Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

As festas da antiguidade

As festas da antiguidade

  1. 1. As festas da Antiguidade: Roma Prof. Ms. Fabio Augusto de Oliveira Santos
  2. 2. FESTIVIDADES RELIGIOSAS <ul><li>No início do mundo romano, havia poucas festividades. Algumas sobreviveram até finais do Império pagão, preservando a memória da fertilidade e os ritos propiciatórios de um primitivo povo agrícola. </li></ul><ul><li>A incorporação de novos deuses e ritos incrementou o calendário religioso e chegou a ser tão excessivo em número de festas religiosas que ultrapassaram aos dias dedicados ao trabalho. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Entre as festividades religiosas romanas mais importantes figuravam as Saturnais, as Lupercais, a Equiria e os jogos Seculares. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>As Saturnais se celebravam durante sete dias, de 17 a 23 de dezembro, durante o período em que começava o Solstício de Inverno. De grande importância eram essas festas, porque toda a atividade econômica se alterava: tudo se suspendia e os escravos ficavam livres, embora por um curto espaço de tempo. Predominava um ambiente de alegria e presentes eram trocados. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>As Lupercais era uma antiga celebração na qual originalmente se honrava a Luperco, um Deus pastoril. A festividade se celebrava em 15 de fevereiro na gruta de Lupercal situada no monte Palatino. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>A Equiria , era celebrada de 27 de fevereiro a 14 de março. Esse era um festival em honra ao Deus Marte. Fevereiro e Março apareciam como a época do ano em que se preparavam novas campanhas militares. Um dos sítios das celebrações era conhecido como Campo de Marte e era onde realizavam-se corridas de cavalos, que definiam claramente essa celebração. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Os Jogos Seculares incluíam espetáculos atléticos e sacrifícios. A festa era realizada em intervalos regulares. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Ambarvais: Festas celebradas em Roma e destinadas a chamar a proteção dos deuses, principalmente de Ceres, sobre a terra, de modo que se afastassem os furores de Marte e as colheitas fossem boas e os campos férteis. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Caprotinas : Festas que, em Julho e entre os antigos Romanos, se celebravam em honra de Juno. </li></ul>Deusa Juno, mulher de Júpiter e rainha dos Deuses.
  10. 10. <ul><li>Compitais: Festas romanas, em honra dos deuses Lares das encruzilhadas das ruas ou caminhos. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Florálias: Antigas festas em honra de Flora, que se celebravam em Roma, na Primavera. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Fontinais: Festas que se celebravam em honra das ninfas das fontes. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Junónias: Antigas festas em honra de Juno. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Lamptérias: Antigas festas, com iluminações, em honra de Baco, depois das vindimas. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Latinas - Festas em honra de Júpiter, que os Romanos celebravam no Lácio. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Palília - Festa dos pastores em honra de Palés e que se celebrava em Roma a 21 de Abril, aniversário da fundação da cidade. </li></ul><ul><li>Ramálias - Festas que se celebravam em Roma, em honra de Ariadne e de Baco , e nas quais se levavam cepas de videiras carregadas de cachos de uvas. </li></ul>Outras festas romanas
