Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS
UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS
MESTRADO INTERDISCIPLINAR EM E...
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS
UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS
O USO PEDAGÓGICO DAS TDIC PARA...
2
TEMA
Este trabalho tem como objetivo propor o uso pedagógico das Tecnologias Digitais
de Informação e Comunicação – (TDI...
3
Essa história está longe de ser exagerada, a escola contemporânea e tradicionalista não se
afastou muito do projeto orig...
4
É necessário que o computador e todos os seus entes se torne um elemento do dia-a-
dia na formação do aluno, formação es...
5
estabelecer uma interação comunicativa entre professores e alunos procurando criar ambientes
de aprendizagem onde os pro...
6
REFERENCIAL TEÓRICO
As mudanças sociais e tecnológicas produzidas pelo homem ao longo da história
trazem consigo a emerg...
7
O problema não está relacionado somente nos professores e sua experiência profissional
e ao fato que eles não são tão fl...
8
o ritmo, a quantidade e aprofundamento dessas informações, escolhendo qual relação
gostariam de ter ou não com cada uma....
9
Atividades
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Jun...
REFERÊNCIAS
ALMEIDA, M. E. B. de. Gestão de tecnologias na escola: possibilidades de uma prática
democrática.
Disponível :...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O USO PEDAGÓGICO DAS TDIC PARA O FORTALECIMENTO DE ESTRATÉGIAS QUE BUSCAM A MELHORIA DO IDEB

577 views

Published on

O uso pedagógico das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação – (TDIC) para o fortalecimento de estratégias que buscam a melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), no Estado de Goiás.

Published in: Education
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

O USO PEDAGÓGICO DAS TDIC PARA O FORTALECIMENTO DE ESTRATÉGIAS QUE BUSCAM A MELHORIA DO IDEB

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS MESTRADO INTERDISCIPLINAR EM EDUCAÇÃO, LINGUAGEM E TECNOLOGIAS. O USO PEDAGÓGICO DAS TDIC PARA O FORTALECIMENTO DE ESTRATÉGIAS QUE BUSCAM A MELHORIA DO IDEB, NO ESTADO DE GOIÁS. WILKER BUENO DE FREITAS ROSA ANÁPOLIS / GOIÁS SETEMBRO / 2016
  2. 2. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS O USO PEDAGÓGICO DAS TDIC PARA O FORTALECIMENTO DE ESTRATÉGIAS QUE BUSCAM A MELHORIA DO IDEB, NO ESTADO DE GOIÁS. WILKER BUENO DE FREITAS ROSA Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Mestrado Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias. Linha de pesquisa: Educação, escola e tecnologias. ANÁPOLIS / GOIÁS SETEMBRO / 2016
  3. 3. 2 TEMA Este trabalho tem como objetivo propor o uso pedagógico das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação – (TDIC) para o fortalecimento de estratégias que buscam a melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), no Estado de Goiás. DELIMITAÇÃO DO TEMA O principal objetivo da Utilização Pedagógica das TDIC é fortalecer as ações que visam à melhoria no (IDEB) orientando e fornecendo aos Professores subsídios e oportunidades de melhorar suas atividades de sala de aula, criando ambientes mais dinâmicos e novas metodologias de aprendizagem interativa para complementar suas práticas diárias de ensino, facilitando e otimizando o trabalho realizado por eles. Além disso, o uso das TDIC propõe reter a atenção dos alunos, estimulando processos mentais mais significativos, tornando o ato de ensinar e aprender mais dinâmico e interessante, permitindo ao aluno a compreensão de que a tecnologia é aplicável a todas as áreas do conhecimento e não especificamente a uma única área, e ainda fazendo com que esse aluno se torne ator principal na construção de sua aprendizagem. PROBLEMATIZAÇÃO As técnicas de ensino empregadas hoje não estão ajudando a Escola a preparar o cidadão do futuro. Aquele cidadão que vai do ensino médio rumo à faculdade e sempre estudou em escolas com índice de desenvolvimento abaixo do esperado. A falta de tecnologia, a falta de conteúdo e, sobretudo a falta de propriedade intelectual na educação tem deixado para trás a tão necessária transformação da educação que seria alcançada pelo IDEB. Falar em uso de TDIC nas escolas hoje em dia, infelizmente é motivo de piada, pois os artefatos lançados mão pelos professores em sala de aula são na maioria das vezes um quadro negro, um giz branco e um script usado há anos com o mesmo objetivo. Podemos dizer que se um habitante do século XIX chegasse hoje para encontrar um mundo incrível, ele certamente se sentiria perdido e totalmente desorientado, oprimido pelas diferenças. No entanto, se visitar uma escola pública do estado de Goiás, de ensino fundamental ou médio e ver a cena daquele professor tentando ensinar, agregada à imagem de alunos sentados em cadeiras enfileiradas, com livros, cadernos, lápis e borracha, ele certamente se sentiria em casa.
