Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Violência- do que se trata? São ações realizadas por indivíduos, grupos, classes, nações, que ocasionam danos físicos, emo...
<ul><li>A violência é um fenômeno humano, social, acontece nas relações humanas e é histórica. </li></ul><ul><li>A violênc...
Para compreendermos melhor o problema da violência é necessário conhecermos a diferença entre agressividade e violência as...
<ul><li>Violência :  toda a agressividade utilizada no intuito de dominar ou submeter outro. </li></ul><ul><li>É todo exer...
<ul><li>O exercício abusivo do poder é a condição diferencial para distinguir a violência em relação à agressividade </li>...
VIOLÊNCIA <ul><li>Segundo Corsi,  “O objetivo de quem exerce violência é anular o conflito e controlar o outro por meio de...
  DIFERENÇA ENTRE CONFLITO INTERPESSOAL E VIOLÊNCIA <ul><li>Conflito interpessoal </li></ul><ul><li>Agressividade entre as...
<ul><li>Quem exerce :  na grande maioria das vezes o homem; </li></ul><ul><li>Quem sofre :  na grande maioria das vezes as...
VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES <ul><li>A violência contra crianças e adolescentes possui o ambiente doméstico co...
Fenômeno  bullying <ul><li>Bullying  é um fenômeno que representa um conjunto de ações agressivas intencionais, repetitiva...
<ul><li>físicas   (empurrões, chutes, pontapés)  </li></ul><ul><li>verbais   (ofensas, calúnias...), </li></ul><ul><li>rel...
<ul><li>A atitude do professor frente a situações de intimidação e vitimização é decisiva para abordar o problema. </li></...
MANIFESTAÇÕES DA VIOLÊNCIA NA ESCOLA <ul><li>Aumento da evasão, transtornos de aprendizagem, violência escolar. </li></ul>...
Abordagens que podem ser feitas pela comunidade escolar <ul><li>Obter o comprometimento de que a violência não se repetirá...
<ul><li>Promover o reconhecimento da situação de violência em especial, do agressor, levando-o a uma percepção mais crític...
<ul><li>Favorecer a aprendizagem de hábitos de respeito, confiança, estima e cuidado. </li></ul><ul><li>Trabalhar sentimen...
<ul><li>A comunidade escolar está em uma posição estratégica para detectar precocemente os riscos da violência.  </li></ul...
 
<ul><li>É indispensável um trabalho conjunto, articulado, em consonância com as Coordenadorias da Infância e  da Juventude...
<ul><li>Que investem em monitoramento e avaliação das ações. </li></ul><ul><li>Os programas mais eficazes de  combate à vi...
<ul><li>“ Enquanto permanecemos hipnotizados pela miragem do insolúvel,deixamos de resolver aquilo cuja solução depende da...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Violência, de que se trata.

  • Login to see the comments

Violência, de que se trata.