  17. 17. <ul><li>Quinquátrias - Festas que se celebravam em Roma, durante cinco dias, de quatro em quatro anos, em honra de Palas. </li></ul><ul><li>Parílias - Festa que as damas grávidas da antiga Roma celebravam para terem partos felizes. </li></ul><ul><li>Paganálias - Antigas festas em honra de Ceres , também chamadas paganais . </li></ul><ul><li>Portunais - Antigas festas romanas em honra de Portuno, deus dos portos. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Fontanálias - Festas celebradas em Roma a 13 de Outubro de cada ano, em honra das ninfas das águas; celebravam-se no monte Celius. </li></ul><ul><li>Vulcanais - Festas anuais que se celebravam em Roma, a 23 de Agosto, em honra de Vulcano. </li></ul><ul><li>Vinálias - Nome dado, na antiga Roma, às festas que se celebravam em Setembro, no começo da vindima, e em Maio, quando se procedia à prova do vinho novo. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Vicenálias - Festas que na antiga Roma se celebravam de vinte em vinte anos, em geral de carácter religioso, que, por decisão do Senado, tinham por fim implorar aos deuses a conservação da saúde do imperador. </li></ul><ul><li>Venerais - Festas romanas que eram em honra da deusa Vénus. </li></ul><ul><li>Vestálias - Antigas festas pagãs em honra de Vesta. </li></ul><ul><li>Vacunais f. pl. Festas que se celebravam em Roma, em honra de Vacuna, principalmente entre as populações de origem sabina. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Targélias - Antigas festas áticas que eram celebradas em honra de Diana. </li></ul><ul><li>Septimátrias - Antigas festas romanas que se celebravam em honra de Minerva, no sétimo dia depois dos idos. </li></ul><ul><li>Sabázias - Antigas festas de Gregos e Romanos em honra de Baco e de Júpiter. </li></ul><ul><li>Regifúgio - Festa anual celebrada na antiga Roma, a 24 de Fevereiro, em comemoração da expulsão dos Tarquínios. </li></ul>
  21. 21. TEXTO: AS FESTAS IMPERIAIS NA ROMA ANTIGA - OS DECENNALIA E OS JOGOS SECULARES DE SEPTÍMIO SEVERO
  22. 22. QUEM FOI SEPTÍMIO SEVERO? <ul><li>Imperador romano (193-211), fundador da dinastia dos Severos (193-235). Iniciou sua carreira militar como questor em Roma (169), degrau necessário para a posterior participação no Senado. Tornou-se pretor (177), comandante de legião na Síria (180-182) e nomeado governador da Galia (184). Em 193 foi proclamado imperador por suas tropas. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Após batalhas no Egito e na Síria, voltou a Roma (203) para celebrar o jubileu de dez anos de governo , com a construção de um magnífico arco do triunfo e participar da celebração dos Jogos Seculares (204). </li></ul>A volta triunfal de SEPTÍMIO SEVERO à cidade de Roma
  24. 24. As festas romanas <ul><li>Serviam de cenário para a apresentação das boas qualidades, da imagem idealizada do soberano. Nos momentos festivos, ele era a imagem da generosidade , ao promover distribuições de dinheiro e alimentos, da força , ao ser aclamado pelas legiões e pela plebe urbana, do pontificado , ao realizar importantes ritos religiosos, responsáveis por garantir o apoio das divindades à continuidade do Império. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>“ Na ocasião do décimo aniversário de sua ascensão ao poder, Severo presenteou o conjunto daqueles que se beneficiavam das distribuições de trigo (a plebe frumentária) e os soldados da Guarda Pretoriana com moedas de ouro em igual número aos anos de seu reinado. Ele vangloriou-se de sua generosidade, e, de fato, nenhum Imperador anterior tinha gasto tanto dinheiro com a população. Estima-se que gastou no total duzentos milhões de sestércios (cinqüenta milhões de dracmas)” </li></ul><ul><li>(Dion Cássio, LXXVII, 1.1). </li></ul>
  26. 26. <ul><li>“ As núpcias de Antonino, filho de Severo, e de Plautila, filha de Plautiano, foram celebradas neste momento. E Plautiano deu a sua filha um dote suficiente para garantir o casamento de cinqüenta princesas. Nós vimos os presentes quando foram carregados do Forum para o Palácio” </li></ul><ul><li>(Dion Cássio, LXXVII, 1.2). </li></ul>
  27. 27. <ul><li>“ E nós participamos juntos de um banquete, em parte real em parte com um estilo bárbaro, no qual foram servidos não somente todas as costumeiras carnes cozidas, mas também carne crua e diversos animais ainda vivos” </li></ul><ul><li>(Dion Cássio, LXXVII, 1.3). </li></ul>
