Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

It's the end of the World as we know it - Na publicidade brasileira

Palestra em 05/11/2015 para a ABRADI-SP em São Paulo.

  • Login to see the comments

It's the end of the World as we know it - Na publicidade brasileira

  1. 1. It’stheendofthe Worldasweknowit
 Napublicidadebrasileira @lent Michel Lent
 Founder, CPO
 Lent/AG
  2. 2. Mudanças estruturais
  3. 3. Meios digitais fragmentaram as audiências
  4. 4. Criação de grandes audiências
 nas plataformas digitais
  5. 5. Falar com muita gente ficou mais barato
  6. 6. Os canais tradicionais não são mais eficazes
  7. 7. Mudanças conjunturais
  8. 8. Crise político-financeira
  9. 9. Pessoas comprando menos
  10. 10. Confiança abalada
  11. 11. Impactoda mudançanas pessoas
  12. 12. Mais conteúdo, as mesmas 24 horas
  13. 13. Mais tempo é gasto em redes sociais
  14. 14. Mais tempo é gasto no mobile
  15. 15. Mais tempo é gasto vendo video online
  16. 16. Menos tempo pra TV, revistas, jornais
  17. 17. Impactoda mudançanas empresasde conteúdo
  18. 18. Empresas sentem a perda da audiência
  19. 19. Disputam a verba com mais empresas
  20. 20. Concorrem com produtores amadores
  21. 21. Menos anunciantes, menos receita
  22. 22. Impacto direto que gera demissões
  23. 23. Impactoda mudançanos anunciantes
  24. 24. Anunciantes vendem menos e investem menos
  25. 25. Antigos formatos perdem eficácia
  26. 26. Menos verba, menos agências,
 necessidade de concentrar
  27. 27. Demanda por novas soluções, novos formatos, menos custosos
  28. 28. Impactoda mudançanas agências
  29. 29. Desaparecimento de verba afeta
 diretamente a estrutura das agências
  30. 30. Redimensionamento de times,
 novas ofertas e serviços
  31. 31. Grandes salários afetados diretamente
  32. 32. Grupos promovem fusões, revisões, reduções
  33. 33. Asnovas pessoas
  34. 34. Um novo tipo de consumidor, informado, antenado, crítico, ácido e mal acostumado com atendimento exemplar
  35. 35. Se informa por outros meios,
 menos influenciável
  36. 36. Pessoas com a atenção muito fragmentada, saturada com tanta informação, difícil de se mobilizar
  37. 37. Demanda por novos formatos, com muita qualidade, originalidade e inteligência
  38. 38. Asnovas empresasde conteúdo
  39. 39. A demanda por bom conteúdo se mantém
  40. 40. A receita que o conteúdo gera é diferente, menor em geral e mais distribuída
  41. 41. Manter as estruturas antigas para produzir novos conteúdos não é mais possível
  42. 42. Novos players despontam
  43. 43. Poucos tradicionais conseguirão se adaptar
  44. 44. Osnovos anunciantes
  45. 45. Anunciantes cada vez mais
 auto-suficientes
  46. 46. Growth-hacking é uma realidade para empresas novas em mercados novos
  47. 47. Nova geração assumindo as lideranças das marcas, com forte bagagem digital
  48. 48. Asnovas agências
  49. 49. Verbas menores demandam
 estruturas menores
  50. 50. Menos foco em criação e mais foco em
 estratégia e solução de negócio
  51. 51. Sem divisão de online e offline
  52. 52. Alta demanda de articulação e parcerias
 com empresas especializadas
  53. 53. Muito foco em ROI
  54. 54. Onovo mercado
  55. 55. A soma destes fatores irá provocar mudanças profundas no mercado
  56. 56. Novas agências surgirão já no novo modelo
  57. 57. Estruturas mais enxutas,
 menos verba, salários menores
  58. 58. Oportunidade extraordinária para o surgimento de novos players
  59. 59. Osnovos profissionais
  60. 60. Multidisciplinaridade é a demanda dos próximos anos nas agências
  61. 61. Espaço para serviços muito
 especializados dentro da cadeia
  62. 62. Compreensão e utilização do digital é absolutamente indispensável
  63. 63. Espírito e capacitação de empreendedor será cada vez mais diferencial e indispensável
  64. 64. obrigado. MICHEL LENT m@lent.ag | www.lent.ag www.slideshare.net/mlent68

×