Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Design participativo no
governo
Frederick van Amstel @usabilidoido
Escola de Arquitetura e Design
PUCPR
Meu interesse no assunto
•Tema de pesquisa: mudanças que reduzam a
desigualdade social através da democracia
•Para aprende...
Projetos em que eu me meto
•Diferentes tipos de pessoas interessadas
•Polarização política
•Relações econômicas desiguais
...
Contexto atual da
participação social
Mudanças na relação
Estado-sociedade
•Crise da representação política
•Maior acesso à informação para o cidadão
•Privatiza...
Mudança cultural
Sociedade de Massa
• Consumo
• Submissão
• Aceitação
Sociedade Civil
• Recriação
• Participação
• Crítica...
Armadilhas
Tokenismo
Demagogia
Pseudo-participação
Questões cruciais
1. Quem participa? Stakeholders, interessados,
afetados, usuário, cidadão?
2. Quem tem voz? Líderes, rep...
Questões cruciais
4. Qual é o nível de participação? Consulta,
deliberação, delegação?
5. Como é a participação? Microfone...
Escada da Participação Cidadã, Sherry Arnstein
Princípios comuns na
participação social
•Inclusão: todos podem participar
•Perspectiva: todos podem expressar sua opinião...
Desafios democráticos
contemporâneos
Processo democrático ideal
Deliberação Decisão Cocriação Mutirão
Processo democrático real
Deliberação
Decisão
Cocriação
Mutirão
Processo anti-democrático
Deliberação
Decisão
Cocriação
Mutirão
Temos que fazer assim.
Não há dinheiro.
Não há tempo.
Não ...
Segundo a cientista política Chantal Mouffe, o antagonismo
está crescendo no vácuo deixado pela falta de identificação
com...
Ainda segundo ela, o déficit de identificação se deve à
prática do consensualismo de centro, que dilui o embate
político e...
Para evitar a polarização do antagonismo, é preciso
encontrar uma maneira de decidir democraticamente sem o
consenso: o ag...
O agonismo é uma disputa política entre adversários e não
entre inimigos. O consenso não elimina a divergência.
O agonismo é uma abordagem prática para lidar com a
contradição entre tradição e transcendência
O design participativo promove o agonismo através da
criação de objetos compartilhados.
Por que o design participativo é
bom para o governo?
•Torna a participação social mais concreta
•Transforma a resistência ...
Participação social e
design participativo na
Holanda
A participação na Holanda é uma questão de sobrevivência.
Sem coesão social, o país literalmente afunda.
Os agricultores precisam concordar entre si para gerir os
polderes. Isso é conhecido como gestão “poldermodel”.
De um modo geral, busca-se tomar decisões apenas em
consenso, mesmo que custe muitas reuniões.
A participação em debates políticos já é incentivada na
escola e tem até programa de televisão.
O sub-prefeito do meu bairro convidou os moradores para
uma caminhada de avaliação ao redor do bairro.
Participação social é visto hoje como uma maneira de
desonerar o estado. Idosos cuidam de outros idosos.
Campanha de adoção de lixeiras. O cidadão que quisesse
manter a lixeira tinha que se responsabilizar por esvaziá-la.
Passarela feita por financiamento coletivo em Rotterdam.
Em troca, colaboradores têm nome escrito na passagem.
O Fab Lab Amsterdam é aberto para qualquer pessoa
construir o que quiser colaborativamente.
A sede da Centraal Beheer foi projetada em módulos de
trabalho customizáveis (Estruturalismo Holandês).
O hospital de Zaans foi redesenhado com a participação de
enfermeiras, pacientes e médicos (Lean Healthcare Design)
Projeto participativo de um centro de diagnóstico por
imagem dentro da Universidade de Twente
Projeto de um centro de lazer ecológico numa praça da
cidade de Almelo
Visualizando requisitos arquitetônicos à partir da
imaginação coletiva das atividades dos usuários
Visualizando os dilemas envolvidos em um projeto de
diques multifuncionais em Grebbedijk
A ONG Architecture Sans Frontières tomou a iniciativa de
fazer uma análise de impacto social da HS2 em Londres.
Fizemos uma casa temporária no jardim do conjunto
habitacional que teria 3 unidades demolidas.
Coletamos comentários sobre os mais diversos temas
utilizando uma mecânica parecida com um jogo.
Mapeamos as redes sociais dos comerciantes da rua que
seria transformada em canteiro de obras.
Promovemos um debate entre a Prefeitura de Candem,
associação de moradores e a ONG Citizens UK.
Resultados
•180 moradores envolvidos em apenas 7 dias
•A intervenção ajudou a ONG London Citizens a
montar uma carta de de...
Sec. da Presidência da República (2015) tinha um plano de
ampliação da Participação Social
Microcosmo de 10 dias no Laboratório de Participação
Social
Outros projetos participativos
interessantes no Brasil
•Praça de bolso do ciclista (Curitiba)
•Plano diretor (São Paulo)
•...
Princípios de
Design Participativo
•Incluir todos que forem afetados pelo projeto
•O participante é o especialista
•Opções...
Aplicações possíveis em
governo
•Projeto participativo de obras públicas
•Elaboração de programas
•Cocriação de serviços p...
Formatos promissores
Ficção projetual: construindo visões de futuro coletivas.
Jogos de projetar: para colocar o projeto de algo em jogo.
Sondas culturais: pesquisa de necessidades baseada na
auto-documentação criativa.
Laboratório vivo: experimentos sociais feitos em público.
Lego Serious Play: para conversar sobre assuntos difíceis
de colocar em palavras.
Teatro do oprimido: para elaborar projetos de Lei à partir
de opressões vivenciadas pelos cidadãos.
Planejamento estratégico criativo: pensar com as mãos
para economizar o tempo da fala.
Obrigado!
Frederick van Amstel @usabilidoido
www.usabilidoido.com.br
Design participativo no governo
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Design participativo no governo