  28. 28. <ul><li>“ Neste tempo, ocorreram todos os tipos de espetáculos em honra do retorno de Severo, da comemoração de seus dez primeiros anos no poder e de suas vitórias. Nestes espetáculos, lutaram uns com os outros, a um sinal dado, sessenta javalis selvagens de Plautiano, junto com vários outros animais selvagens, que foram mortos, incluindo entre eles um elefante e um corocottas. Este último animal é uma espécie indiana, que foi introduzida em Roma neste momento pela primeira vez, segundo meu conhecimentos. Tinha a cor de uma leoa e de um tigre combinados, e a aparência geral destes animais, como também de um cachorro e de uma raposa, curiosamente listrado. </li></ul><ul><li>(Dion Cássio, LXXVII, 1.4-5). </li></ul>
  29. 29. <ul><li>No centro do anfiteatro foi construído um grande receptáculo de água dentro do qual se construiu um navio, e este navio era capaz de receber e de liberar quatrocentas feras de uma só vez. Depois o navio foi bruscamente escondido na água, e de dentro dele passaram a surgir na arena ursos, leoas, panteras, leões, avestruzes, asnos selvagens, bisões (este é uma espécie de boi estrangeiro em espécie e aparência). Então, setecentos animais ao todo, entre selvagens e domesticados, um de cada vez ou ao mesmo tempo, foram sendo abatidos, enquanto corriam para todos os lados. Para corresponder a duração da festa, que durou sete dias, o número de animais abatidos foi sete vezes cem” </li></ul><ul><li>(Dion Cássio, LXXVII, 1.4-5). </li></ul>
  30. 30. Os Jogos Seculares <ul><li>“ (Severo) tentava, ganhar o favor do povo oferecendo continuamente magníficos espetáculos de todo o tipo. Celebrou os jogos triunfais, para os quais fez vir atores e gladiadores de todas as partes. Vimos durante seu governo representações de todo o tipo de espetáculos, em todos os teatros simultaneamente, e cerimônias religiosas celebradas durante toda a noite, a imitação dos mistérios. Elas se chamaram, então, de Jogos Seculares porque se celebraram quando haviam passado três gerações desde os últimos, segundo se dizia. Os mensageiros foram de um lado a outro de Roma e da Península Itálica, convocando a todos os que encontravam para contemplar jogos que nunca haviam visto antes e que nunca mais veriam. Assim, recordavam que o intervalo entre uma celebração e a seguinte ia além da vida de um homem” </li></ul><ul><li>(Herodiano, III, 8.9- 10). </li></ul>
  31. 31. <ul><li>Era assegurar a sobrevivência da cidade até o século seguinte. Uma preocupação predominante era obter o favor dos deuses para que os cidadãos fossem poupados de doenças e de epidemias. Era importante também garantir em algum momento da festa o culto à Dea Roma, a própria encarnação do poder da cidade frente ao Império conquistado, e o culto à Juno Moneta, a representação da riqueza e da abundância imperiais </li></ul><ul><li>(Brind’Amour, 1972:1334-1417). </li></ul>O objetivo fundamental das celebrações seculares
  32. 32. Um dos fatores mais importantes dos Jogos Seculares <ul><li>Era garantir a proteção dos deuses para mais cento e dez anos de abundância para o Império e seus habitantes. Severo não perdeu a ocasião de inaugurar por ocasião dos Jogos, uma nova era de alegria e de fecundidade que todo o Império esperava, sendo isso comprovado por meio de um prodígioo final da guerra contra os Partos – a vitória romana era um bom sinal da proteção dos deuses aos novos tempos de paz. </li></ul>
  33. 33. Finalizando... <ul><li>Como afirma A . Momigliano, as estátuas, os templos, os sacerdotes, os jogos, os sacrifícios e outros atos cerimoniais que se executavam em honra do Imperador ajudavam a fazê-lo presente: também ajudavam o povo a expressar seu próprio interesse na conservação do mundo em que viviam. Comemorar o governante era também festejar a manutenção da situação vigente, ou seja perceber como o espaço festivo era utilizado para construir a imagem de um ídolo. </li></ul>

×