  4. 4. 3 Essa história está longe de ser exagerada, a escola contemporânea e tradicionalista não se afastou muito do projeto original. Esse afastamento deve acontecer através dos professores em sala de aula. O que antes era pensado para preparar trabalhadores para linhas de produção, deve ser revisto, pois os empregados de outrora estão sendo substituídos por tecnologias que não lhe foram apresentadas. O que mostra uma luta desigual e impiedosa visto que os alunos de hoje, sequer sabem que estão travando uma luta contra a tecnologia, e o que é pior, estão perdendo para um artifício que deveria ser aliado no seu processo de formação. Planejar, desenvolver e fazer um acompanhamento contínuo da unidade didática pressupõe uma figura docente reflexiva, com uma bagagem cultural e pedagógica importante para poder organizar um ambiente e um clima de aprendizagem coerentes. (Santomé 1998 p. 253). Segundo Santomé, as práticas interdisciplinares na escola exigem do professor ou professora uma postura diferenciada, se for pensar em atingir metas que foram baseadas em parâmetros e métricas de Países totalmente desenvolvidos, e com milhares de anos de cultura enraizada no processo de ensino, nós também deveremos usar as mesmas armas apresentadas por eles, a TDIC deve ser incorporada no processo de formação o quanto antes, professores que tem o objetivo de alcançar essas metas ambiciosas deve, o mais rápido possível, buscar subsídios para auxiliá-los nessa nova jornada. A tecnologia digital da informação e comunicação, especialmente os computadores e internet, têm o potencial de transformar profundamente a educação e buscar progressos necessários de três áreas:  O acesso a computadores e redes de alta velocidade na escola e nas casas dos professores e alunos;  Treinamento em tecnologia seja ela qual for;  O acesso ao conteúdo de alta qualidade e autonomia para implementar novos modelos de aprendizagem, em vez de replicar scripts, do século XIX. O acesso a computadores e Internet nas escolas Goianas melhorou na última década, porém é inconcebível que tenhamos um notebook para cada quinze estudantes dentro de um laboratório de informática e com aulas esporádicas. Não podemos pensar que, com isso estamos introduzindo ou mesmo apresentando a tecnologia aos alunos, tão pouco achar erroneamente que estamos potencializando os métodos de ensino dos professores. Com o uso correto da TDIC, nós temos condição de aperfeiçoar o ensino por parte do professor e o aprendizado por parte do aluno, tornando as tecnologias digitais uma ferramenta da vida cotidiana do aprendizado, tão comuns quanto caderno e lápis.
