Resíduos DE PORTOS, AEROPORTOS E TERMINAIS RODOVIÁRIOS E FERROVIÁRIOS
  18. 18. Podem ser constituídos de solo removido, metais pesados, restos e lascas de pedras, etc. Resíduos DE mineração
  19. 19. Segundos as caraterísticas os resíduos sólidos podem ser:  Resíduos sólidos perigosos  Resíduos não perigosos  Resíduos inertes  Resíduos biodegradáveis
  20. 20. As principais caraterísticas que conferem a perigosidades de um resíduos são:  Explosão  Combustibilidade  Inflamabilidade  Toxicidade  Mutagenicidade  Irritabilidade  Cancerígenos  Infeciosos  Corrosivos Resíduos sólidos perigosos
  21. 21. Explosão ImflamávelCombustão Toxicidade Mutagénico Irritável Corrosivo
  22. 22. São todos os resíduos que não são abrangidos pela definição de resíduos perigosos Resíduos naõ perigosos
  23. 23. São resíduos que quando depositados em aterro não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas importantes Resíduos inertes
  24. 24. São resíduos que podem ser sujeitos a decomposição anaeróbico como por exemplo os resíduos alimentares de jardim, etc,… Resíduos biodegradáveis
  25. 25. Pode-se tratar dos resíduos através de certos tratamentos, como: Físicos (Triagem e reciclagem) Termoquímicos (valorização material e energética) Biológicos (contagem, digestão anaeróbica) Tratamento final Tratamento de resíduos Físico-químicos
  26. 26. No tratamento de resíduos, podem ser utilizados os seguintes processos: •separação de fases: sedimentação, decantação, filtração, centrifugação e floculação; •transição de fases: destilação, evaporação, cristalização; •transferência de fases: absorção, extracção por solventes; •separação molecular: hiper filtração, ultra filtração, osmose reversa, diálise. •Fase química: Tratamento térmico •Fase química: Uso de reagentes ácidos ou básicos Tratamento físico-químicos
  27. 27. Este tratamento também pode ser tratado por compostagem, esta já foi explicada quando se falou dos resíduos agrícolas. Biogasificação (tratamento de resíduos orgânicos por decomposição anaeróbica que gera biogás) Tratamento mecânico-biológico (é um método de tratamento de resíduos que combina processos de triagem com tratamento biológico ) Tratamento Biológico
  28. 28. No tratamento final encontramos dois tipos: •Aterros Sanitários •Incineração Tratamento final
  29. 29. Instalações onde são depositados resíduos compactados, acima ou abaixo da superfície do terreno.  Os aterros sanitários devem ser construídos em locais com características geológicas adequadas e tem que ser revestidos com materiais impermeáveis, como argila ou plástico, para prevenir e infiltração de substancias tóxicas no solo.  As substâncias lixiviadas são recolhidas e enviadas para uma estação de tratamento e os gases produzidos pelas bactérias decompositoras (biogás) podem ser utilizados na obtenção de energia. Aterros sanitários
  30. 30. Incineração Vantagens: » Grande redução do volume de lixos; » Pequena área de implantação; » As partículas sólidas ficam retidas nos filtros, sendo encaminhadas para os aterros sanitários juntamente com as cinzas; » Os filtros ou precipitadores electroestáticos retiram os gases ácidos e as partículas, para que as emissões não contaminem a atmosfera; » Quase todas as estações de incineração estão concebidas para produzirem electricidade e em algumas incineradoras há separação de materiais para posterior reciclagem. Desvantagens: – Poluição atmosférica; – Emissão de substâncias tóxicas (como dioxinas); – Custos elevados. Combustão de resíduos a altas temperaturas, que, assim, se reduzem a cinzas e gases. Co-incineração – incineração nos fornos das cimenteiras.