Design participativo é uma abordagem que inclui os diferentes interessados num projeto público para desenvolver em conjunto modelos e protótipos.

  • Be the first to comment

Design participativo no governo

  1. 1. Design participativo no governo Frederick van Amstel @usabilidoido Escola de Arquitetura e Design PUCPR
  2. 2. Meu interesse no assunto •Tema de pesquisa: mudanças que reduzam a desigualdade social através da democracia •Para aprender sobre a mudança é preciso fazer parte dela, portanto, meu interesse é fazer… •Pesquisa-ação em projetos participativos
  3. 3. Projetos em que eu me meto •Diferentes tipos de pessoas interessadas •Polarização política •Relações econômicas desiguais •Desejo de mudar a conjuntura
  4. 4. Contexto atual da participação social
  5. 5. Mudanças na relação Estado-sociedade •Crise da representação política •Maior acesso à informação para o cidadão •Privatização e parcerias com Organizações da Sociedade Civil •Colaboração do estado com movimentos sociais
  6. 6. Mudança cultural Sociedade de Massa • Consumo • Submissão • Aceitação Sociedade Civil • Recriação • Participação • Crítica momento atual híbrido
  7. 7. Armadilhas Tokenismo Demagogia Pseudo-participação
  8. 8. Questões cruciais 1. Quem participa? Stakeholders, interessados, afetados, usuário, cidadão? 2. Quem tem voz? Líderes, representantes, participantes? 3. O que está em jogo? Recursos, lugares, edifícios, Leis, objetos, sistemas?
  9. 9. Questões cruciais 4. Qual é o nível de participação? Consulta, deliberação, delegação? 5. Como é a participação? Microfone aberto, votação, deliberação, cocriação? 6. O que acontece depois? Acompanhamento, fiscalização, mutirão?
  10. 10. Escada da Participação Cidadã, Sherry Arnstein
  11. 11. Princípios comuns na participação social •Inclusão: todos podem participar •Perspectiva: todos podem expressar sua opinião •Representação: todos podem representar ou serem representados •Transparência: todos sabem como é o processo •Meta-participação: todos podem questionar o processo de participação
  12. 12. Desafios democráticos contemporâneos
  13. 13. Processo democrático ideal Deliberação Decisão Cocriação Mutirão
  14. 14. Processo democrático real Deliberação Decisão Cocriação Mutirão
  15. 15. Processo anti-democrático Deliberação Decisão Cocriação Mutirão Temos que fazer assim. Não há dinheiro. Não há tempo. Não há outra maneira.
  16. 16. Segundo a cientista política Chantal Mouffe, o antagonismo está crescendo no vácuo deixado pela falta de identificação com os representantes políticos.
  17. 17. Ainda segundo ela, o déficit de identificação se deve à prática do consensualismo de centro, que dilui o embate político em troca de acordos pela governabilidade.
  18. 18. Para evitar a polarização do antagonismo, é preciso encontrar uma maneira de decidir democraticamente sem o consenso: o agonismo.
  19. 19. O agonismo é uma disputa política entre adversários e não entre inimigos. O consenso não elimina a divergência.
  20. 20. O agonismo é uma abordagem prática para lidar com a contradição entre tradição e transcendência
  21. 21. O design participativo promove o agonismo através da criação de objetos compartilhados.
  22. 22. Por que o design participativo é bom para o governo? •Torna a participação social mais concreta •Transforma a resistência à mudança em força •Capitaliza a diversidade profissional e cultural •Descentraliza a informação e o conhecimento
  23. 23. Participação social e design participativo na Holanda
  24. 24. A participação na Holanda é uma questão de sobrevivência. Sem coesão social, o país literalmente afunda.
  25. 25. Os agricultores precisam concordar entre si para gerir os polderes. Isso é conhecido como gestão “poldermodel”.
  26. 26. De um modo geral, busca-se tomar decisões apenas em consenso, mesmo que custe muitas reuniões.