  5. 5. 4 É necessário que o computador e todos os seus entes se torne um elemento do dia-a- dia na formação do aluno, formação essa que pautada na introdução de sistemas de gestão e de comunicação, possam facilitar a vida diária de todos os professores, alunos e seus familiares, transformando os planejamentos de aula, relatórios, gerenciamento, horários, comunicação e gestão escolar em ferramentas diárias de todos os envolvidos no processo do aprendizado. Além disso, nossos professores devem se tornar aprendizes de peritos da era digital, tendo cursos on-line, aprendendo uns com os outros em redes profissionais e viver na própria carne as novas possibilidades da tecnologia. Desta forma, podemos começar a criar uma cultura institucional renovada. Os softwares que são especialmente criados para apoiar os processos de ensino, juntamente com o acesso a conteúdo de alta qualidade são importantes variáveis da equação para tornar a tecnologia uma agente transformador da escola do século XXI. Uma das grandes revoluções no mundo digital tem sido o uso intensivo de dados para tomada decisões. Ninguém entende isso melhor do que um professor, que sabe o valor de feedback e da avaliação. Trabalhando de forma assertiva nas vertentes aqui apontadas, poderemos usar a tecnologia para transformar a educação. Caso contrário, vamos continuar enchendo as escolas de aparelhos coloridos com pouco impacto sobre a aprendizagem dos alunos, preparando-os para ter acesso ao século passado. JUSTIFICATIVA As Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) podem proporcionar acesso universal à educação, a igualdade na educação, a prática do ensino de qualidade na aprendizagem e desenvolvimento profissional dos professores e gestores, pode ainda trazer uma gestão mais eficiente e uma melhor administração do sistema educativo. Este projeto aplica-se a uma estratégia de melhoria no IDEB de escolas públicas do ensino médio no estado de Goiás. Focado no acompanhamento e em questões específicas em torno de processos de aprendizagem em sala de aula, ele busca concentrar e potencializar as oportunidades estruturantes para os professores. O desenvolvimento desses professores irá aperfeiçoar as práticas de sala de aula, práticas essas que consequentemente irão se desenvolver e relacionar-se à criação, implantação e melhoria dos ambientes de aprendizagem eficazes. Esse trabalho irá
  6. 6. 5 estabelecer uma interação comunicativa entre professores e alunos procurando criar ambientes de aprendizagem onde os professores proporcionam a seus alunos oportunidades para construção de conceitos mais firmes, desenvolvendo habilidades de pensamento, valores e atitudes. A Tecnologia Digital de Informação e Comunicação (TDIC) tem se tornado uma poderosa ferramenta de ensino que aumentam a colaboração do aluno, pois faz com que ele se concentre na sua aprendizagem, promovendo a integração e incentivando o desenvolvimento de certas habilidades intelectuais como raciocínio, resolução de problemas, criatividade e a capacidade de aprender a aprender, pois ele deixa de ser um simples receptor de informações. Quando se integra criticamente a tecnologia de informática no processo educativo, onde o computador, como recurso pedagógico, não goza de autonomia para conclusão do processo ensino-aprendizagem, o que se pretende, então é que o computador seja incorporado aos ambientes da escola, com uma tecnologia intelectual de grande potencial. (Costa; Oliveira, 2004, p. 120) Com referência ao que foi exposto acima o uso pedagógico das TDIC traz uma proposta de fortalecimento das estratégias de ensino onde os professores deixam de ser um simples doador de conteúdo, e passam a ter agora a oportunidade de melhorar as suas práticas de sala de aula proporcionando ao aluno um aprendizado mais dinâmico e interativo, complementando esse processo hercúleo de ensino e aprendizagem. OBJETIVO GERAL: Conhecer, desenvolver e implementar atividades de utilização das TDIC para fortalecimento das estratégias de ensino e aprendizagem, que propicie um cidadão melhor preparado para Universidade e consequentemente melhorar o índice de desenvolvimento da educação básica do estado de Goiás OBJETIVOS ESPECÍFICOS: ● Projetar e desenvolver atividades que envolvam as tecnologias digitais e possa facilitar a resolução de situações do cotidiano do professor, fomentando a criatividade, tornando o processo de ensino uma experiência agradável e significativa. ● Melhorar a qualidade da Educação, Linguagem e Tecnologias, aumentando a capacidade de aprendizagem dos alunos, através de recursos tecnológicos digitais. ● Incentivar os alunos a participarem ativamente do processo da sua e aprendizagem, tornando esse modelo obsoleto em um novo modelo com atividades mais interativas.
