Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Reset. A morte e o (re) nascimento do marketing.

Palestra de Michel Lent no Digitalks BH 2016

  • Login to see the comments

Reset. A morte e o (re) nascimento do marketing.

  1. 1. Reset.Amorteeo (re)nascimentodo marketing. @lent Michel Lent Founder, CPO Lent/AG Belo Horizonte, 22 de novembro de 2016.
  2. 2. As4eras
  3. 3. Aerade DonDraper
  4. 4. Distância entre os produtos e as pessoas
  5. 5. A invenção das estórias (“It’s toasted”)
  6. 6. A estabilidade dos formatos
  7. 7. Aerade SteveJobs
  8. 8. A (r)evolução da tecnologia
  9. 9. O acesso às ferramentas de produção
  10. 10. O empoderamento do indivíduo
  11. 11. AeradeTim Berners-Lee
  12. 12. A Web, a internet, o fim das fronteiras
  13. 13. A conexão do mundo
  14. 14. Informação sem limite
  15. 15. Aeradas pessoas
  16. 16. As grandes ‘praças’ virtuais
  17. 17. O encontro das pessoas
  18. 18. O empoderamento da voz do indivíduo
  19. 19. Impactoda mudançanas empresasde conteúdo
  20. 20. Líderes sentem o impacto direto
  21. 21. Disputando não só com os concorrentes diretos, mas pelo tempo das pessoas
  22. 22. Concorrendo com produtores de conteúdo "amadores"
  23. 23. Perdendo a disputa pelo tempo para a internet como um todo
  24. 24. Menos audiência, menos anunciantes e menos receita
  25. 25. Queda de receita com efeito direto nos quadros das empresas
  26. 26. Impactoda mudançanos anunciantes
  27. 27. Anunciantes vendem menos e investem menos
  28. 28. E diminuição de eficácia dos meios impacta diretamente os modelos de marketing.
  29. 29. Menos vendas, menos eficácia, menos verba, menos agências.
  30. 30. Demanda por novas soluções, novos formatos, menos custosos
  31. 31. Impactoda mudançanas agências
  32. 32. Redimensionamento de times, novas ofertas e serviços
  33. 33. Grandes salários afetados diretamente
  34. 34. Grupos promovem fusões, revisões, reduções
  35. 35. O fim da mídia como modelo de remuneração
  36. 36. Verbas menores demandam estruturas menores
  37. 37. Menos foco em criação e mais foco em estratégia e solução de negócio
  38. 38. Muito foco em ROI
  39. 39. Osnovos anunciantes
  40. 40. Novos entrantes constroem marcas sem publicidade
  41. 41. Anunciantes cada vez mais auto-suficientes
  42. 42. Growth-hacking é uma realidade para empresas novas em mercados novos e velhos
  43. 43. Indivíduos com o poder de influência de corporações
  44. 44. Nova geração assumindo as lideranças das marcas, com forte bagagem digital
  45. 45. Alta demanda de articulação e parcerias com empresas especializadas
  46. 46. Asnovas empresasde conteúdo
  47. 47. As plataformas vão sendo resignificadas
  48. 48. Novos modelos de negócio mostram caminhos
  49. 49. A demanda por bom conteúdo se mantém
  50. 50. A receita que o conteúdo gera é diferente, menor em geral e mais distribuída
  51. 51. Manter as estruturas antigas para produzir novos conteúdos parece impossível
  52. 52. As empresas “tradicionais” buscam a reinvenção
  53. 53. Achandoaluz nofimdotúnel
  54. 54. Neste novo cenário, boas marcas continuam tendo valor
  55. 55. A experiência ganha um papel central na sobrevivência dos negócios
  56. 56. A reengenharia das corporações é muito difícil, mas possível e indispensável
  57. 57. E, independente de formato, modelo de negócio ou plataforma, bom conteúdo reinará.
  58. 58. obrigado m@lent.ag | www.lent.ag

×