  1. 1. Violência- do que se trata? São ações realizadas por indivíduos, grupos, classes, nações, que ocasionam danos físicos, emocionais e ou espirituais a si próprios ou a outros, apresentando profundo enraizamento nas estruturas sociais, políticas, bem como nas consciências individuais e coletivas. (Minayo)
  2. 2. <ul><li>A violência é um fenômeno humano, social, acontece nas relações humanas e é histórica. </li></ul><ul><li>A violência é a forma de resolver conflitos. </li></ul><ul><li>A consciência social da violência aumentou. </li></ul><ul><li>O homicídio que é o fenômeno da violência cresceu. </li></ul>
  3. 3. Para compreendermos melhor o problema da violência é necessário conhecermos a diferença entre agressividade e violência assim definida pelo terapeuta Jorge Corsi <ul><li>Agressividade - a potencialidade inerente a todos os seres vivos de caráter e base biológica com o objetivo de garantia de necessidades básicas à sobrevivência dos mesmos. Nos animais isto é instinto e nos seres humanos é uma característica necessária que serve como mola propulsora na superação de obstáculos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Violência : toda a agressividade utilizada no intuito de dominar ou submeter outro. </li></ul><ul><li>É todo exercício abusivo de poder onde a intenção é o controle independente da vontade do outro, e só ocorre nos seres humanos. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O exercício abusivo do poder é a condição diferencial para distinguir a violência em relação à agressividade </li></ul>
  6. 6. VIOLÊNCIA <ul><li>Segundo Corsi, “O objetivo de quem exerce violência é anular o conflito e controlar o outro por meio de maus-tratos, devido à técnica de dominação”. </li></ul>
  7. 7. DIFERENÇA ENTRE CONFLITO INTERPESSOAL E VIOLÊNCIA <ul><li>Conflito interpessoal </li></ul><ul><li>Agressividade entre as pessoas </li></ul><ul><li>Circularidade </li></ul><ul><li>Não há submetimento </li></ul><ul><li>Papéis móveis </li></ul><ul><li>Simetria de poder </li></ul><ul><li>Horizontalidade </li></ul><ul><li>Situação de violência </li></ul><ul><li>Violência feita a alguém </li></ul><ul><li>Unidirecionalidade </li></ul><ul><li>Submetimento de alguém </li></ul><ul><li>Papéis fixos </li></ul><ul><li>Assimetria de poder </li></ul><ul><li>Verticalidade </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Quem exerce : na grande maioria das vezes o homem; </li></ul><ul><li>Quem sofre : na grande maioria das vezes as mulheres e crianças; </li></ul><ul><li>Quem testemunha : na grande maioria das vezes as crianças e adolescentes. </li></ul>
  9. 9. VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES <ul><li>A violência contra crianças e adolescentes possui o ambiente doméstico como o palco onde na maioria das vezes se desenrolam situações que envolvem: </li></ul><ul><li>Violência física : lesões físicas provocadas por castigos e agressões; </li></ul><ul><li>Negligência física e emocional : não-atendimento às necessidades da criança ou reconhecimento de sua vulnerabilidade; </li></ul><ul><li>Violência psicológica : através de menosprezo, rechaço e desvalorização; </li></ul><ul><li>Exploração sexual : que inclui o abuso por violação, incesto, prostituição infantil e outros de natureza sexual. </li></ul>
  10. 10. Fenômeno bullying <ul><li>Bullying é um fenômeno que representa um conjunto de ações agressivas intencionais, repetitivas, envolvendo desigualdades de poder físico, social ou psicológico entre alunos, gerando situações de conflito e exclusão. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>físicas (empurrões, chutes, pontapés) </li></ul><ul><li>verbais (ofensas, calúnias...), </li></ul><ul><li>relacionais (exclusão, perseguição...) </li></ul>A criança e o adolescente prefere sofrer em silêncio a denunciar a agressão para o adulto. As formas de intimidação mais freqüentes são:
  12. 12. <ul><li>A atitude do professor frente a situações de intimidação e vitimização é decisiva para abordar o problema. </li></ul>A intervenção do professor é fundamental no estabelecimento das relações entre os alunos <ul><ul><li>O professor representa o papel da autoridade; é quem combina as regras e interfere diretamente no cumprimento ou não delas. </li></ul></ul>
  13. 13. MANIFESTAÇÕES DA VIOLÊNCIA NA ESCOLA <ul><li>Aumento da evasão, transtornos de aprendizagem, violência escolar. </li></ul><ul><li>Possíveis fugas do lar; gestações indesejadas; prostituição; drogas, etc... </li></ul><ul><li>Aumento da violência social, condutas anti-sociais. </li></ul>
  14. 14. Abordagens que podem ser feitas pela comunidade escolar <ul><li>Obter o comprometimento de que a violência não se repetirá. </li></ul><ul><li>Desnaturalizar e deslegitimar a violência enquanto expressão de idéias e sentimentos. </li></ul><ul><li>Interferir no circuito de condutas violentas, definindo fronteiras e limites. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Promover o reconhecimento da situação de violência em especial, do agressor, levando-o a uma percepção mais crítica acerca de sua conduta. </li></ul><ul><li>Auxiliar o agressor a responsabilizar-se por seu comportamento violento, afastando a noção de causalidade ou patologia. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Favorecer a aprendizagem de hábitos de respeito, confiança, estima e cuidado. </li></ul><ul><li>Trabalhar sentimentos de dor, raiva, culpa e reparação. </li></ul><ul><li>Auxiliar no desenvolvimento da capacidade de tolerância e de negociação das diferenças, equilibrando a distribuição de autoridade e poder, facilitando a comunicação e promovendo a construção conjunta de normas de convivência. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>A comunidade escolar está em uma posição estratégica para detectar precocemente os riscos da violência. </li></ul><ul><li>Proporcionando visibilidade ao problema e com isto “desconstruindo” o conceito de que a violência é algo que faz parte da natureza. </li></ul>
  18. 19. <ul><li>É indispensável um trabalho conjunto, articulado, em consonância com as Coordenadorias da Infância e da Juventude, Conselhos Tutelares e outros órgãos de proteção para que se possa determinar com maior profundidade, a dinâmica do caso, seu diagnóstico e prognóstico. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Que investem em monitoramento e avaliação das ações. </li></ul><ul><li>Os programas mais eficazes de combate à violência são: </li></ul><ul><li>Os continuados e que atuam sobre mais fatores de risco. </li></ul><ul><li>Que atuam em rede com equipes multidisciplinares, com registros e análise estratégica de dados. </li></ul><ul><li>Que investem em capacitação profissional. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>“ Enquanto permanecemos hipnotizados pela miragem do insolúvel,deixamos de resolver aquilo cuja solução depende da nossa vontade e iniciativa” </li></ul><ul><li>Jurandir Freire Costa </li></ul>

×