  7. 7. 6 REFERENCIAL TEÓRICO As mudanças sociais e tecnológicas produzidas pelo homem ao longo da história trazem consigo a emergente necessidade de que os profissionais que atuam na educação estejam qualificados para enfrentar os desafios dos próximos séculos. A formação do gestor escolar insere-se nesse contexto e representa uma nova possibilidade de incluir, integrar, vivenciar na prática e, sobretudo, compreender como administrar o uso das tecnologias na educação. Além disso, pode desencadear o desenvolvimento de novas propostas de gestão e uso das tecnologias no espaço escolar, o que pode resultar numa aprendizagem mais significativa àqueles que estão em formação. […] Evidencia-se a importância de se desenvolver programas de formação voltados para as especificidades do trabalho dos gestores, alicerçados na articulação entre as dimensões administrativas e pedagógicas, na integração entre tecnologias e metodologias de formação, tendo as tecnologias como artefatos que favorecem os encontros entre pessoas, valores, concepções, práticas e emoções (ALMEIDA, 2005). Os teóricos cognitivos, tais como Jean Piaget e David Ausubel, entre outros, eles argumentaram que o aprendizado foi o resultado de desequilíbrios na compreensão de um aluno e que o ambiente teve uma importância fundamental neste processo. David Ausubel afirma que “a aprendizagem significativa é um processo através do quais novos conhecimentos são assimilados, relacionando-a com algum aspecto relevante existente na estrutura cognitiva individual.”. Se não existir na mente, conceitos básicos que possam ligar a novos conhecimentos, vamos memorizar e armazenar de forma arbitrária e desconectada todas as possibilidades tecnológicas. Se o conhecimento é assimilado dentro da estrutura cognitiva individual ele será ligado a uma unidade de informação prévia que irá gerar expansão prévia do conhecimento e o resultado será uma aprendizagem significativa. Para termos um aprendizado significativo é preciso alicerçar três pilares básicos: ● O conteúdo deve ser potencialmente significativo; ● O Professor deve constituir previamente o conhecimento cognitivo para proporcionar ao aluno a transição do conhecimento anterior, para a nova proposta; ● O estudante deve ter uma atitude positiva em relação à aprendizagem significativa, deve mostrar uma vontade de se relacionar com o material proposto.
  8. 8. 7 O problema não está relacionado somente nos professores e sua experiência profissional e ao fato que eles não são tão fluentes em novas tecnologias quanto seus alunos. Um fator muito importante são as regras inter relacionais nas escolas e a cultura geral que prevalece na educação tradicional. (LEVY,2013) METODOLOGIA As tecnologias digitais de informação e comunicação têm alguns atributos fundamentais, que a distingue dos meios tradicionais, que a curto e médio prazo terá um grande impacto na educação. Vivenciamos algumas destas características, como a internet, que nos últimos anos passou de novidade, para o meio com maior crescimento em investimento no mundo. Ter surgido como uma nova mídia não foi o maior impacto causado pela internet e sim o poder de ser ela, a maior ferramenta de transformação no processo de ensino e aprendizagem. As alterações cognitivas que as tecnologias digitais de informação e comunicação podem proporcionar no mundo da Educação Linguagem e Tecnologia são infinitas. A principal diferença com os sistemas digitais de informação em mídias interativas é o que a Brown (1977) refere-se como sendo "ambientes reativos", é aquele adicionado por último, algo novo, como resultado das ações de utilizador, algo que por sua vez, o utilizador tem de responder. Sistemas interativos pode virtualmente realizar uma série de ações. Fazer cálculos em sistema numérico, transformar um sistema de representação em outro, alterar a orientação de um objeto visual ou mudança desse objeto, enviar mensagens, procurar informações, conferir resultados, gravar ações para uso posterior e etc. As novas tecnologias têm características que as tornam poderosas ferramentas quando usadas no processo de aprendizagem, pois proporcionam imaterialidade, interatividade, parâmetros de alta qualidade de imagem e som, instantaneidade, digitalização, networking, diversidade e inovação (Attes, 2003). A imaterialidade fornece informações que tem capacidade para construir ligações externas sem necessidade de materialidade dessas mensagens. Ele oferece aos estudantes a oportunidade de construir conhecimento sem espaços ou materiais encontrados fisicamente, em seu ambiente. As novas tecnologias oferecem a capacidade de interagir entre os estudantes, que não só produzem mensagens, mas também pode decidir a sequência de informações a seguir, definir