  27. 27. A participação em debates políticos já é incentivada na escola e tem até programa de televisão.
  28. 28. O sub-prefeito do meu bairro convidou os moradores para uma caminhada de avaliação ao redor do bairro.
  29. 29. Participação social é visto hoje como uma maneira de desonerar o estado. Idosos cuidam de outros idosos.
  30. 30. Campanha de adoção de lixeiras. O cidadão que quisesse manter a lixeira tinha que se responsabilizar por esvaziá-la.
  31. 31. Passarela feita por financiamento coletivo em Rotterdam. Em troca, colaboradores têm nome escrito na passagem.
  32. 32. O Fab Lab Amsterdam é aberto para qualquer pessoa construir o que quiser colaborativamente.
  33. 33. A sede da Centraal Beheer foi projetada em módulos de trabalho customizáveis (Estruturalismo Holandês).
  34. 34. O hospital de Zaans foi redesenhado com a participação de enfermeiras, pacientes e médicos (Lean Healthcare Design)
  35. 35. Projeto participativo de um centro de diagnóstico por imagem dentro da Universidade de Twente
  36. 36. Projeto de um centro de lazer ecológico numa praça da cidade de Almelo
  37. 37. Visualizando requisitos arquitetônicos à partir da imaginação coletiva das atividades dos usuários
  38. 38. Visualizando os dilemas envolvidos em um projeto de diques multifuncionais em Grebbedijk
  39. 39. A ONG Architecture Sans Frontières tomou a iniciativa de fazer uma análise de impacto social da HS2 em Londres.
  40. 40. Fizemos uma casa temporária no jardim do conjunto habitacional que teria 3 unidades demolidas.
  41. 41. Coletamos comentários sobre os mais diversos temas utilizando uma mecânica parecida com um jogo.
  42. 42. Mapeamos as redes sociais dos comerciantes da rua que seria transformada em canteiro de obras.
  43. 43. Promovemos um debate entre a Prefeitura de Candem, associação de moradores e a ONG Citizens UK.
  44. 44. Resultados •180 moradores envolvidos em apenas 7 dias •A intervenção ajudou a ONG London Citizens a montar uma carta de demandas para a HS2 •A HS2 recebeu a carta com entusiasmo. Tudo indica que as principais demandas serão atendidas
  45. 45. Sec. da Presidência da República (2015) tinha um plano de ampliação da Participação Social
  46. 46. Microcosmo de 10 dias no Laboratório de Participação Social
  47. 47. Outros projetos participativos interessantes no Brasil •Praça de bolso do ciclista (Curitiba) •Plano diretor (São Paulo) •Jogo Oasis - Instituto Elos (Santos) •Cidade Democrática (Jundiaí) •Morar de Outras Maneiras (UFMG) •Design em parceria/Design social (PUC-Rio) •E-cidanania (Unicamp)
  48. 48. Princípios de Design Participativo •Incluir todos que forem afetados pelo projeto •O participante é o especialista •Opções construídas ao invés de escolhidas •Protótipos e modelos simples •Falar e fazer para evitar monopólios da fala •O futuro é feito no presente
  49. 49. Aplicações possíveis em governo •Projeto participativo de obras públicas •Elaboração de programas •Cocriação de serviços públicos •Simulação de impacto de políticas públicas •Audiência pública com oficinas de cocriação
  50. 50. Formatos promissores
  51. 51. Ficção projetual: construindo visões de futuro coletivas.
  52. 52. Jogos de projetar: para colocar o projeto de algo em jogo.
  53. 53. Sondas culturais: pesquisa de necessidades baseada na auto-documentação criativa.
  54. 54. Laboratório vivo: experimentos sociais feitos em público.
  55. 55. Lego Serious Play: para conversar sobre assuntos difíceis de colocar em palavras.
  56. 56. Teatro do oprimido: para elaborar projetos de Lei à partir de opressões vivenciadas pelos cidadãos.
  57. 57. Planejamento estratégico criativo: pensar com as mãos para economizar o tempo da fala.
  58. 58. Obrigado! Frederick van Amstel @usabilidoido www.usabilidoido.com.br

×