  31. 31. Materiais que podem ser incinerados: Papel sujo e degradado Medicamentos Fraldas Materiais que não podem ser incinerados: Óleo de motores usados  Alguns metais  Alguns tipos de resíduos hospitalares  Materiais orgânicos contendo na sua composição halogéneos (cloro e flúor)
  32. 32. Os resíduos sólidos são recolhidos de diversos sítios como indústrias ou casas domiciliárias. Estes resíduos são recolhidos com o auxilio de veículos automóveis. Estes veículos podem ser: Reboques Semi-reboques Compactadores Meios de transporte dos resíduos
  33. 33. A política dos 4 R’s permite que o consumidor reveja o seu dia-a-dia e tome atitudes ecológicas que permitam dar outros tipos de tratamento aos resíduos sólidos que já não quer. Os 4 R’s que vamos falar são: Reduzir Reutilizar Restaurar Reciclar Política dos 4 R’s
  34. 34. Consiste em produzir menores quantidades de resíduos, que através da diminuição do consumo quer na economia de embalagens desnecessárias. Significa que o consumidor poderá optar por: Produtos de longa duração e com menor quantidade de embalagens. Usar sacos de pano ou cestos para transportar as compras Não usar produtos “use e deite fora” Reduzir
  35. 35. Consiste em voltar a utilizar um dado material mesmo que com outra finalidade, ou seja, dar novos usos aos resíduos produzidos, evitando novo ciclo de transformação ou processos de tratamento e eliminação. Significa que o consumidor poderá optar por: Aproveitar os materiais usados, tal como as embalagens, ou produtos que permitam uma utilização ilimitada. Reutilizar
  36. 36. Consiste em reparar algum material usado e que esteja em más condições para que possa voltar a ser utilizado com numa nova finalidade ou com a mesma de antes. Significa: Repor em bom estado; reparar; consertar. Restaurar
  37. 37. Consiste em utilizar alguns RSU reaproveitando-os como matéria prima para a transformar num novo produto. Só deve ocorrer quando não for possível deixar de produzir um resíduo ou quando não se encontrar outra utilização para o mesmo. Deve-se: Colocar os diferentes materiais nos contentores (ecopontos) Fazer uso dos produtos fabricados com materiais reciclados Espalmar as embalagens Reciclar
  38. 38. Plástico e embalagens Papel e cartão Vidro
  39. 39. Água efluente: é a designação dada á água que se desperdiça depois do uso e se desvia para os esgotos para ser orientada para os cursos de água A água efluente poluiu o ambiente logo é necessidade de tratamento para minimizar os efeitos nocivos. ETAR Tratamento de água residuais
  40. 40. Existem 5 etapas de tratamento de esgotos: •Tratamento Preliminar •Tratamento Primário •Tratamento Secundário •Tratamento Terciário •Tratamento Quaternário
  41. 41. Visa a eliminação de resíduos e de corpos sólidos. Para separar os resíduos das águas residuais, estas passam por crivos de barras ou crivos giratórios, que permitem uma eliminação mais completa dos resíduos. Tratamento preliminar
  42. 42. Os efluentes são conduzidos para um tanque de sedimentação de sólidos (clarificadores primários), que contém um sistema de braços giratórios, cuja velocidade de rotação é a indicada para que os sólidos sedimentem ao longo de várias horas. As partículas de matéria orgânica depositam-se no fundo e são retiradas, bem como os materiais gordurosos que flutuam e são recolhidos. Os materiais retirados denominam-se por lamas em bruto (ou lodos em bruto), que serão alvo de tratamento posterior e envio para aterros sanitários. Tratamento primário
  43. 43. Processo biológico durante o qual bactérias aeróbias ou anaeróbias eliminam até 90% da matéria orgânica dissolvida. As bactérias decompositoras podem ser incluídas em lamas activadas, que são misturadas com as águas resultantes do tratamento primário, ou podem recobrir um leito de gravilha sobre o qual passa a água (tanques de percolação). Ao tratamento secundário segue-se uma nova decantação. Tratamento secundário
  44. 44. Separação biológica dos nutrientes, com o objectivo de eliminar o material inorgânico dissolvido, uma vez que são agentes causadores da eutrofização cultural. Tratamento Terciário
  45. 45. Corresponde à limpeza e desinfecção final, em que as águas residuais são submetidas a uma última limpeza por filtração, através de uma camada de areia e posterior desinfecção. Tratamento Quaternário Tratamento de efluentes

×