  9. 9. 8 o ritmo, a quantidade e aprofundamento dessas informações, escolhendo qual relação gostariam de ter ou não com cada uma. A imagem e som de alta qualidade não são apenas para lidar com informações de forma mais racional, mas também com mais confiabilidade. Os sons e imagens de credibilidade são ferramentas que estimulam a criatividade dos alunos, proporcionando riqueza no contexto da aprendizagem. A informação é recebida nas melhores condições possíveis e no menor tempo possível, algumas em tempo real, através da instantaneidade. A digitalização está transformando informações analogicamente codificadas numericamente, permitindo o manuseio e a distribuição mais fácil e rápida. Através da digitalização, os alunos têm acesso à materiais, trabalhos e livros sem ter que carregá-los fisicamente, nesse material ele pode encontrar, praticamente qualquer conteúdo que se fizer necessário. Através do networking, como o próprio nome diz, uma nova rede de comunicação é formada, reforçando mutuamente a forma de se comunicar, o que leva a um impacto maior, do que as tecnologias utilizadas individualmente. Ele permite conexão constante entre os estudantes e seu professor, a criação de uma rede colaborativa, onde não existem barreiras de tempo ou espaço. A diversidade é uma característica das novas tecnologias, para ser entendida a partir de uma posição dupla, em vez de se deparar com tecnologias únicas, temos tecnologias que giram em torno de outras, há uma variedade de papéis que a tecnologia pode lançar mão, que vão de vídeo, que transmite apenas a informação até a videoconferência que permite entre outras coisas a interação do aluno. A inovação tecnológica vai do computador pura e simplesmente até a telecomunicação, no bojo disso tudo temos a convergência digital, que permite a utilização simultânea de ferramentas de voz, texto, dada e imagens por meios eletrônicos, convergindo para um mesmo canal, através de diferentes tecnologias. Note-se que todas essas tecnologias tem em si um componente de inovação, e não é um componente desconhecido. A princípio, qualquer ação em busca de melhoria qualitativa e/ou quantitativa seja ele digital ou não, pode ser considerado uma inovação. CRONOGRAMA 2017 2018
  10. 10. 9 Atividades Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Revisão e aprimoramento do projeto de pesquisa. X X Realização de revisão bibliográfica por meio de leituras sistematizadas. X X X X X X X X X X Visitas em Escola(s) Estadual (ais) do Estado de Goiás. X X X X X X Participação em eventos relativos à temática. X X X X X X Elaboração de roteiro de observação, questionários e entrevistas. X X X X Propositura de alterações nas escolas visitadas. X X X X Treinamento dos envolvidos nas mudanças. X X Escrita formal do trabalho. X X X X X X X X X X X X
  11. 11. REFERÊNCIAS ALMEIDA, M. E. B. de. Gestão de tecnologias na escola: possibilidades de uma prática democrática. Disponível : <http://www.tvebrasil.com.br/SALTO/boletins2005/itlr>. Acesso em: 12 set. 2013. ALMEIDA, M. E. B. de. Gestão de tecnologias na escola: possibilidades de uma prática democrática. Disponível : <http://www.tvebrasil.com.br/SALTO/boletins2005/itlr>. Acesso em: 12 set. 2013. ALMEIDA, M. E. B. de. RUBIM, Lígia Cristina. O papel do gestor escolar na incorporação das TIC na escola: experiências em construção e redes colaborativas de aprendizagem.(s/d) Disponível : http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/32/3/LDB_Gest%C3%A3o.pdf Acesso em: 09 set.2013. ALMEIDA, M. E. B. Integração das Tecnologias na Educação. In: Moran, J.M. e Almeida, M.E.B de, (Orgs). Salto para o Futuro. Brasília. SEED ‐ MEC, 2005, p. 38 - 45. Disponível: tvescola.mec.gov.br/images/stories/.../salto.../livro_salto_tecnologias.pdf BRITO. Glaucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e Novas Tecnologias: um repensar. São Paulo: Pearson, 2012

×