Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Alergia alimentar

7,185 views

Published on

Published in: Health & Medicine
  • ⇒⇒⇒WRITE-MY-PAPER.net ⇐⇐⇐ has really great writers to help you get the grades you need, they are fast and do great research. Support will always contact you if there is any confusion with the requirements of your paper so they can make sure you are getting exactly what you need.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Verifique a fonte ⇒ www.boaaluna.club ⇐. Este site me ajudou escrever uma monografia.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Alergia alimentar

  1. 1. Alergia Alimentar Rosane Rito Mestre em Saúde da Mulher - Instituto Fernandes Figueira/FIOCRUZ Especialista em Nutrição Obstétrica - Residência em Nutrição – HUPE/UERJ Pós-graduada Nutrição Clínica - Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas/RJ Professora Contratada de Nutrição Materno-Infantil IV (Criança) – UFF Graduada em Nutrição – UERJ Nutricionista da Gerência de Programas de Saúde da Criança - SMS/RJ
  2. 2. Alergia Alimentar Terminologia: É um dos tipos de hipersensibilidade alérgica, resultante de uma resposta imune exarcebada quando da exposição de um indivíduo a proteínas alimentares, absorvidas através da mucosa intestinal permeável. Incidência: 0,3 a 38%. Antígenos alimentares  potencial sensibilizante: (presentes) no leite da vaca; carne de porco; ovo; peixe; tomate; abacaxi; banana; chocolate; entre outros.
  3. 3. Alergia Alimentar <ul><li>Níveis de sensibilização: </li></ul><ul><li>Primário: imediato ou tardio, mas mediado por Imunoglobulina E, sem prévia lesão da mucosa intestinal; </li></ul><ul><li>Secundário: infecção aguda do trato gastrintestinal (GEA), absorção excessiva de macromoléculas da dieta capaz de gerar um quadro de sensibilização local ou sistêmica. </li></ul>
  4. 4. Alergia Alimentar Mecanismo secundário a GEA  IgA secretória na mucosa Agressão a mucosa do intestino delgado  secundária de lactase  e entrada de Ag através da mucosa Intolerância secundária à lactose Sensibilização local  da entrada de Ag na circulação Sensibilização sistêmica (Ac) Enteropatia por sensibilização alimentar
  5. 5. Alergia Alimentar <ul><li>Fatores  entrada de Ag na mucosa: </li></ul><ul><li>antigenicidade da proteína alimentar; </li></ul><ul><li>quantidade de Ag ofertado por ocasião do dano da mucosa; </li></ul><ul><li>gravidade e extensão do dano à mucosa; </li></ul><ul><li>fatores do hospedeiro: estado nutricional, imunológicos e genéticos; </li></ul><ul><li> permeabilidade intestinal: fisiológico (prematuros, lactentes jovens - imaturidade da barreira intestinal) ou patológicos (diarréias crônicas ou prolongadas). </li></ul>
  6. 6. Alergia Alimentar <ul><li>Mecanismo de defesa não-imunológicos: </li></ul><ul><li>permeabilidade intestinal seletiva; </li></ul><ul><li>controle do Ag pelo sistema imunológico; </li></ul><ul><li>flora local; </li></ul><ul><li>mucinas; </li></ul><ul><li>acidez gástrica; </li></ul><ul><li>enzimas proteolíticas; </li></ul><ul><li>movimentos peristálticos; </li></ul><ul><li>digestão intracelular. </li></ul>
  7. 7. Alergia Alimentar <ul><li>Mecanismo de defesa imunológicos: </li></ul><ul><li>GALT (Gut associated lymphoid tissues) pool de componentes do sistema imune: </li></ul><ul><ul><ul><li>folículos linfóides; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>plasmócitos e linfócitos da lâmina própria; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>linfócitos intra-epiteliais; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>linfonodos mesentéricos. </li></ul></ul></ul><ul><li>IgA secretória; </li></ul><ul><li>Imunidade celular local (linfócitos T, linfócitos intra-epiteliais, macrófagos e eosinófilos). </li></ul>
  8. 8. Alergia Alimentar <ul><li>Manifestações clínicas: </li></ul><ul><li>Gastrintestinais: </li></ul><ul><ul><ul><li>gastroenterite alérgica (aguda ou crônica) com vômitos, diarréia e cólicas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>cólicas - distensão abdominal, irritação e dor à palpação abdominal; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>vômitos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>obstipação intestinal que não responde à condutas dietéticas para constipação. </li></ul></ul></ul>
  9. 9. Alergia Alimentar <ul><li>Manifestações clínicas: </li></ul><ul><li>Extra-intestinais: </li></ul><ul><ul><ul><li>respiratórias: rinite, rinorréia, asma, bronquite, otite; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>dermatológicas: dermatites, eczemas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>hematológicas: anemia; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>gerais: choque anafilático, hipodesenvolvimento. </li></ul></ul></ul>
  10. 10. Alergia Alimentar <ul><li>Alergia à proteína do leite de vaca: </li></ul><ul><li>forma + comum de hipersensibilidade alérgica alimentar; </li></ul><ul><li>O LV contém mais de 20 componentes protéicos; </li></ul>A fração ß- lactoglobulina é a que mais frequentemente induz à sensibilização
  11. 11. Alergia Alimentar <ul><li>Exames laboratoriais para diagnóstico e controle: </li></ul><ul><li>Anemia hipocrômica microcítica; </li></ul><ul><li>Aminoacidúria; </li></ul><ul><li> da excreção fecal de α-1-antitripsina; </li></ul><ul><li>D-xilosemia baixa; </li></ul><ul><li>Perda fecal protéica e lipídica positivas (sinais de má-absorção intestinal); </li></ul><ul><li>Presença de anticorpos no soro eou nas fezes; </li></ul><ul><li>Diminuição ou aumento de Ig A sérica. </li></ul>
  12. 12. Alergia Alimentar <ul><li>Prevenção: </li></ul><ul><li>Promover o aleitamento materno exclusivo até os 6 m; </li></ul><ul><li>Retardar introdução de alimentos potencialmente alergênicos na alimentação de filhos de mães que não foram imunizadas previamente ou que não utilizaram tais alimentos durante a gravidez. </li></ul>
  13. 13. Alergia Alimentar <ul><li>Tratamento: Dietas de eliminação </li></ul><ul><li>Dieta composta por alimentos hipoalergênicos. Posteriormente reintroduzir um alimento suspeito por vez, observando-se a ocorrência de sintomas. </li></ul><ul><li>Dieta que se retira um alimento suspeito de cada vez e depois reintroduz-se um alimento por vez. </li></ul>
  14. 14. Alergia Alimentar <ul><li>Tratamento: Alergia ao leite de vaca </li></ul><ul><li>Excluir o leite de vaca e derivados; </li></ul><ul><li>Substituí-lo por LH, hidrolisados de caseína ou proteínas do soro do leite de vaca, fórmulas à base de soja ou de leites de outras espécies (cabra), ou formulação à base de carnes brancas (frango, rã, peru ou coelho); </li></ul><ul><li>Extrato solúvel de soja = 1ª estratégia (65% reação cruzada); </li></ul><ul><li>Leite de cabra = >tolerabilidade, porém  custo; </li></ul><ul><li>Hidrolizado protéico (caseína) = sabor marcante e  custo; </li></ul><ul><li>Formulação à base de carne =  custo, risco de contaminação, necessidade de suplementação de micronutrientes (cálcio); </li></ul><ul><li>Casos extremos = dieta para diarréia crônica. </li></ul>

×