Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Semiologia cardíaca

18,733 views

Published on

Aparelho Cardiovascular
Dr.Renan
ciclo cardíaco

Published in: Health & Medicine

Semiologia cardíaca

  1. 1. Aparelho Cardiovascular Ciclo Cardíaco, ictus cordis, focos e bulhas cardíacas DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA
  2. 2. Noções de anatomia cardíaca • Coração separado em 2 partes (direita e esquerda) e cada metade consiste em 2 câmaras: • Átrios -> Recebem sangue das veias • Ventrículos -> Impulsionam o sangue para as artérias • O átrio direito (recebe sangue venoso pelas veias cavas) -> Valva tricúspide-> Ventrículo direito -> Valva pulmonar -> Artéria pulmonar -> Pulmão -> Veias pulmonares -> Átrio esquerdo -> Valva Mitral -> Ventrículo Esquerdo -> Valva aórtica -> Aorta
  3. 3. Ciclo cardíaco • Sequência de eventos cardíacos que ocorre do início de cada batimento cardíaco até o início do próximo batimento • Cada ciclo consiste em um período de relaxamento (diástole) e contração (sístole) • Tem início pela geração espontânea de um potencial de ação no nó sinusal, que se propaga pelos átrios -> nó atrioventricular -> feixe de His (ramos direito e esquerdo) e fibras de Purkinje
  4. 4. Ciclo Cardíaco - Sístole 1) Contração isovolumétrica - Inicia-se na contração ventricular - Aumento abrupto da pressão dentro do ventrículo e fechamento das valvas Atrioventriculares - Após 0,02-0,03s os ventrículos geram pressão suficiente para abrir as valvas semilunares 2) Período de Ejeção - Pressão ventricular força a abertura da semilunares - 70% do sangue sai nos primeiros 2/3 da ejeção (ejeção rápida) e 30% no 1/3 final (ejeção lenta)
  5. 5. Ciclo Cardíaco - Diástole 1) Relaxamento isovolumétrico - Queda rápida da pressão intraventricular - Fechamento abrupto das valvas semilunares - Por 0,03-0,06s o músculo relaxa, porém o volume não se altera - Quando a pressão intraventricular fica menor que a dos átrios -> abertura das valvas atrioventriculares
  6. 6. Ciclo Cardíaco - Diástole 2) Enchimento rápido - Após abertura das valvas atrioventriculares - Cerca do primeiro 1/3 da diástole 3) Enchimento lento (diástese) - Ocorre no 1/3 médio da diástole - Pequena quantidade de sangue que flui diretamente das ceias para o ventrículo 4) Contração atrial - Último 1/3 da diástole - Impulso adicional de sangue para os ventrículos (25%)
  7. 7. Ciclo Cardíaco • Fechamento dos folhetos da valva mitral e tricúspide -> principal componente da 1ª bulha cardíaca • Fechamento da valva aórtica e pulmonar-> principal componente da 2ª bulha cardíaca
  8. 8. Projeção do Coração no Tórax
  9. 9. Exame Físico do Coração • Inspeção • Palpação • Ausculta
  10. 10. Inspeção • Abaulamentos • Intrínsecos • Hipertrofia e/ou dilatação cardíaca • Mais evidente nos jovens • Extrínsecos • Derrame pericárdico, enfisema, empiema, aneurisma de aorta
  11. 11. Inspeção • Deformidades • Batimentos e movimentos • Pulsação epigástrica (transmissão da aorta abdominal ou hipertrofia de VD) • Pulsação na fúrcula (pode significar HAS, aneurisma de aorta) • Análise do Ictus cordis (se visível)
  12. 12. Inspeção/Palpação • Ictus cordis (choque da ponta) • Corresponde ao choque da ponta do ventrículo esquerdo contra o arcabouço torácico • Observar -> Localização, extensão, mobilidade, intensidade, ritmo e frequência
  13. 13. Ictus Cordis • Inspeção • Ao lado direito do paciente e junto aos pés • Pode não ser visível em pessoas normais • Localização pode variar com biotipo • Localização • Normalmente -> 5º EIC na linha hemiclavicular
  14. 14. Ictus Cordis • Extensão • Normal – 2 polpas digitais • Intensidade • Palpação com a palma da mão • Mobilidade • Ictus varia com a posição do indivíduo • Ritmo e frequência
  15. 15. Ictus Cordis • Hipertrofia e/ou dilatação do VE -> Deslocamento do ictus para baixo e para esquerda • Hipertrofia do VD -> Deslocamento horizontal para esquerda • Ictus difuso (ou globoso) -> ≥ 3 polpas digitais (dilatação) • Ictus propulsivo -> Hipertrofia
  16. 16. Palpação Precordial • Frêmito cardiovascular • Sensação tátil determinada por vibrações produzidas no coração ou nos vasos • Corresponde aos sopros • Determinar a localização, a situação no ciclo cardíaco e a intensidade (+ a ++++) • Raro
  17. 17. Ausculta cardíaca • Auscultar todos os focos • Paciente sentado, decúbito dorsal e decúbito lateral esquerdo (Pachon) • Observar bulhas cardíacas, ritmo e frequência, cliques ou estalidos, sopros, ruídos de pericardite e atrito pericárdico
  18. 18. Ausculta Cardíaca • Manobras • Ligeira flexão do tronco (focos da base) • Müller – inspiração forçada com a glote fechada • Valsalva – Expiração forçada com a glote fechada • Rivero-Carvalho – Apnéia inspiratória com inspiração forçada
  19. 19. Ausculta Cardíaca • Focos apicais • Foco mitral -> 5º EIC esquerdo, linha hemiclavicular • Foco tricúspide -> Base do apêndice xifoide, ligeiramente à esquerda • Focos da base • Foco aórtico -> 2º EIC direito, junto ao esterno • Foco aórtico acessório -> 3º EIC esquerdo, próximo ao esterno • Foco pulmonar -> 2º EIC esquerdo, junto ao esterno *Observar outras localizações, como dorso, axila e pescoço (irradiações)
  20. 20. Bulhas Cardíacas • São vibrações geradas pela aceleração e desaceleração da coluna de sangue e pelas estruturas cardiovasculares (ventrículos, aparelhos valvares) • Podem ser ouvidas em todos os focos • B1, B2, B3 e B4
  21. 21. Bulhas Cardíacas • Primeira Bulha (B1) • Principal elemento -> fechamento das valvas mitral e tricúspide (vibração destes após o fechamento pela movimentação de sangue), além da tensão na parede dos ventrículos e aceleração da coluna líquida • Coincide com o ictus cordis e o pulso carotídeo • Timbre mais grave e duração pouco maior que a 2ª bulha • “TUM”
  22. 22. Bulhas Cardíacas • Segunda Bulha (B2) • Principal elemento -> Fechamento das valvas aórtica (A2) e pulmonar (P2) (vibração por desaceleração da coluna líquida) • Desdobramento fisiológico é comum nas crianças • Timbre mais agudo e seco • “TA”
  23. 23. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • Hiperfonese de ambas as bulhas em todos os focos • Exercício, emoção, febre, hipertireoidismo • Hipofonese de ambas as bulhas em todos os focos • Obesidade, enfisema, derrame pericárdico
  24. 24. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • B1 • Mais audível nos focos mitral e tricúspide • Hiperfonese • Hipertrofia do VE (HAS, insuficiência aórtica) • Alterações valvares -> estenose mitral (acompanhado de modificações de timbre) • Hipofonese • Principalmente por insuficiência contrátil (IC)
  25. 25. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • B2 • Mais audível nas áreas da base • Hiperfonese • Ocorre em situações em que há aumento do débito (tanto arterial aórtico quanto pulmonar) • Hipofonese • Situações com redução do DC -> ruído menos intenso
  26. 26. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B1 • É percebido descontinuidade na bulha • Fisiológico -> mais comum em adultos (maior diferença pressórica entra aórtica e pulmonar) e é transitório • Patológico ->Pode representar um atraso no fechamento da valva tricúspide e sobrecargas ventriculares • Presente tanto na inspiração quanto na expiração • Diferenciar de aparentes desdobramentos de B1 (estalidos sistólicos, B4) • “Trum – Ta”
  27. 27. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B2 • Analisar áreas da base • Fisiológico • Comum em crianças e jovens • Evidente na inspiração • Queda da pressão intratorácica -> aumento do retorno venoso -> aumento do tempo de ejeção do VD -> atraso de P2 • “Tum – trá”
  28. 28. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B2 (Patológico) • Presentes na inspiração e expiração • Bloqueio de ramo direito • Acentua-se na inspiração • Comunicação interatrial (desdobramento fixo de B2) • Não se modifica com inspiração • Bloqueio de ramo esquerdo (desdobramento paradoxal) • Evidente na expiração

×